Alarmes

Categories: Trabalhos

0

Introdução Alarmes de incêndio O alarme de incêndio é o sistema responsável pela informação de todos os usuários envolvidos em uma determinada área da iminência da ocorrência de um incêndio ou no princípio do mesmo. Normalmente um sis automátlcos, basead por acionadores man princípio de incêndio ors tc vie”‘ nut*ge ituído por detectores a, chamas ou calor, ação humana do nto do alarme que enviam seus sinais para uma central de alarme. Esta central de alarme por sua vez envia sinais de alerta para dispositivos de sinalização audiovisual como sirenes e luzes de emergência.

No Brasil, a norma técnica oficial que define os parâmetros dos sistemas de alarme e detecção de incêndio é a norma ABNT Conceitos Básicos Parte fundamental para a operacionalização de um Plano de emergência e Abandono é um sistema de alarmes em que possa creditar confiança para que, em uma necessidade de abandono, segundo elemento envolve o processamento do sinal dos diversos tipos de detectores de incêndio ou acionadores manuais, que enviam o sinal de detecção de incêndio do local do fogo até um painel (Central de Incêndio). or último, a Central de Incêndio ativa o aviso por meio de inalização visual elou sonora (Sirenes, Estrobos, etc… ), com o objetivo de alertar os ocupantes e também acionar dispositivos auxiliares para operação de outros sistemas (Abertura de Portas, Sistemas de Alarme, etc… ). Como por exemplo: Sinalização Visual elou Sonora: Acionar Sinais Sonoros (Sirenes, Buzzers, etc… ) Acionar sinais luminosos (Estrobos, Lâmpadas, Leds, etc… Sinalização com Dispositivos Específicos: Acionar Sistema de Controle de Fumaça Acionar Pressurização das Escadas Acionar Válvulas de Jatos D’água (Sprinklers) Acionar Abertura e Fechamento de portas Acionar Elevadores ao Piso de Descarga Sinalização com Integração com Equipamentos: Acionar Zonas de Centrais de Alarme Acionar Comunicação A detecção de um incêndio ocorre por intermédio dos fenômenos fisicos primários e secundários de uma combustão.

Tipos de Fenômenos Físicos Primários: A radiação (visível e invisível) da chama aberta A variação de temperatura devido a um incêndio defeito no sistema; Permite controlar uma grande quantidade de periféricos endereçáveis, como detectores, sirenes, acionadores manuais, haves de bloqueio, sensores termovelocimétricos sinalizadores e outros, em uma mesma linha. 2. Detectores automáticos; Os detectores automáticos acionam automaticamente a central de alarme de incêndio: Térmico e Fumaça [PiC] 3.

Acionadores manuais; O acionador manual tem a função de acionar manualmente o Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio, quando da detecção visual do sinistro e, muitas vezes, antes da detecção automática. 4. Fonte de alimentação [pic](ex: Bateria do sistema) PAGF3rl(FS alarme/detecção e o painel repetidor devem ficar em local onde aja constante vigilância humana e de fácil visualização. A central deve aclonar o alarme geral da edificação, que deve ser audível em toda edificação.

Em locais de grande concentração de pessoas, o alarme geral pode ser substituído por um sinal sonoro (pré-alarme) apenas na sala de segurança, junto à central, para evitar tumulto. No entanto, a central deve possuir um temporizador para o acionamento posterior do alarme geral, com tempo de retardo de no máximo 2 min, caso não sejam tomadas às ações necessárias para verificar o pré-alarme da central.

Nesses tipos de locais, pode- e ainda optar por uma mensagem eletrônica automática de orientação de abandono, como pré-alarme, ao invés do alarme geral; sendo que só será aceita essa comunicação, desde que exista brigada de incêndio na edificação. Mesmo com o pré- alarme na central de segurança, o alarme geral é obrigatório para toda a edificação.

A distância máxima a ser percorrida por uma pessoa, em qualquer ponto da área protegida até o acionador manual mais próximo, não deve ser superior a 30 m. Preferencialmente, os acionadores manuais devem ser localizados junto aos hidrantes. Nos edlfícios com mais de um pavimento, deverá ser previsto pelo menos um acionador manual em cada pavimento. Os mezaninos estarão dispensados desta exigência, caso o acionador manual do piso principal dê cobertura/caminhamento para a área do mezanino.

PAGF depósito com alto risco de propagação de incêndio, podem ser acrescentados sistemas complementares de confirmação de indicação de alarme, tais como interfone, rede rádio, etc. , devidamente sinalizados. Deverá ser apresentado ao Corpo de Bombeiros, quando do pedido de vistoria, uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) preenchida pelo responsável técnico pela instalação do sistema de detecção, garantindo que os detectores foram instalados de acordo com o prescrito na NBR 9441.

Funções dos sistemas de alarmes 1) Alarme abandono de local: Para aviso aos ocupantes de uma área, em caso de emergência, que devem desocupá-los; 2) Alarme de emergência geral: Tendo como finalidade convocar a brigada de emergência e gerar um estado de alerta nas pessoas não pertencentes a brigada de emergência. 3) Alarme de crise: Tem como finalidade promover o abandono geral da fábrica; ) Alarme de perigo passado: Tem como finalidade orientar as pessoas que abandonaram seus respectlvos locals a retornarem às suas atividades normais.

Classificação de sistemas de alarme Manuais: Dependem da ação humana para serem acionados, são os conhecidos pontos ou estação de alarme, constituídos por mecanismos que transmitem c alarme. Automáticos: Não dependem do homem, mas de um fator decorrente dos fenômenos da combustão, tais como calor, fumaça, gases e chamas, os quais serão detectados pelos elementos sensores (detectores ue ao serem sensibilizados produzem sinal para o alar

Direito tributario

0

ANEXO DOS OBJETOS DE AVALIAÇAO LÍNGUA PORTUGUESA 1 compreensao e interpretaç¿o de textos de gêneros variados. 2Reconhecimento de tipos e

Read More

Gramsci e a teoria ampliada do estado

0

GRAMSCI E A TEORIA AMPLIADA DO ESTADO Antes de adentramos de fato na obra de Antônio Gramsci, Maquiavel, a Política

Read More