Enfermagem

Categories: Trabalhos

0

O SIGNIFICADO DA HISTORIA DA ENFERMAGEM PARA OS PROFISSIONAIS ULRICHSEN, Ariana Salles VARGENS, Octavio Muniz da Costa RESUMO Trata-se de um estudo de natureza qualitativa cujo objeto é o significado da história da Enfermagem para os enfermeiros de um Hospital Universitário do Rio de Janeiro. Tem por objetivo compreender o significado da história da Enfermagem e suas influências na vida profissional dos enfermeiros.

Teoricamente, a pesquisa apoiou-se nas concepções de Saupe (1998) e Castro (2004) entre outros pesquisadores brasileiros que abord foi um Hospital Univ foram enfermeiros d oleta de dados fo análise de dados foi f OF19 Swipetoviewne t p de estudo utilizado . Os sujeitos eferido hospital. A vistas abertas. A emáticos, contendo unidades de significado e apoiando-se no método da análise de conteúdo.

Os resultados evidenciaram que os enfermeiros deste hospital, de fato, reconhecem a relevância do conhecimento da história de enfermagem para a sua vida profissional. Assim, o cuidar e a história da enfermagem estão interligados de forma genuína, proporcionando maior dedicação e motivação para as funções assistenciais do enfermeiro. Palavras chaves: história da nfermagem; identidade profissional; imagem da profissão. Create PDF with PDF4CJ.

If you wish to remove this line, please click here to purchase the full version THE MEANING OF NURSING HISTORY FOR THE PROFESSIONALS ABSTRACT This is a study with qualitative approach which object w was the meaning of nursing history for nurses in an Universitary Hospital of Rio de Janeiro. It has as objective to understand the meaning of nursing history and its influences on nurse’s professional lives. The research was supported by the conceptions of Saupe (1998) and Castro (2004), among others Brazilian researchers that approach the sarne thematic.

The field was an Universitary Hospital of Rio de Janeiro. The informants were nurses from different units of the hospital. Data collection was carried on by open interviews. The data analysis was made by thematic grouping, of meaning units according to the content analisis methodology. The results evidenced that nurses at this hospital, in fact, recognize the relevance ofknowing the nursing history for thelr professional lives.

Thus, taking care and the nursing history is linked on a specific way, providing to bigger devotion and motivation for the assistencial functions of nurses. Key Words: history of the nursing; professional identity; image of the profession. Create PDF with PDF4U. If you wish to remove this line, please O SIGNIFICADO DA HISTÓRIA DA ENFERMAGEM PARA OS ULRICHSEN, Ariana salies VARGENS, octavjo Muniz da costa INTRODUÇÃO O cuidar sempre esteve presente na história humana, como forma de viver e de se relacionar.

Nas diversas civilizações, o cuidado tecnológico também se fez presente, porém apresentava-se muitas vezes indiferenciado das práticas de cura. O cuidado nasce de um interesse, de uma responsabilidade, de uma preocupação e de um afeto, o qual geralmente inclui, de aneira implícita, o maternar e o educar 20F Ig preocupação e de um afeto, o qual geralmente inclui, de maneira implícita, o maternar e o educar, que por sua vez, contribui para o crescimento (WALDOW, 1999 p. 89).

Os profissionais da área de saúde, e das demais áreas relacionadas, não fazem a diferenciação quanto a objeto e sujeito do cuidar, mas sim na forma como expressam esse cuidado. Mesmo que o cuidado seja um atributo para todos, os agentes da área de saúde e em especial os enfermeiros detêm de um modo genuíno e peculiar o cuidar em sua formação. Devido ao fato da especificidade do uidado estar direcionado à enfermagem, muitas estudiosas no assunto concordam que o cuidar é a razão existencial da enfermagem (WALDOW, 1995 p. 2). Decidimos dar inno ao presente estudo ao verificar, no estudo de Ética Profissional e História da Enfermagem e no contato com profissionais em nossas atividades práticas em vários hospitais do Rio de Janeiro, a importância do conhecimento da história da profissão, qual o individuo se propôs a seguir. Preocupamo-nos ao constatar que profissionais enfermeiros não reconheciam ou não davam a devida importância à história da sua profissão.

Create PDF With PDF4U. If you wish to remove this line, please Através de nossa vivência, identificamos a seguinte situação problema: Como os enfermeiros de um Hospital Universitário da cidade do Rio de Janeiro avaliam a importância da história da enfermagem em sua vida profissional? Neste trabalho o objetivo foi compreender o significado da história de enfermagem para os enfermeiros.

Esperamos com este estudo contribuir para o debate sobre o ensino da história da enfermagem na graduação 30F Ig Esperamos com este estudo contribuir para o debate sobre o ensino da história da enfermagem na graduação e estimular auto-didatismo nos profissionais de enfermagem que não tiveram oportunidades de conhecer ou conheceram superficialmente a história de sua profissão. REFERENCIAL TEORICO Ao longo da história, embora não existisse a enfermagem como conhecemos hoje, sempre houve pessoas que precisavam de cuidados e cuidadores.

No inicio do cristianismo, com a pregação de princípios como fraternidade, caridade e auto-sacrifício, os agentes de enfermagem, geralmente eram pessoas ligadas à Igreja, os quais acreditavam que atendo aos pobres e enfermos estariam salvando a sua alma (ALMEIDA, 1989 p. 130). As cruzadas, vistas como a expressão máxima do Imperialismo Medieval, trouxeram resultados significativos para a enfermagem como a fundação de hospitais para o atendimento dos peregrinos e o surgimento de ordens militares de enfermagem, as quais vieram reforçar os ideais de ordem, disciplina e obediência daquela prática (ROSEN, 1980 p. 45). Ao final da Idade Média, a enfermagem não estava subordinada, nem relacionada à prática médica, Importava-se com a salvação do paciente e a de seus próprios agentes; a medicina ligava-se ao corpo do doente e à sua doença e estava destinada a curar. O Renascimento, as mudanças na estrutura social, a Reforma e outras, influenciaram o trabalho de enfermagem em relação a seus agentes, que cada vez menos, era exercido pelos religiosos.

Inicia-se a laicização do cuidado de enfermagem (ALMEIDA, 1989 p. 137). create PDF With PDF41J. If you wish to remove thiS line, please click here to purchase the full version Até AGE 4 OF Ig f you wish to remove this line, please click here to purchase the full version Até meados do século XIX, era praticamente nula a assistência aos enfermos nos hospitais, onde a insalubridade aumentava inda mais o número de mortos.

Em 1854, Florence Nightingale seguiu para a Guerra da Criméia, instalando em dois hospitais o seu serviço, prestando atendimento a quatro mil feridos. Florence ficou conhecida como a “Dama da Lamparina”, pois com uma lamparina na mão ela percorria as enfermaria a noite. Com seu trabalho, Florence lançou as bases da enfermagem moderna. Fundou em 1860, a primeira escola de enfermagem do mundo (GOMES, 2004). A primeira escola de enfermagem do Brasil surgiu no final do século XIX no Rio de Janeiro, denominada Escola Alfredo Pinto.

Em 1922 foi fundada a primeira escola de nfermagem do país baseada nos princípios nightingalianos, cujo nome inicial foi Escola de Enfermeiras do Departamento Nacional de Saúde Pública, mudando em 1 926 para Escola Ana Nery, em homenagem à enfermeira brasileira Ana Nery. Esta escola representou um importante marco na história da profissionalização da enfermagem organizada sob parâmetros próprios, produzindo e sistematizando os conhecimentos que embasam suas práticas e criando normas que regulava o exercício da profissao (PIRES, 1989 p. 85).

A década de 70/80 configurou-se como um período de expansão na enfermagem evido a ampliação do número de escolas, a implantação de cursos de pós-graduação que propiciaram “o desenvolvimento de pesquisas, produções técnico-científicas e publicações, que vão finalmente, fazer germinar os aspectos científicos incubados por longos anos” (SAUPÉ, 1998, p. 47). Ass Ig finalmente, fazer germinar os aspectos científicos incubados por longos anos” (SAUPÉ, 1998, p. 47). Assim chegamos ao início do século XXI, com algumas certezas e outras tantas incertezas.

Através dos tempos, do processo de ação e reflexão sempre renovado, temos lutado, procurado o desenvolvimento, buscado autonomia, participado da construção de mudanças, ou seja, a contradição entre progresso e regresso, entre estagnação e avanço tem estado presente na enfermagem. (SAUPE, 1998 p. 53) Desde seus primórdios a enfermagem tem acumulado conhecimentos e técnicas empíricas e hoje desenvolve teorias que se relacionam na tentativa de explicar estes fatos à luz do universo natural. (HORTA, 1979 p. 2) A teona de Florence Nightingale focalizou a mudança e manipulação do ambiente do paciente, para colocá-lo nas melhores condições possíveis para que a natureza agisse. Enfatizou também que as enfermeiras evem aliviar e evitar sofrimento e dor desnecessários. A filosofia de Nightingale lançou os alicerces para outros teóricos da enfermagem e influenciaram-nos. METODÓLOGIA Trata-se de estudo descritivo com abordagem qualitativa. Utilizamos as normas técnicas da ABNT para a formatação deste trabalho de pesquisa.

O campo escolhido foi um Hospital Universitário na cidade do Rio de Janeiro. Os sujeitos foram enfermeiros que trabalham no referido hospital. A questão ética para a realização deste trabalho, envolvendo seres humanos, foi baseada na Resolução no 196/96 do Conselho Nacional de Saúde (BRASIL, 1996). Os entrevistados assinaram um termo de co 6 OF Ig 196/96 do conselho Nacional de saúde (BRASIL, 1996). os entrevistados assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido que continha o tema, os objetivos, a finalidade do estudo, a maneira como a entrevista seria conduzida e o seu destino.

O método escolhido foi a análise de conteúdo, por ser o que melhor atendia às finalidades do estudo, que pretende estudar a realidade e apresentá-la como ela é, conforme proposto por Minayo (1994). Foi utilizada a entrevista enquanto técnica, na modalidade não estruturada ou aberta, onde o nformante aborda livremente o tema proposto. O instrumento de coleta de dados é composto por uma pergunta, que foi respondida livremente. O método da entrevista é uma conversa a dois com propósitos bem definidos, que se caracteriza por uma comunlcaçao verbal e serve como meio de coleta de informações sobre um determinado tema científico.

Podemos obter dados objetivos e subjetivos, que se relacionam com valores, às atitudes e as opiniões dos sujeitos entrevistados. Em geral, elas podem ser estruturadas, semi-estruturadas e não estruturadas, e se aprofundando mais ainda podem ser divididas em discussão de rupo e história de vida (MINAYO, 1994 p. 59). A análise dos dados ocorre de forma simultânea. Os resultados são expressos a partir da identificação de unidades de significado agrupadas em grupos temáticos. Tematizar significa tomar seriamente e estudar de forma sistemática um assunto (BOEMER, 1994 p. 1). Esse tipo de análise se denomina Análise de Conteúdo, que contem duas funções quando se aplica na técnica. análise se denomina Análise de Conteúdo, que contem duas funções quando se aplica na técnica. Segundo Minayo (1 994, p. 74) “uma se refere à verificação de hipóteses elou questões e outra função se refere à descoberta do que está por trás dos conteúdos manifestos”, ou seja, as respostas para as questões formuladas, que procuramos, podem ser encontradas através da análise do conteúdo.

Ambas funções se complementam na prática, que pode ter como princípios os da pesquisa qualitativa e quantitativa. Uma questão que surge aqui é quanto à existência de critérios para determinar o grau de importância e relevância de um tópico. Está implícito que um dos critérios é a freqüência com que uma informação aparece nos discursos. No entender de André (1 983 p. 7), “é possível que os dados contenham aspectos, observações, comentários, características únicas, mas extremamente importantes para uma apreensão do fenômeno estudado”.

Ao final, a essência dos manifestos será apresentada, de modo que a análise do conteúdo seja observada no dia-a-dia prático dos enfermeiros. RESULTADOS Foi possível identificar dez unidades de significado das seis entrevistas realizadas por mim com os enfermeiros de um determinado Hospital Universitário da cidade do Rio de Janeiro. Essas unidades foram agrupadas em quatro categorias. CATEGORIA 1: A história como algo importante para a vida rofissional. ara os entrevistados o conhecimento da história da enfermagem está intimamente ligado à construção de uma identidade profissional e às bases para o cuidar. Desse modo, cada en 80F Ig intimamente ligado à construção de uma identidade profissional e às bases para o cuidar. Desse modo, cada enfermeiro deve conhecer sua história plenamente para que sua própria identidade seja criada. Nessa categoria, encontramos as seguintes unidades de significado: “Importância”, “essência” e “experiência”. Importância: Relevância do conhecimento da história da enfermagem pelos profissionais. Rosa: ” … é essencial pra mim e muito importante pra graduação, porque, meio que, auxilia no entendimento. ” Violeta: “Pra mim, sinceramente, foi importante e continua sendo, mesmo porque, uma vez, um aluno me perguntou, aqui mesmo nesse hospital, perguntou sobre um principio de Florence, de abrir as janelas, sabe, que me removeu pra outro tempo (pausa), lembrou o tempo de faculdade… a Essência: É a característica marcante para a profissão de enfermagem. Camélia: ” .. no fundo, é a nossa essência que se fez presente naquele tempo e deu frutos pro hoje… ” a Experiência: Situações experimentadas que trouxeram um ganho para a vida profissional. Rosa: “… as experiências contadas pelos grandes mitos, personagens, em fim, todas as enfermeiras do passado, da história de enfermagem, me fez refletir e muitas vezes bate com situações que eu VIVO, tipo, com minha experiência própria de vida.. Camélia: “… nossa experiência diz isso. é como que os resultados de toda luta que aconteceu fosse um espelho atual da história da enfermagem, entendeu? ” CATEGORIA 2: O conhecimento História da Enfermagem como sustentação da prática. Create PDF with PDF41J. If you wish to remove this line, A prática do enfermeiro line, please click here to purchase the full version A prática do enfermeiro está embasada em todo um contexto histórico, que o diferencia dos demais profissionais de saúde.

Dentre os próprios enfermeiros, encontram-se diferenças, porque o nível de internalização da história da enfermagem é diferente para cada um. Sendo assim, criam-se identidades específicas, mas que demonstram o conhecimento que eles têm sobre a origem de sua profissão. Destacamos como unidades de significado, “conhecimento” e “motivação”. Conhecimento: Acrescenta significados e definições para serem usados como base de discussão relacionada à profissão. Rosa: “… eio que a história de enfermagem dá um conhecimento a mais pra Vida, percebi isso, principalmente na época que estudava.. ” Camélia: “É único, esse conhecimento serve pra toda vida. (silêncio). É bonito a gente falar de como tudo começou pras pessoas que se interessam pela enfermagem. ” a Motivação: Fonte de inspiração que ajuda na tomada de decisões. Azaléia: “… por exemplo, pra aqueles estudantes de vestibular que não sabem o que querem inda, tipo meu filho, saber sobre a história de cada profissão é uma boa, porque meio que serve como motivação. Violeta: “até pra gente mesmo, que trabalha há anos, lendo ou vendo filmes, imagens, é bom porque estimula, motiva, sabe… ” CATEGORIA 3: O passado explicando as dificuldades do presente. Atualmente, a enfermagem enfrenta muita discriminação, o que é explicada pelo modo e pelas circunstâncias em que ela foi criada. Sendo assim, o conhecimento da história traz uma certa compreensão do que vivemos, o que nos prepara para o enfrentamento coerente de certas situações 0 DF 19

Jogos de empresa na engenharia de produção

0

JOGOS DE EMPRESA NA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO – SQUEEZER CABRAL, Jones Miguell SAIBERT, Francisca Paulal SENS, Fernandal STAHNKE, Rafaell Resumo:

Read More

Contabilidade geral

0

Trabalho de Contabilidade Geral Quais são os livros obrigatórios para escrituração no Brasil, explicando a lei que o regulamenta e

Read More