História “uniformes de enfermagem”

Categories: Trabalhos

0

Unip – Universidade Paulista Santos – Campus Rangel Fundamentos da História da Enfermagem. Professora: Elizete R. Antonio 10 Semestre/2012 Componentes: Danielle Barros Danielle Moraes Maria Ilma Roberta Leal Sandra Lino Tatiane Cristina Thaysa Grego Introdução org to view nut*ge Este trabalho tem a função de demonstrar as épocas em que cada uniforme surgiu e como eram cada um deles.

Ele explica o início da história da enfermagem bem como a sua evolução desde os uniformes até atuação de cada profissional dentro da área da saúde desde o início dos tempos. História do uso dos Uniformes. A enfermagem surgiu em meados do século XIX, desde então foi criado o uso de uniformes pelos profissionais da área. O uniforme foi inicialmente colocado como símbolo de moral e sempre foi censurado, mas após o surgimento das escolas de enfermagem eles eram diferenciados para denominar as posições hierárquicas. oupas foram usadas por elas por muitos anos era a roupa que as identificavam dentre a multidão 2 – Florence Nightingale Enfermeira inglesa nascida na cidade italiana de Florença, onde sua família, de origem inglesa, residia temporariamente, que com seu trabalho lançou as bases dos modernos serviços de nfermagem, ganhando fama, portanto, como fundadora da profissão de enfermeira e como reformadora do sistema de saúde. Sempre interessada pela enfermagem, durante a guerra da Criméia (1 854-1856), integrou o corpo de enfermagem britânico como enfermeira-chefe do exército, em Scutari, Turquia.

Envolveu de um lado a Rússia e, de outro, uma coligação integrada pelo Reino Unido, França, Piemonte-Sardenha (na atual Itália) A intenção da união foi intervir no crescimento da Rússia A guerra chegou ao fim com a assinatura do tratado de Paris de 30 de março de 1856Durante a guerra constatou que a falta de igiene e as doenças matavam grande numero de soldados hospitalizados por ferimentos. Assim desenvolveu um trabalho de assistência aos enfermos e de organização da infra-estrutura hospitalar que a tornou conhecida em toda a frente de batalha, consagrando a assistência aos enfermos em hospitais de campanha.

Antes desta data, só existiam as irmãs de caridade, que auxiliavam no tratamento das feridas, mas sem nada espec[fico e com tanta observação. Florence reuniu um grupo de 38 voluntárias, para a se aliar a ela na guerra para auxiliar no tratamento dos feridos. 2. 1 -Uniforme Naquela época não existiam uniformes específicos, porém, Florence determinou que todas deveriam usar um avental a frente dos vestidos e manter os cabelos presos. 3- Anna Nerv PAGFarl(Fq usar um avental a frente dos vestidos e manter os cabelos presos. – Anna Nery Enfermagem no Brasil Ana Neri foi casada com o capitão da fragata, Isidoro Antonio Neri que faleceu 1814, deixando a esposa e seus 3(três) filhos. Dois dos filhos de Ana Neri eram médicos e o outro cadete. Nossa época, os Filhos de Ana Nery foram convocados para a guerra, porém como ela estava viúva resolveu ir junto e ficar o Hospital do Rio Grande do Sul para ajudar a cuidar dos feridos. A enfermagem no Brasil, surgiu em meados de 1864, com o início da guerra do Paraguai, onde Ana Neri atuou ao lado dos filhos e irmãos de seu falecido esposo.

A primeira escola oficial de enfermagem de alto padrão no Brasil, foi fundada por Carlos Chagas em 1923 e recebeu o nome de Anna Nery, em homenagem a “Primeira Enfermeira Brasileira” que serviu como voluntária na Guerra do Paraguai. 3. 1 – Uniforme Anna Nery Logo ao iniciar a função, Ana Nery determinou que todos os voluntários iriam usar um vestido à altura dos joelhos, com apatos branco um capote com um único, botão para os dias de frio e também uma touca/chapéu na cabeça. – Escolas de Enfermagem A Fundaçao da Primeira Escola de Enfermagem. Após a guerra em 1859, Florence fundou uma escola de Enfermagem o Hospital Saint Thomas, que passou a servir de modelo para as demais escolas que foram fundadas posteriormente. O surgimento da Escola de enfermagem no Brasil foi em 1923 , foi fundada por Ana nery a pioneira da enfermagem no brasil. 4. 1 Uniforme das Escolas. PAGF3rl(Fq por Ana nery a pioneira da enfermagem no brasil.

Os uniformes de ambas as escolas eram na cor branca que imbolizava higiene, eram vestidos como os das universidades, só que as auxiliares e técnicas de enfermagem nao usavam o chapéu para poder distinguir hierarquicamente as funções. 5 – As Voluntárias O início da atuação em saúde das Voluntárias era praticado por religiosas, vindas geralmente da Europa para se ocupar dos doentes e preparar pessoal para exercer essa arte no pais. O paradgma da Enfermagem Cristã enfatizava no desempenho profissional os valores, a luta por remuneração digna, condições ambientais de trabalho adequadas e inserção na vida social e política. . – O uniforme das Voluntárias Elas tinham o costume de usar batas longas brancas com aventais a frente e uma touca cumprida na que terminava na altura do cotovelo, usavam sapatos de pano brancos e mantinham sempre os cabelos preso. 6 Cruz Vermelha Em 1863 surgiu a Cruz Vermelha, que era um grupo de mulheres que resgatavam os feridos na guerra e levavam os para locais longe das zonas de guerra para serem tratados. As “Damas da Cruz Vermelha Brasileira”, comitê criado por um grupo de senhoras da sociedade carioca, deu origem à Seção Feminina, que teria como primeira tarefa, a formação do corpo e Enfermeiras voluntárias.

A semente assm plantada frutlficaria e, para permitir o funcionamento de outros cursos sugeridos pela Seção Feminina, foi criada e inaugurada, em março de 1916, a Escola Pratica de Enfermagem, sob a eficiente direção do Dr. Getúlio dos Santos, na época Ca itão Medico do E-xército. Com a declaração de guerra direção do Dr. Getúlio dos Santos, na época Capitão Medico do Exército. Com a declaração de guerra do Brasil aos Impérios Centrais (Alemanha e seus aliados), a Sociedade expandir-se-ia com intensificação dos Cursos de Enfermagem e com a criação de iliais estaduais e municipais, cabendo a São Paulo a primazia 6. – Inclusão do Símbolo da Cruz Vermelha Já no século 19 as roupas mantiveram-se bem semelhantes, porém com o símbolo da cruz vermelha na roupa dos enfermeiros renomados ou como chamados “Enfermeiro Padrão” Um dos tipos e estilos de uniformes usados pelas enfermeiras, que são reveladores da indumentária usada pelas brasileiras nos anos da partlcipação do Brasil no conflito mundlal, foi publicada pela Revista ‘O Cruzeiro’ em 1 944, com a seguinte identificação: “as enfermeiras da Cruz Vermelha Brasileira om seus uniformes de trabalho, desfilando pela Avenida Rio Branco, sob aplausos incessantes de uma grande multidão” Em 1944, ocasião do desfile e data do fragmento visual, objeto de nossa análise, as enfermeiras que desfilaram eram aquelas que estavam sendo preparadas pelo Exército. Portanto, trata- se de enfermeiras que haviam sido submetidas ao processo de seleção realizado pelo governo brasileiro para a formação do quadro de enfermeiras que seguiram para o front. Quanto à indumentária, as enfermeiras usavam roupas que, seguindo a tendência das cores empregadas pela enfermagem esde a década de 1920, era provavelmente branco, com corte acinturado, saia meio franzida, com bolsos. Quanto ao tipo de corte da r branco, com corte acinturado, saia meio franzida, com bolsos. Quanto ao tipo de corte da roupa, as golas fechavam bem próximo do pescoço e tinham mangas curtas.

Os sapatos eram baixos da mesma cor do vestido o “branco”. Na cabeça, elas trazem as toucas/chapéu, prendendo os cabelos, um complemento que marcou a história da indumentária da enfermagem O exame da fotografia, feita à guisa de balanço sobre o que podemos denominar como história da moda da enfermagem, os possibilita afirmar que o uniforme seguia a tendência dos anos 1940. No entanto, é possível verificarmos, por melo de alguns detalhes, como as mangas curtas, uma adaptação do uniforme ao clima brasileiro. Foi no Rio de Janeiro que as enfermeiras foram preparadas e o clima da cidade parece ter sido decisivo na definição das mangas curtas dos uniformes.

Esse uniforme, ao ser ostentado pelas enfermeiras em uma solenidade, um desfile cívico patriótico na Avenida Rio Branco, publicada na Revista ‘O Cruzeiro’, traz consigo sinais importantes das concepções que orientaram a formação das enfermeiras que eviam guiar seu uso. 7 – Milltares Primeiras Enfermeiras se apresentam ao General Foi desta forma que a mulher brasileira, conscientizada de que a defesa do território pátrio não é missão exclusiva do sexo masculino, com o romper da contenda procurou uma forma de ajudar e revidar as afrontas recebidas. A forma encontrada, face ao machismo da época, foi acorrer às escolas de enfermagem. O quadro de enfermeiras militares foi PAGFsrl(Fq da época, foi acorrer às escolas de enfermagem.

O quadro de enfermeiras militares foi criado, na realidade, por imposição dos estadunidenses. Não pensavam os dirigentes militares da época em incorporar mulheres, tanto assim que quando uma dessas enfermeiras se apresentou, a 18 de abril de 1943, o Coronel Emanuel Marques Porto, ao receber-la no gabinete do Diretor de Saúde, ficou surpreso e comentou: “-Mas o Brasil não vai para a guerra, como é que você quer ir? Olhe, minha cara, o m[nimo que você tem é febre cerebral”. Mas ela não tinha outra febre, senão a de revidar a afronta que o Brasil estava sofrendo e de defender a sua PÁTRIA. E o Brasil foi para a guerra e, melhor, FOI E VENCEU. O machismo brasileiro imperou acima de tudo. imeiro, não queriam organizar o Corpo Auxiliar Feminino, depois teve de fazê-lo, mas não queriam dar posto militar e, por isso, criaram um complicado esquema para o quadro feminino. Para a criação do contingente feminino, procurou primeiro o Exército entrar em ligação com a diretora da principal escola de enfermeiras, para que ela indicasse as que poderiam formar o quadro militar; entretanto, a diretora primeiro quis saber: “Quanto vão ganhar as enfermeiras? ‘ , e ao saber que o soldo sena de Terceiro-sargento, ou seja, de 520$000 — quinhentos e vinte mil réis -, respondeu que as enfermeiras de sua scola não se sujeitavam a ganhar uma quantia tão ridícula. Assim sendo, o Exército decidiu abrir um voluntariado, a fim de recrutar as enfermeiras. O quadro recrutar as enfermeiras.

O quadro de enfermeiras da resen. ‘a do Exército foi criado pelo Decreto-lei 6. 09713 de dezembro de 1943. 7. 1 — As Fases da Guerra: Separada em duas Épocas: 7. 1. 1-Primeira Guerra Mundial Durante a primeira guerra mundial, a cruz vermelha atuava com um numero pequeno profissionais ligados por conta de uma crise que houve, então foi passado a ser recrutados para o cargo os próprios militares que já haviam se recuperado. Todos aprendiam as funções e auxiliavam como podiam. 7. 1. 2 – Segunda Guerra Mundial. Neste período foram recrutadas ao exército mulheres que já haviam realizado o curso para estar ajudando a cuidar dos feridos. ambém alguns militares que ficaram junto das tendas, cuidados para auxiliar em tudo que era necessário. 7. 2-Uniforme. Durante a primeira guerra mundial o uniforme usado era o da cruz vermelha e os que auxiliavam usavam o uniforme do exercito. Já durante a segunda guerra foi aderido a todos o uso do uniforme militar com o símbolo da cruz vermelha para identificar quem auxiliava aos feridos. – Surgimento do Ensino Superior Em meados de 1968 foi aceito a implantação da Enfermagem como ensino superior que logo começou a ter um ótimo número de busca pelas moças que terminavam o ensino médio. PAGF8rl(Fq A enfermagem na época não era uma área que tinha alta remuneração, porém era multo bem visto pela sociedade.

Logo no início do curso somente mulheres faziam a faculdade os homens que atuavam na área atuavam como ajudantes, mas não com a mesma formação. 8. 1 – Uniformes O uniforme usado pelas alunas da época eram roupas que não mostravam muitas curvas do corpo, pois tinham que ser onservadoras. Os uniformes eram vestidos usados na altura dos joelhos, e junto ao vestido era fixado um avental de frente única. Todas usavam sapatos de pano brancos e um chapéu com abas na cor branca. 9 – Enfermagem Atual (Uniforme) Atualmente o uniforme do enfermeiro é escolhido pela instituição onde o profissional trabalha, em alguns locais não é obrigatório o uniforme somente o jaleco branco de manga comprida e sapato branco fechado.

O CORE-N proibiu o uso de adereço pelos profissionais da área, é proibido o uso de esmaltes de cor forte, estritamente necessário uso de cabelos presos principalmente dentro de centro cirurgicos. Conclusão A enfermagem transcendeu várias épocas rompeu muitos preconceitos e continua trabalhando para cada dia crescer mais no cenário internacional,nacional. Enfermagem profissão que nasceu a partir do cuidar da mulher, desde que a mesma sentiu a necessidade de desenvolver esta atividade. Hoje a enfermagem não é só das mulheres mals de todos aqueles que abraçam esta profissão, mulheres e homens capazes de cuidar de pessoas nas suas necessidades básicas. Bibliografia (Fonte): PAGFgrl(Fq

Gestão ambiental no município

0

[pic] Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba Departamento de Licenciamento Ambiental e Urbanismo Secretaria de Governo e Integração Secretário: Arthur Ferreira dos

Read More

Santo agostinho

0

Também Alberto , filho da nobre família de duques de Bollstádt (1207-1280), abandonou o mundo e entrou na ordem dominicana.

Read More