Atps teoria da administração

Categories: Trabalhos

0

FACULDADE ANHANGUERA CURSO: ADMINISTRAÇÃO TEORIA DA ADMIN STRAÇÃO GRUPO: Antonio Amaro de souza Junior RA: 320542844 Gilmar Martins IRA: 1099559747 Marcelle Chacon RA: 3205508414 Renata Santana Assis RA: 3205502610 Rafael Mendes de castro RA: 3200493100 Vinicius Lino RA 3240551066 ATPS : Etapa 2 Professor: Daniel Vaz ors to view nut*ge santo André, 03 de Abril de 2012 Introdução Essa pesquisa tem como objetivo agregar conhecimento ao que se refere às teorias da administração, permitindo diferencia-las, ressaltando os principais pontos que influências as proposta de administrações que se arrastaram a realidade dos dias atuais.

Teoria Clássica da Administração A Teoria Clássica da Administração foi idealizada por Henri Fayol. Caracteriza-se pela ênfase na estrutura organizacional, pela visão do Homem Econômico e pela busca da máxima eficiência. Sofreu críticas como a manipulação dos trabalhadores através dos incentivos materiais e salariais e a excessiva unidade de comando e responsabilidade. comando. A empresa como sistema fechado a partir do momento em que o planejamento é definido como sendo a pedra angular da gestão empresarial, é difícil imaginar que a organização seja vista como uma parte isolada do ambiente.

Manpulação dos trabalhadores e como a Administração Científica, fora tachada de tendenciosa, desenvolvendo princípios que buscavam explorar os trabalhadores. Teoria da Burocracia Não havia regras específicas e definição dos Objetivos para com os colaboradores. Existia apenas a lei de: “fazer seu serviço, ganhar seu dinheiro e continuar trabalhando. ” As empresas precisavam ser geridas de forma impessoal e Racional, com isso, origina-se a Teoria da Burocracia.

A Teoria da Burocracia vem da premissa de que a burocracia é a organização eficiente por excelência. Para conseguir eficiência, a burocracia explica os mínimos detalhes como as coisas deverão ser feitas. Atualmente Burocracia representa uma empresa lenta, com muitos processos, ineficiente e uma grande Rotina, quando na verdade deveria ser totalmente o contrário. Outro fator relevante na aplicação da Teoria da Burocracia é de que a escolha das pessoas é baseada no merito e na competência técnica e não em preferências pessoais.

Contratações, Promoções ou transferências dos funcionários são baseadas em critérios, válidos para toda a organização, de avaliação e de classificação, e não em critérios particulares. Teoria Estruturalista A Teoria Estruturalista inaugura os estudos acerca dos ambientes dentro do conceito de que a organização é um sistema aberto e em constante interação com o seu meio ambiente. Até agora, a teoria administrat sistema aberto e em constante interação com o seu meio ambiente.

Até agora, a teoria administrativa havia se confinado aos estudos dos aspectos internos da organização dentro de uma concepção de sistema fechado. Os autores estruturalistas procuram inter-relacionar as organizações com o seu ambiente externo, que é a sociedade maior, ou seja, a sociedade de organizações, caracterizada pela nterdependência entre as organizações. Sua enfasê é na estrutura e seus principais enfoques são multipla abordagem: organização formal e informal, análise infra organizacional e análise interorganizacional.

Teoria das Relações Humanas A proposta principal desta teoria circula ao redor do reconhecimento humano. Até então, visto como apenas um instrumento de produção, o homem passa a ter o seu lado pessoal contemplado como importante para o desenvolvimento organizacional. O produto era o bem mais valioso da empresa. Neste novo contexto, o homem é visto como elemento chave de todo o processo organizacional. Portanto, as ações dentro das fábricas passam a ser voltadas para a satisfação dos operários.

Teoria Comportamental A Teoria Comportamental da Administração trouxe uma nova direção e um enfoque dentro da teoria administrativa: a abordagem das ciências do comportamento o abandono das posições normativas e prescritas das teorias anteriores, e a adoção de posições explicativas e descritivas. A ênfase permanece nas pessoas, mas dentro do contexto organizacional mais amplo. Marca a mais profunda influência das ciências do comportamento na administração.

Todo indivíduo é um tomador e decisão, baseando-se nas informações que PAGF3rl(FS administração. Todo indivíduo é um tomador de decisão, baseando-se nas informações que recebe do seu ambiente, processando-as de acordo com suas convicções e assumindo atitudes, opnibes e pontos de vista em todas as circunstâncias. A organização neste sentido é vista como um sistema de decisões Conclusão Ao refletir sobre cada “modalidade” da administração e suas propostas, fica claro quais os focos foram prioridade nas teorias desenvolvidas.

Enquanto ocorria a defesa da eficiência como prática lucrativa, existiam pessoas que refletiam um pouco além e máquinas, quantidades e lucros. Surgiram novas propostas que lutavam pela valorização emocional de quem fazia parte de uma organização. Se naquele período histórico aconteceu criticas e oposição. Dá para imaginar no dias atuais a proporção tomaria as simples propostas idealizadas pela Escola das Relações Humanas. Nos entristesse saber que dentro de tantas opções, os seres humanos sempre estiveram na última fila.

Surgiram novos termos que impressionaram, mas não solucionaram. A burocracia trouxe ordem e com ela lucro e direitos Ilmltados para quem presta serviços as organizações, é claro, que não podemos eneralizar, mas com certeza muitos já ouviram ouviu a famosa frase: – São normas da empresa. Temos que escutar essa frase sem o direito de perguntar qual foi a base para eu se criasse tal norma. Não fica difícil confrontar informações que compõem ainda hoje nosso cotidiano de forma aparentemente ajustáveis a nossa vida.

Tornando-se mais do que possível afirmar que a evolução ocorreu por conta da necessidade, a capacidade de escolha alcançou maior número de pes PAGF a evolução ocorreu por conta da necessidade, a capacidade de escolha alcançou maior número de pessoas do que poderiamos imaginar. Será que alguém iria pensar sem a tal necessidade em: motlvação, reconhecimento, regras , estímulos se não se sentissem ameaçadas de alguma forma, sendo que ainda hoje convivemos com ameaças vindas da parte operacional.

Quem ainda não enfrentou dificuldades em chegar ao trabalho por conta de uma greve de ônibus? Novas teorias foram criadas e não foram aplicadas simultaneamente, sem dúvida, considerando essa questão podemos afirmar que aquele que se interessou por uma teoria comportamental, estruturalista, das relações humanas, certamente confessaram que esse é o caminho para o desenvolvimento de uma organização.

Quem tenta usufruir dessas teorias, aguarda por resultados de uma necessária Revolução Emocional no mundo das organizações, regada de bom censo e muitas atitudes que realmente possam realmente valer a pena para o progresso significativo daquele que é peça essencial para a operar uma máquina. Referencia Bibliográfica: <https://docs. google. com/a/aedu. com/viewer? a=v OBypmr14MPVQGYZVlZjAWMjUtMZFkZCOOYZEXLWIZWVlJtMZ Acesso em: 17 out. 2011. <https://docs. google. com/a/aedu. commewer? a=v&pid PvQGY2VmYjll >. Acesso em: 17 out. 2011 PLT n 302 autor Idalberto editora Campus – Elsevier capitulo 1

A invenção da infancia

0

Pedagogia 2, 1 c semestre – Polo Itanhaém Natali Garcia Daniotti Matr(cula 217946 Atividade Integrada Módulo 04 De acordo com

Read More

Caso soncreto penal

0

1) Haroldo após longo e exaustivo dia de trabalho ingressa em um ônibus para retornar à sua casa. Em razão

Read More