Espaços para a construção de diálogos interculturais

Categories: Trabalhos

0

FACULADADE INTERNACIONAL DE CURITIBA LILIAN PEREIRA RIJ 562244 TURMA 05/2010 AS AULAS DE HISTÓRIA, GEOGRAFIA ARTE NO ENSINO FUNDAMETAL I: ESPAÇOS PARA A CONSTRUÇÃO DE DIÁLOGOS INTERCULTURAIS METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA METODOLOGIA DO ENSINO DE GEOGRAFIA METODOLOGIA DO ENSINO DE ARTES PESQUISA E PRÁTICA PROFISSIONAL: A AULA 6 CURITIBA Swip page 2010 FACULDADE INTERN ILIANPEREIRA RU 562244 TURMA 05/2010 AS AULAS DE HISTÓRIA, GEOGRAFIA E ARTE NO ENSINO Produção de Aprendizagem apresentada a UTA de Historicidade, no Curso de Pedagogia a Distância da Faculdade Internacional de Curitiba

Tutor Local: Ramolise do Rocio Pieruccinl Centro Associado: Pólo presencial Dr. Pedrosa -lal Studia – Curitiba Artes no Ensino Fundamental l: Espaços para a construção de diálogos interculturais..

O objetivo desta produção de aprendizagem será: a) Definir a interculturalidade e sua relevância em questão das aulas; b) Fazer um percurso histórico das disciplinas estudadas bem como suas tendências: c) Apresentar um panorama das metodologias estudadas e relacioná-lo com o ensino aprendizagem atual no que diz respeito ao Ensino Fundamental d) Relatar algumas reflexões sobre as práticas pedagógicas no nsino dessas metodologias: História, Geografia e Arte.

O trabalho de Produção de Aprendizagem é de suma importância para que o futuro professor analise através daí a importância das metodologias estudadas e reflita qual seu papel em sala de aula colaborando assim para uma melhor compreensão no que diz respeito a diversidade cultural. A metodologia utilizada para a elaboração deste trabalho de PA, foi feita através da leitura dos livros estudados na UTA, pesquisas bibliográficas, leitura de obras de outros autores, anotações feitas durante as tele – aulas, pesquisas de artigos na Internet.

Os conteúdos trabalhados abordarão a definição de interculturalidade, bem como um panorama das disciplinas de História, Geografia e Arte no ensino fundamental I, passando pelo percurso histórico, tendências, metodologias utilizadas para o ensino aprendizagem das disciplinas, bem como o papel importante que cada disciplina tem na vida do educando, será abordado também a diversidade cultural em sala de aula e as reflexões sobre a prática pedagógica. 2.

AS AULAS DE HISTORIA, GEOGRAFIA E ARTE NO ENSINO FUNDAMENTAL 20F sobre a prática pedagógica. FUNDAMENTAL I : ESPAÇOS PARA A CONSTRUÇÃO DE DIÁLOGOS Para que possamos discutir sobre os diálogos interculturais, faz-se necessário saber e compreender o significado do termo intercultural. Segundo Araújo (201 0, pág 73) interculturalidade é: “a maneira de discutir a aula como expressão de múltiplas práticas culturais que acontecem na escola é o pensar na interação na sala de aula”.

No meu ver a autora da a entender que a interculturalidade tem uma forte relação com a educação, na escola faz parte da interação, partilha produção de saberes em relação ás identidades críticas e criativas, fazendo com que essa interação romova um diálogo cultural que coloquem todos que estão inseridos nesse contexto, a interagirem e discutirem entre as culturas. ? possível perceber a interculturalidade na aula quando há um diálogo entre os sujeitos, é uma troca de conhecimentos entre o discente e o docente, onde o que foi planejado sofre mudanças, é uma maneira dialógica de ensinar e esse diálogo trás novas descobertas, conhecimentos e saberes escolares,que vem de encontro com uma nova maneira de como ensinar .

Todo conteúdo que foi mostrado até aqui poderá ser comprovado no decorrer deste trabalho em relação ás disciplinas e História, Geografia e Arte no Ensino Fundamental l, bem como o percurso histórico que as mesmas passaram ao longo do tempo até os dias atuais , mostrando a importância de uma prática pedagógica pensada,discutida e planejada que venha de encontro com as necessidades e a realidade dos alun 30F com as necessidades e a realidade dos alunos.

O importante de tudo isso é a necessidade do diálogo. Diálogo no sentido de recriar as relações de ensino, relações professor e aluno, conhecimento histórico e realidade social, em beneficio da História na formação social e intelectual de indivíduos para que e modo reflexivo e consciente, desenvolvam a compreensão de si, dos outros e de sua inserção em uma sociedade histórica e da responsabilidade de todos na construção de sociedades mais igualitárias, mais justas e mais democráticas. 2. A DISCIPLINA DE HISTORIA NO ENSINO FUNDAMENTAL para que possamos discutir a respeito da disciplina de História no Ensino Fundamental é preciso saber o que vem a ser tempo e memória. Vasconcelos em sua obra cita algumas ideias a fim de que possamos compreender o que vem a ser Tempo. As coisas estão sempre mudando, crianças nascem todos os ias, pessoas envelhecem, cidades são construídas, outras destruídas, muitas coisas se ganham e muitas se perdem, enfim tudo se transforma e com isso vemos o tempo passar, ás vezes mais rapidamente e outras devagar quando pouco se muda. VASCONCELOS 2007, pg 73). Segundo a idéia do autor o tempo está presente na nossa história ela pressupõe a existência de permanências e rupturas, para a compreensão do tempo é necessária várias habilidades que devem ser desenvolvidas pelos alunos em sala de aula,ter noção de medida do tempo associar tempo ao espaço,o quando e o nde,diferenças e semelhanças e para que seja entendido faz -se necessário o uso da necessário o uso da memória. Segundo Vasconcelos (2007 pág, 27). “A memória nos permite perceber não só as mudanças mais também as permanências”.

Nesse pensamento o autor demonstra que a memória e fundamental para a construção das identidades sociais , é um elemento de recuperação histórico que permite encontrar a subjetividade do indivíduo do presente com o passado, é um processo de re-elaboração contínua que permite a transformação histórica,enfim a memória vincula-se a noção do tempo istórico,podendo ser individual coisas que aconteceram em sua vida,memória coletiva,relatado por outras pessoas que vivenciaram o fato e memória histórica que estão ligadas ao passado que fazem parte dos livros e são documentadas.

Fazendo um percurso pela História no me entender devemos nos remeter ao passado e analisar todo o sistema educacional concomnante com os momentos históricos e sociais, visto que ambos são recíprocos e não podemos discutir a educação atendo-se no contexto social. O ensino de história era visto como tradicional, e essa escola clássica tem como princípio o ensino elo professor, enquanto o aluno é um ser passivo,tem suas regras baseadas no autoritarismo e normas rígidas disciplinares.

As aulas eram centradas no professor que por sua vez transmitia seus conhecimentos através de exercícios de fixação. A escola tradicional está viva até hoje se analisarmos alguns métodos utilizados por alguns professores. Em nosso pais a escola tradicional permaneceu por aproximadamente trezentos e oitenta e três anos. Em 1932 iniciou-se um tradicional permaneceu por aproximadamente trezentos e oitenta e três anos.

Em 1 932 iniciou-se um momento de udanças nas tendências de ensino, iniciou-se a escola nova onde o professor não se comporta como transmissor ativo ,mais sim como facilitador de aprendizagem onde o aluno é um ser ativo centro do processo de aprendizagem. Em 1964 surge a escola tecnicista um modelo americano é instituído no país, o professor é um técnico com eficiência e eficácia, e o aluno um elemento para quem o material é preparado o que impede-o de criar,pensar e expor sua expressão dialética.

Em 1983 inicia-se a escola critica onde o professor é o educandos que direciona a forma de aprendizagem com participação concreta do aluno. Enquanto na escola tradicional o aluno apenas ouvia e obedecia, na escola atual essa realidade já se faz diferente, o aluno passa a ser ativo e começa a construir seu conhecimento a partir do que é ensinado e dialogado em sala de aula, e isso só é possível se o professor se colocar também como aprendiz no que diz respeito a aprendizagem,tentando levar para sala de aula conteudos que desperte o interesse do aluno, que o coloque a interagir,discutir e vivenciar tudo que lhe é transmitido.

O professor deve favorecer o acesso a documentos oficiais, reportagens de jornais e revistas e a outras fontes. O contato com essa diversidade leva o estudante a ter uma visão ampla e integrada da história. Além de textos, é recomendável que a turma consulte sites confiáveis, assista a filmes e documentários, visite museus e entreviste os atores que vivenciaram os acontecimentos estudados. É impor 6 OF documentários, Visite museus e entreviste os atores que vivenciaram os acontecimentos estudados. ? importante para que o aluno entenda que a História não é um campo neutro e sim um campo de pesquisa e produção do saber e que seu principal objetivo é interpretar e compreender as várias versões o fato e não apenas memorizá — lo beneficiando a formação social e intelectual de indivíduos para que de modo reflexivo e consciente. 2. 2 A DISCIPLINA DE GEOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL I Para que possamos entender melhor a Geografia é preciso saber o que vem a ser espaço geográfico.

Segundo o autor (Fantin, pág 21 2010). “A geografia estuda o espaço geografico em qualquer escala local, regional,nacional e global”. Nessa perspectiva pensar sobre essas noções de espaço geográfico como sendo toda região de espaço físico do planeta. para geografia o espaço são as paisagens, as relações que se stabelecem entre as pessoas (sociais, econômicas, políticas, etc. ), as relações entre as pessoas e a natureza, e as próprias pessoas.

Esse espaço é chamado de espaço geográfico, onde historicamente produzido pelo homem, enquanto organiza econômico e socialmente a sociedade, assim o homem é visto como construtor do espaço geográfico acompanhando assim as transformações que passa ao longo dos tempos sendo essas transformações na região numa visão global ou nacional. A área de conhecimento “Geografia” tem um papel específico no currículo de nossas escolas: esse papel justifica – se a partir as necessidades que regem a Vida do aluno como cidadão no conhecimento da realidade social. ecessidades que regem a vida do aluno como cidadão no conhecimento da realidade social. A compreensão dessa realidade passa pelos conhecimentos geográficos que possibilitam o reconhecimento de sua inserção em uma determinada organização social que dá o sentimento de pertencer e compreender os mecanismos de poder que regem e orientam uma organização, criando — se assim o conhecimento da organização social que tem uma dimensão de passado, presente e futuro.

O conhecimento da realidade passa pela reflexão do onhecimento vivido e experimentado e é organizado e ampliado pela saber objetivo. Ao começar ensinar Geografia o professor deve pensar, que está mostrando um universo vasto de informações ao educando, e o mesmo irá utiliza — la no seu dia- a dia.

O ensino da Geografia nas séries iniciais do Ensino Fundamental deve proporcionar ao aluno uma compreensão mais ampla da realidade geográfica, possibilitando dessa forma uma atuação com maior consciência em relação a natureza e o meio ambiente Esse objetivo da Geografia pode ser traduzido no conhecimento e na ompreensão da noção de paisagem, de território e de lugar com base na leitura do espaço geográfico, nos seus diversos aspectos: clima, relevo, hidrografia,fauna, vegetação, espaço natural e espaço construído.

A Geografia antes de ser uma ciência como as demais já era evidenciada nos próprios hábitos da prática humana. Em meados do século xx a geografia caracterizava-se por uma ciência 80F prática humana. Em meados do século xx a geografia caracterizava-se por uma ciência autônoma e sucessivamente como disciplina acadêmica, as primeiras correntes de pensamentos geográficos surgiram na Alemanha e França.

Essa fase da Geografia marca a primeira metade do século xx, quando a ciência passa a ser estudada nas instituições educacionais, isto é a geografia tradicional, que preocupasse em descrever fenômenos como estáticos e fracionados sem perceber as relações existentes no melo.

Mas a Geografia, assim como as outras ciências não é estática e se desenvolve a partir dos seus objetos e estes interagem entre si e estão presentes no espaço. O capitalismo assume um papel importante de destaque no pensamento geográfico e encontra novas vertentes, é o ponto de partida de uma geografia que deixa e ser uma ciência pronta e fragmentada e passa a ter um olhar critico e renovador.

A Geografia crítica é a grande expressão do rompimento com a Geografia Tradicional, memorizada e mecanizada, rompe se o método tradicional positivista e surge a nova Geografia com novas maneiras e tendências de ensino, conclui – se que a ciência já percorreu várias etapas, rompimentos de paradigmas e renovando seu caráter tradicional para renovado fazendo – se com que muitos profissionais trabalhem para a transformação desta nova maneira de ensinar Geografia.

Para que essas transformações aconteçam faz – se necessário ue o professor reflita sobre sua prática pedagógica, bem como suas metodologias no que diz respeito ao ensino de Geografia, utilize – se de metodologias de ensino que consigam inserir o aluno no ensino de Geografia, utilize – se de metodologias de ensino que consigam inserir o aluno no seu contexto social através de diálogos abertos, isso irá tornar o ensino de Geografia algo produtivo ligado com os pensamentos e inovações do mundo moderno no qual nossos educandos estão inseridos.

O importante é sair do monótono e repetitivo com teorias prontas e acabadas, dando espaço ao diálogo e á construção de onhecimento em conjunto entre professor e aluno, dinamizando novos melos de compreender os assuntos a serem ensinados.

Atualmente os professores e as escolas estão deixando de “lado”, fatos e fatores importantes na construção do saber, quanto ao ensino da Geografia, após a implantação de uma nova visão de educação, o construtivismo, o método tradicional de ensino no qual forçava o aluno à “decorar”, foi deixado para trás dando assim mais autonomia ao aluno, dentro do campo da Geografia não foi diferente, o que antigamente era considerada uma matéria totalmente teórica, agora já está mais participativa e stimulativa.

Devemos hoje apresentar ao aluno uma nova Geografia mais atrativa, proporcionando-lhe um maior contato com o mundo em que vive, através de demonstrações que estimule a curiosidade do educando. A demonstração de mapas e gráficos ainda é essencial no aprendizado do aluno já que a Geografia é ciência que estuda o espaço geográfico, mostrando – lhe uma gama de informações na qual o aluno se sinta parte deste “espaço”. O estudo dos climas, dos solos, das vegetações, são assuntos que devem ter um enfoque no ensino de Geografia. A Geografia se faz importante na vida 0 DF 16

Economia-regras para trabalhos academicos

0

ORIETAÇAO PARA A FORMAÇÃO DO CONTEÚDO REFERENTE AO DISCIPLINA: Economia e Mercado 1. É um trabalho acadêmico, portanto, deverá conter

Read More

Sistema de administração de sindicatos

0

3 METODOLOGIA APLICADA 3. 1 ANALISE ORIENTADA A OBJETOS A proposta da orientação a objetos é permitir que os programadores

Read More