Oligarquia

Categories: Trabalhos

0

O cálcio é um elemento químico, símbolo Ca, de número atômico 20 (20 prótons e 20 elétrons) e massa atómica 40 u. É um metal da família dos alcalino-terrosos, pertencente ao grupo 2 da classificação periódica dos elementos químicos. Ponto de fusão 1115 K ponto de ebuliçao 1800 K O cálcio, do latim calcium, foi isolado pela primeira vez em 1808, em uma forma impura, pelo químico britânico Humphry Dawy mediante a eletrólise de uma amálgama de mercúrio (HgO) e cal (CaO).

Davy misturou cal umedecida com óxido de mercúrio que colocou sobre uma lâmina de platina, o anodo, e submergiu uma arte de mercúrio no interior da pasta funcionando como catodo. Na eletrólise obteve uma amálgama que destilada originou um Swip to view nent page to page resíduo sólido facilm que havia obtido cálc 1854 e Augustus Mat ess„ eletrólise do cloreto cálcio com uma pure (G 12). 2 ficou convencido de , Robert Bunsen em ram o metal por Moissan obteve o do iodeto de cálcio Muitos compostos contendo cálcio já eram conhecidos desde a antiguidade pelos indianos, egípcios, gregos e romanos.

Os romanos já preparavam a cal, ou calx (óxido de cálcio, CaO) desde o século I; em 975 d. C. , o gipso desidratado (gesso, CaS04) já era itado na literatura da época para “engessar” pernas e braços quebrados; O gesso, como a cal, já era utilizado para alvenaria. O rádio O Rádio (do latim “radus”, raio) é um elemento quimico de simbolo Ra , número atômico 88 (88 prótons e 88 elétrons) com massa atómica [226] u, pertencente a família dos metais alcalino-terroso, grupo 2 ou IIA da classificação periódica dos elementos. onto de fusao 973 K ponto de ebuliÇà0 2010 K À temperatura ambiente, o rádio encontra-se no estado sólido. É um metal altamente radioativo encontrado em minerais de urânio como na pechblenda. As suas aplicações são derivadas do seu caráter radioativo. ( do latim “radius” , ralo ) foi descoberto por Marie Curie e seu marido Pierre em 1898 na pechblenda/uranita proveniente do norte da Boêmia. Os Curies, removendo o urânio da pechblenda encontraram um material residual que ainda emitia certa energia, a qual denominariam energia radioativa.

Isolaram da mistura, composta principalmente de bário, um material de chama cor vermelha brilhante e linhas espectrais nunca visto antes , que concluiram ser um novo elemento. Em 1902, o rádio foi isolado na forma pura pelo casal Curie e Andre Debierne por eletrólise de ma solução de cloreto de rádio, usando um catodo de mercúrio e anodo de platina-irídio , numa atmosfera de gás hidrogênio. Os produtos da deterioração do rádio eram conhecidos como rádio A, B, C, etc.

Estes agora são conhecidos como isótopos de outros elementos : emanação rádio ( radônio-222 ) , rádio A ( polônio-218 ) , radio B ( chumbo-214 ) , radio C ( bismuto-214 ) , rádio C 1 ( polônio-214) , rádio C2 – ( tálio-210 ) , rádio D ( chumbo-210 ) , rádio E ( bismuto-210 ) e rádio F ( polônio 21 0 O rádio tem 25 diferentes isótopos, 4 dos quais são encontrados 20F 12 ismuto-210 ) e rádio F ( polônio 210 na natureza, sendo o Ra-226 0 mais comum e o mais estável.

O Ra-223, Ra-224, Ra-226 e o Ra-228 sao todos gerados a partir de da deterioração de urânio ou tório. O Ra-226 é um produto do decaimento do IJ-238 , e é o isótopo do rádio de mais longa vida, com uma meia*dida de 1602 anos. Em seguida, o de mais longa vida é o Ra-228, um produto do h-232 , com uma vida inteira 200. 0 anos.

O tântalo O tântalo (forma preferida em Portugal e Brasil) ou tantálio é um elemento químico de número atômico 73 (73 prótons e 73 elétrons) , simbolo Ta com massa atómica 181 u que se Situa no rupo 5 (VB) da classificação periódica dos elementos Ponto de fusão 3 290 K Ponto de ebulição 5 731 K Trata-se de um metal de transição raro, azul grisáceo, duro, que apresenta brilho metálico e resiste muito bem à corrosão. Na temperatura ambiente o tântalo encontra-se no estado sólido. ( do grego “Tântalo”, pai de “Níobe” na mitologia grega ) foi descoberto em 1802 por Anders G.

Ekeberg em minerais provenientes da Suécia ( Ytterby ) e da Finlândia ( Kimlto ) e isolado em 1820 por Jons Berzelius. Até 1844 muitos químicos acreditavam que o nióbio e o tântalo eram o mesmo elemento. Os pesquisadores Rowe ( 1944) e Jean Charles Galissard de Marignac ( 1866 ) demonstraram que os ácidos nióbico e tantálico eram compostos diferentes. Posteriormente os investigadores puderam isolar somente o metal impuro, e o primeiro metal dúctil relativamente puro foi produzido por Werner von Bo 30F 12 impuro, e o primeiro metal dúctil relativamente puro foi produzido por Werner von Bolton em 1903.

Em 1922, um engenheiro de uma usina de Chicago ( Estados Unidos ) conseguiu obter industrialmente o tântalo com de pureza. Os filamentos feitos com o metal tântalo eram usados m lâmpadas incandescentes até serem substituídos pelo tungstênio. Seu nome é derivado do carácter Tântalo, ( filho de Zeus e pai de Níobe, da mitologia grega ) que, por desagradar aos deuses, foi condenado a ficar eternamente com fome e sede mergulhado de joelhos com água até o pescoço, sob uma árvore carregada de frutos.

Quando se dobrava para beber, a água drenava e, quando levantava as mãos para apanhar frutos, os galhos se moviam para fora do seu alcance. Esta similaridade com o comportamento não reativo do tântalo — estar entre reagentes e não ser afetado por eles – foi a origem do seu nome. Protactínio O protactínio é um elemento químico de símbolo pa e de número atômico igual a 91 (91 prótons e 91 elétrons), com massa atómica aproximada de 231 u. e os valores de Ponto de fusão 1841 K Ponto de ebulição 4300 K. O protactínio (do grego “protos”, “primeiro”) foi identificado pela primeira vez em 1913, quando Kasimir Fajans e O.

H. Gõhring encontraram o isótopo de curta duração 234m-Pa, com meia- vida de aproximadamente 1,17 minutos, durante seus estudos sobre a série de decaimento do 0-238. Deram ao novo elemento o nome de “Brevium” (do latim “brevis”, “breve”). O nome foi udado para “Protoactinium” (“protoactínio”) em 1918 quando dois grupos de cientistas (Otto Hahn e Lis 40F 12 para “Protoactinium” (“protoactínio”) em 1918 quando dois grupos de cientistas (Otto Hahn e Lise Meitner, na Alemanha, e Frederick Soddy e John Cranston no Reino Unido), independentemente, decobriram 0 231-Pa.

Em 1949, o nome foi abreviado para “protactínio”. Em 1927, Aristid V. Grosse preparou 2 mg de pa205, do qual o protactínio foi isolado. Em 1934, foi isolado pela primeira vez a partir de 0. 1 mg de Pa205, primeiro convertendo o óxido em iodeto e, em seguida, decompondo o iodeto eletricamente om uso de um filamento aquecido em alto vácuo, conforme a reaçao: 2pa15 2Pa + 512. É possiVel recuperá-lo dos minerais de urânio por extração com solvente.

O paF4 obtido é reduzido com bário. Em 1961, no Reino Unido, produziu-se 125 gramas de protactínio 99,9% puro, processando 60 toneladas de minérios de urânio. Esta foi a única fonte de protactínio do mundo por muitos anos seguintes. O cloro O cloro ( grego khlorós, esverdeado ) é um elemento químico , símbolo Cl de número atômico 17 ( 17 prótons e 17 elétrons ) com Massa atômica 35,45 u,encontrado em temperatura ambiente no estado gasoso.

Ponto de fusão 171 K Ponto de ebuliÇã0 239,11 K (do grego mupoq, que significa “amarelo verdoso” ) foi descoberto em 1774 pelo sueco Carl Wilhelm Scheele, acreditando que se tratava de um composto contendo oxigênio. Obteve-o a partir da seguinte reacção: Mn02 +4 HCI MnC12 + C12 2 H20 Os processos anteriores às técnicas de eletrólise se baseavam nesta reação ou na reação direta de HCI com o ar ou oxigênio puro, produzindo água e cloro.

Com estas técnicas 2 ou na reação direta de HCI com o ar ou oxigênio puro, produzindo água e cloro. Com estas técnicas começava a produção de cloro ara alvejamento de roupas e papel, por volta do século XIX. Em 1810 0 químico britânico Sir Humphry Davy demonstrou que se tratava de um elemento químico, e lhe deu o nome de cloro devido à sua coloração amarelo-esverdeada. O cloro foi utilizado na Primeira Guerra Mundial. Foi a primeira vez que se utilizou uma substância como arma química.

Alguns cloretos metálicos são empregados como catalisadores como, por exemplo, FeC12, FeC13 e AIC13. Ácido hipocloroso (HCIO), empregado na depuração de águas e alguns sais como agente alvejante. Ácido cloroso (HC102). O sal de sódio correspondente NaC102), é usado para produzir dióxido de cloro (C102), usado como desinfetante. Ácido clórico (HC103), O clorato de sódio (NaC103), também pode ser usado para produzir dióxido de cloro, empregado para o branqueamento do papel, assim como para a obtenção de perclorato. ?cido perclórico (HC104), é um ácido oxidante empregado na indústria de explosivos. O perclorato de sódio (NaC104), é usado como oxidante e na industria têxtil e papeleira. Compostos de cloro como os clorofluorocarbonetos (CFCs) contribuem para a destruição da camada de ozônio. Alguns compostos orgânicos de cloro são empregados como esticida, como, por exemplo, o hexaclorobenzeno (HCB), o para- diclorodifeniltricloroetano (DDT), o toxafeno e outros.

Muitos compostos organoclorados criam problemas ambientais devido a sua toxicidade como os pesticidas citados anteriormente, os difenilo 6 2 problemas ambientais devido a sua toxicidade como os pesticidas citados anteriormente, os difenilos policlorados (PCBs) e as dioxinas. O irídio . O irídio (do latim “iris”, íris ou arco-íris) é um elemento químico, simbolo Ir, de número atômico 77 (77 prótons e 77 elétrons) com Massa atômica 192,2 u Ponto de fusão 2 719 K Ponto de ebulição 701 K situado no grupo 9 da tabela periódica dos elementos. oi descoberto em 1803 por Smithson Tennant em Londres, Inglaterra, junto com o ósmio num resíduo colorido escuro de petróleo bruto, dissolvendo o resíduo de platina em água régia. Posteriormente, este elemento foi nomeado a partir da palavra latina que significa “arco-íris” porque seus sais são altamente coloridos. Uma barra desse metal foi usado como padrão para a unidade de comprimento (metro) e unidade de massa (quilograma) pelo Departamento Internacional de Pesos e Medidas, mantido em Sevres, perto de Paris.

Esta barra é formada por uma liga com 90% de platina e 10% de irídio. De 1960 até 1983, a barra de Paris como unidade padrão de comprimento metro foi substituída pela definição do comprimento de onda da emissão vermelha- alaranjada de um átomo de Kr-86. Atualmente o metro é definido como sendo o comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo, durante um intervalo de tempo de 1/299. 792. 458 de segundo (unidade de base ratificada pela 17a CGPM — 1983).

O evento KT, marco de tempo entre as eras do cretáceo e o terciário no tempo geológico, foi identificado por um fino estrato e argila rica em irídio. De acordo com muitos cientistas, como Lu 2 identificado por um fino estrato de argila rica em iridio. De acordo com muitos cientistas, como Luis Alvarez, este irídio era de origem extraterrestre atribuído a um asteróide ou cometa que chocou-se com a Terra, perto de uma região que agora é a peninsula de Yucatan. Entretanto, o cientista Dewey M. McLean do Instituto Politécnico da Virgínia (EUA), acredita que o irídio é de origem vulcânica.

O núcleo da terra é rico em irídio, e o vulcão “Piton de la Fournaise” (“pico da fornalha”) em Réunion, por exemplo, está iberando irídio ainda até hoje Neônio é um elemento químico de símbolo Ne, número atómico IO (10 prótons e 10 elétrons) com massa atômica 20 u Ponto de fusão 24,56 K Ponto de ebulição 27,07 K. É um gás nobre incolor, praticamente inerte, presente em pequena quantidade no ar atmosférico, porém muito abundante no Universo, que proporciona um tom arroxeado característico à luz das lâmpadas fluorescentes nas quais o gás é empregado.

A substância é obtida tecnicamente pela retificação do ar líquido. É também usado em tubos luminosos, em sinalização e em fins publicitários. Foi escoberto pelos químicos britânicos William Ramsay e Morris Travers em 1898. O néon (do grego néos = novo) foi descoberto em 1898 pelos químicos ingleses William Ramsay (1852-1916) e Morris Travers (1872-1961) em Londres. [l] Foi descoberto quando Ramsay refrigerou uma amostra retirada da atmosfera até que se tornou um líquido, em seguida, o líquido foi aquecido e Ramsay capturou os gases quando era fervido.

Os gases encontrados foram o criptônio, xenônio e o Neon. [2 80F 12 gases quando era fervido. Os gases encontrados foram o criptônio, xenônio e o Neon. [2] A cor vermelha brilhante, que é mitida pelo neon gasoso foi notado imediatamente, sendo que Travers escreveu mais tarde: “A chama da luz vermelha do tubo contou sua própria história”. [3] A escassez do Neon impediu a sua aplicação imediata para iluminação ao longo das linhas dos tubos de Moore, que usavam nitrogênio e que eram comercializados no início dos anos 1900s.

Depois de 1902, a companhia de Georges Claude’s, Air Liquide, estava produzindo quantidades industriais de neon como um subproduto de seu negócio de liquefação do ar, e em dezembro de 1910 Claude demonstrou a moderna iluminação de neon aseada num tubo selado de neon. Em 1912, o sócio de Claude começou a vender tubos de descarga de neon como letreiros publicitários. Eles foram introduzidos nos Estados Unidos em 1923, quando dois grandes letreiros de neon foram comprados por uma concessionária de carros de Los Angeles.

O brilho e a cor vermelha chamativa fizeram dos letreiros de neon algo completamente diferentes dos usados pelos competidores. [4] O tálio (do grego “thallós”, “ramo verde”) é um elemento quimico de símbolo TI , de numero atômico 81 (81 prótons e 81 elétrons) que apresenta massa atómica 204,4 u. É um metal pertencente o grupo 13 (IIIA) da classificação periódica dos elementos. Ponto de fus¿0 577 K (304 0 C) ponto de ebulição 1746 K (1473 C) O tálio (que deriva da palavra latina “thallus”, que significa “rebento”. ) foi descoberto por Sir William Crookes em 1861 na nglaterra quando f significa “rebento”. foi descoberto por Sir William Crookes em 1861 na Inglaterra quando fazia determinações espectroscópica do telúrio em resíduos de ácidos derivados de algumas plantas. O nome vem da linha verde brilhante do seu espectro. Em 1892, Crookes e Claude-Auguste Lamy -solaram o metal independentemente. Embora o metal seja razoavelmente bundante na crosta terrestre numa concentração estimada de aproximadamente 0,7 mg/kg, existe, na maior parte, associado com o potássio nos minerais de argilas, solos, e granitos, não sendo comercialmente fontes deste elemento.

A principal fonte comercial de tálio é a quantidade mínima (traços) encontrados em minerais de sulfetos de cobre, chumbo, zinco e outros. O tálio é encontrado nos minerais croosita, hutchinsonita e lorandita. Este metal é encontrado também nas piritas e é extraído como subproduto da produção do acido sulfúrico a partir da pirita. Uma outra maneira de obter o elemento é na fundição o chumbo e dos minérios ricos em zinco. O manganês nodular, encontrado no leito dos oceanos, também contem tálio mas a extração é proibitivamente caro e ambientalmente destrutivo.

Além disso, diversos outros minerais contem tálio entre 16% e 60%, ocorrendo na natureza como complexos de sulfetos ou de selenetos com antimónio, arsênio, cobre, chumbo e prata, mas são raros e não apresentam nenhuma importância comercial como fontes deste metal. O césio O césio (do latim “caesium” , que significa “céu é um elemento químico de símbolo Cs , de número atómico 55 (55 prótons e 55 elétrons) com massa atômi 0 DF 12

Resenha

0

Resenhas 95 de um banco central e dos subsídios à agricultura, do investimento em tecnologia ou de taxas alfandegárias comuns…

Read More

Atps quimica

0

Introdução S Etapa 36 Passo 16 passo 28 Passo 311 Etapa 413 Etapa 516 passo 1 16 passo 217 Passo

Read More