O campo de atuação do administrador de empresa

Categories: Trabalhos

0

“0 CAMPO DE ATUAÇAO DO ADMINISTRADOR DE EMPRESAS” RESUMO Este artigo objetivou levantar alguns aspectos do campo de atuação do Administrador de Empresas, como as exigências do mercado de trabalho para o Administrador profissional, bem como as bases da empregabilidade e os novos campos de atuação, que exigem competências e habilidades para o desempenho de sua carreira.

Devido à globalização da economia, as empresas buscam profissionais que possam ajudá-las a vencer as dificuldades inerentes às mudanças do mercado interno e ‘Vipe view next page mundial, que possam OFII sua capacidade de to r ua capacidade empr nded um bom profissional relaçoes econômicas contínuo e o autodesenvolvimento. PALAVRAS-CHAVE: ca acidade de liderança, de oportunidade e terística básica de com a realidade das ndo o aprendizado Administração – Administrador de Empresas – Empregabilidade – Mercado de trabalho.

INTRODUÇÃO As empresas buscam oportunidades e soluções criativas, para atender a demanda do mercado e dos desafios da globalização, criando oportunidade para os administradores profissionais com novas áreas de atuação, visando vencer as dificuldades organizacionais. Para isso, procuram administradores capazes audaciosos e que permitam manter a empresa no mercado. O desenvolvimento e a continuidade de sua carreira com aprendizado contínuo, é condição indispensável para o aperfeiçoando de suas capacidades e habilidades profissionais.

A empregabilidade é outro fator importante para orientar os profissionais que desempenham suas atividades, não descuidando de seu desenvolvimento profissional e intelectual. Os seis pilares da empregabilidade citados por Minarelli, 1995, definem a manutenção do emprego, bem como o autodesenvolvimento contribui para evitar a obsolescência. Os novos campos de atuação do profissional de Administração, stão criando oportunidades e desafios constantes aos egressos da graduação em administração, com uma infinidade de opções.

O mercado de trabalho procura executivos em que três habilidades são essenciais: Capacidade Estratégica; visão totalmente voltada para o mercado e foco no cliente. Os novos atributos exigidos dos executivos também são fatores primordiais, para a garantia de uma carreira de sucesso nas organizaçoes. As Exigências do Mercado de Trabalho Brasileiro A competitividade acirrada tem levado as empresas à busca de soluções criativas para atenderem a demanda do mercado, azendo com que procurem administradores capazes e audaciosos sem medo de correr riscos na conquista dos clientes e que permita manter a empresa no mercado.

Com a globalização, o processo de mudança das empresas no ambiente em que atuam leva a exigência de um novo padrão de comportamento de seus executivos. As empresas buscam no mercado, profissionais que possam agregar sua capacidade de liderança, sua capacidade de tomar iniciativa, sua visão de oportunidade, sua capacidade empreendedora, para ajudá-las a vencer as dificuldades inerentes às mudanças do mercado interno e mundial (FIGUEIREDO, 1997).

Os Administradores profissionais procurados pelas empresas precisam ter criatividade, para enfrentar situações sempre novas e atingir resultados e que encontrem oportunidades de desenvolvimento do negócio. Portanto, são necessárias características inovadoras com habilidade e competência administrativa 20F administrativas para gerir os novos rumos das empresas. O mercado entende que o conhecimento técnico pode ser tomado de especialistas a qualquer momento, sendo que a competência administrativa não.

As habilidades possuem importância relativa, porém é na vontade de aprender, na inteligência, no perfil essoal do executivo que a empresa consolidará seu futuro, desenvolvendo a capacidade de raciocinar estrategicamente, analisando o mercado e as alternativas de negócio. É importante que o profissional de Administração de Empresas, busque o desenvolvimento e a continuidade de sua carreira com aprendizado contínuo e para isso, deverá ser um generalista aperfeiçoando suas capacidades e habilidades profissionais.

O mercado no Brasil e no mundo, tem se diversificado e, hoje, um executivo bem preparado tem sua empregabilidade garantida, pois investiu na sua capacitação profissional mantendo-se tualizado e atuante diante dos desafios da globalização (BASSI, 1997). “A globalização não é apenas um fenômeno empresarial e do capital, mas também um desafio e uma oportunidade individual” (FRANCO, 1999 p. 40). A velocidade da circulação da informação está obrigando os Administradores a adotarem novos perfis frente às suas organizações, passando de controladores a executores de ações tornando as empresas competitivas.

A qualidade dentro das empresas, não é mais um diferencial e sim uma necessidade, buscando atingir os mais variados tipos de consumidores com a presença marcante em nosso cotidiano. Os cursos de Administração ofertados pelo mercado universitário devem ser flexíveis diante da realidade que se observa, estando em constante aperfeiçoamento, buscando desenvolver as aptidões necessárias, para propiciarem uma boa formação aos futuros Administradores, que estarão à frente das organizações nos próximos anos (MARTINEITI FILHO, 2000).

As As Bases da Empregabilidade e o Autodesenvolvimento José Augusto Minarelli, conselheiro profissional e pedagogo pela USP com especialização em Orientação Educacional e Profissional desenvolveu carreira em seleção, treinamento e desenvolvimento e Recursos Humanos destaca em seu livro “Empregabilidade” de 1995, os seis pilares da empregabilidade, os quais descreveremos no QUADRO 1 de forma sintética, constituindo-se no processo auto-instrutivo de como ter trabalho e remuneração sempre: Quadro 1 – Os seis Pilares da Empregabilidade 10.

Adequação Vocacional, para ter motivação e prazer no trabalho é preciso estar na profissão certa; diz respeito às aptidões, seus interesses e suas possibilidades. 20. Competência profissional é sinônimo de capacitação profissional, com ela você compete no mercado de trabalho; a competência compreende os conhecimentos adquiridos, as abilidades físicas e mentais, o jeito de atuar e a experiência. É desenvolvida pela formação escolar, pelos treinamentos recebidos, pelo autodidatismo e pela vivência cotidiana.

Neste início de século, vivemos num mundo de mudanças frenéticas, de continua superação tecnológica e de obsolescência planificada. O mundo exige atualização constante e rápida, para atender as necessidades do mercado, quem descuida de sua qualificação e atualização perde a atratividade, torna-se um profissional de segunda. Grande parte dos demitidos é de pessoas que se acomodaram em seus empregos. São pessoas honestas, trabalhadoras, mas que pararam e foram descendo lentamente levadas pela “escada rolante”, quando perceberam estavam na base ou fora dela. 30. Idoneidade é um pilar que sust 40F 30.

Idoneidade é um pilar que sustenta o profissional na empregabilidade. Diz respeito ao profissional idôneo correto, honesto, que conduz sua vida e seu trabalho dentro de princípios legais e éticos, tem a seu favor a consideração, o apreço, a admiração e a confiança das pessoas. 40. Saúde F[sica e Mental, cuidar da saúde é buscar continuamente o equilíbrio entre o trabalho e o lazer, entre a brigação e a diversão, entre o papel profissional e os demais papéis que desempenhamos na vida. Quem apenas trabalha não tem tempo nem ânimo para desempenhar os outros papéis.

Caminhadas regulares e exercicios que renovem o estoque de energia são imprescindíveis, pois, além da energia necessária do dia-a-dia, será necessário enfrentar períodos de maior desgaste. Daí a necessidade do condicionamento físico, que aumenta a resistência, a força muscular e os estoques de energia do corpo. 50. Reserva Financeira e Fontes Alternativas, a perda do emprego significa perda da receita mensal e para atualização rofissional, para cuidar da saúde, encontrar tempo e espaço para fazer exercícios ou para promover o lazer, tirar férias, viajar, é necessário dinheiro.

Um dinheiro que não está mais entrando, logo todos precisam de uma reserva, seja para emergências ou para o período pós-demissão. Essa reserva tem que ser feita mês a mês, com persistência e sacrifício. Esta reserva é mais um dos pilares que garantirão sua empregabilidade. 60 Relacionamentos, este é o último dos pilares da empregabilidade, que em conjunto com os outros cinco funcionam em harmonia. Quem conhece pessoas adquire nformações e quem tem informações tem acesso. Acesso e informações são a garantia de um diálogo mais produtivo e informações tem acesso.

Acesso e informações são a garantia de um diálogo mais produtivo e de provável negócio. Os relacionamentos são potencializados quando a pessoa mostra-se solidária, atenciosa e prestativa. Assim procedendo, pode valer- se deles sempre que for necessário. Um profissional disponível, um prestador de serdiços, precisa se expor, falar de seu trabalho. Se não fizer isso, como os outros descobrirão sua disponibilidade? No caso de demissão, mantenha contato com quem você se elaciona profissionalmente, para que não esqueçam de você.

Fonte: MINARELLI, 1995 Os Pilares da Empregabilidade descritos no QUADRO 1 são importantes para orientar os profissionais que desempenham suas atividades normais e os que descuidam de seu desenvolvimento profissional e intelectual. O Autodesenvolvimento O Caçador de Talentos (headhunter) Simon Franco tem 30 anos de experiência no mercado brasileiro e internacional. No seu livro “Criando o Próprio Futuro” (FRANCO, 1999), traz uma visão baseada em exemplos tirados do mercado brasileiro. O autor busca estimular pessoas e empresas a uma atuação transformadora e competitiva.

O autodesenvolvimento é a única forma de combater a obsolescência, cujo conceito fundamental inclui duas frentes. A primeira é a aquisição de conhecimentos e capacidades direta ou indiretamente aplicáveis ao trabalho. A segunda é a forma de agir, a forma de ser, as características pessoais. As avaliações incluem aspectos complementares medidos por um conjunto básico de critérios. É preciso saber, que cada profissional está submetido a uma constante avaliação. Há fatores, que definem o bom profissional e servem para definir a manutenção do emprego conforme QUADRO 2.

Quadro 2 – Os dez mandamentos do autodesenvolvimento 0. Apresentação pessoal, uma aparência agradável predispõe as outras pessoas a confiarem em v Apresentação pessoal, uma aparência agradável predispõe as outras pessoas a confiarem em você e facilita a comunicação; 20. Facilidade de relacionamento é necessário criar um ambiente de harmonia durante as atividades profissionais, o trabalho é uma situação de relacionamento social e precisa funcionar bem, para que todos possam desenvolver as atividades com maior produtividade; 30.

Facilidade de comunicação verbal, você precisa ser capaz de se comunicar adequadamente com qualquer pessoa, ompreendendo as solicitações e fornecendo respostas claras, isto permite que os problemas tenham soluções rápidas; 40. Rapidez de raciocínio e decisão não é elemento isolado, mas parte de uma estrutura que depende de seu desempenho pessoal para funcionar. Uma decisão adiada pode colocar em dificuldades outros setores da empresa; 50.

Criatividade é um dos principais pontos de diferenciação, se você está fazendo as mesmas coisas há vários meses, pode estar sendo incapaz de dar contribuições para melhoria do trabalho; 60. Liderança torna-se a cada dia mais importante e não se restringe às chefias. A liderança pertence a quem deve tomar uma decisão; 70. Capacidade de observação, chamada de visão crítica, deve ter observação completa dos processos e contribuir para o aprimoramento das tarefas; 80.

Capacidade de persuasão é a capacidade de convencer os outros acerca de seus pontos de vista, esteja bem fundamentado e poderá interferir positivamente na organização do trabalho; 90. Determina do trabalho; 90. Determinação, quanto mais for capaz de resolver problemas e propor soluções, mais importante você vai se tornar dentro da empresa; e 100. Resistência emocional é manter o equilibrio emocional nas ituações profissionais, incorporar emocionalmente os desafios que tem que enfrentar no trabalho.

As resistências não podem gerar frustração nem conflitos emocionais, sob o risco de comprometer o próprio desenvolvimento. ponte: FRANCO, 1999 pp. 30-32 Esses dez de avaliação privilegiam mais a disposição e habilidades pessoais do que a aquisição de conhecimentos especializados. Portanto, o novo perfil do profissional de Administração exigido pelo mercado brasileiro, segue a tendência de adoção dos mandamentos do autodesenvolvimento. Novos Campos de Atuação do Administrador

As duas últimas décadas deste século estão sendo marcadas pelos avanços na área de tecnologia e pelo acirramento da competição entre as organizações. Como conseqüência, o mundo está vivendo uma profunda transformação nas relações do trabalho, com a diminuição da oferta de empregos e, em alguns casos, com a terceirização de postos de trabalho. No Brasil, esta tendência consolidou-se a partir dos anos 90. O Conselho Regional de Administração de São Paulo acompanhou a evolução do mercado e vem atuando de forma sistemática na identificação de novos campos de atuação para o Administrador profissional.

Outras Habilitações surgidas para os Cursos de Administração: Franchising, Administração Esportiva, Comércio Exterior e ogística, Teletrabalho, Mediação e Arbitragem, Administração do Conhecimento, Administração da Saúde, Administração Cultural, conforme QUADRO 3. Quadro 3 – Principais Habilita ões do Curso de Administração: Administração Curso de Administração: Administração Rural Administração Geral I Administração Pública Administração Bancária Administração de Cidades Administração da Produção I Administração de Empresas I Administração de Negócios I Administração de Serviços I

Administração Hospitalar I Administração Financeira I Administração Hoteleira Administração Industrial Administração Patrimonial Administração Mercadológica Administração de Transportes Administração de Cooperativas Administração de Sistemas de Saúde I Administração de Recursos Humanos Administração de Sistemas de Informação Administração de Micro e Pequena Empresa I Auditoria I Marketing Controladoria Gestão Ambiental Comércio Exterior Análise de Sistemas Ciências Gerenciais Relações Internacionais Negócios Agroindustriais Tecnologia da Informação Comportamento Organizacional I onte: seminário da CEEA Industrial aquilo que o computador vem sendo para a Revolução da Informação: seu gatilho e, sobretudo seu símbolo. Com a rápida expansão das telecomunicações no Brasil, após a privatização de várias estatais, com o advento do uso da Internet e a criação das empresas digitais, vivemos um cenário de aparente escassez de talentos qualificados, em uma área totalmente nova. Simplesmente, não há profissionais formados ou são jovens demais.

O domínio técnico já não é o mais importante, agora o mercado procura executivos em que três habilidades são essenciais: Capacidade Estratégica; visão tributos exigidos dos executivos segundo o artigo publicado na revista Exame, Mar/2000 (Painel Executivo, p. 1 62), são conforme QUADRO 4: Quadro 4 – Atributos Exigidos dos Executivos no mercado de trabalho 1. ter visão global dos negócios; 2. pensar com a cabeça do cliente; 3. antever o futuro sem perder o chão; 4. ser totalmente aberto para mudanças; 5. ser rápido para se adaptar; 6. ver o risco como oportunidade; 7. saber liderar; 8. se sentir bem fazendo parte de uma Equipe; e 9. funcionar sem amarras e apoio. Fonte: Revista Exame: Painel Executivo p. 162, Mar. /2000 0 DF 11

Razoes, grandezas e proporçes

0

Razões – Introdução Vamos considerar um carro de corrida com 4m de comprimento e um kart com 2m de comprimento.

Read More

Plano de estágio supervisionado i

0

PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Sumário: 1 -Apresentação 2-Dados do estagiário……. 2. 1 -Dados do supervisor de campo e Supervisor Acadêmico

Read More