Por umaq outra globalisação

Categories: Trabalhos

0

INTRODUÇAO A Globalização é de certa, forma, o ápice do processo de internacionalização do mundo capitalista. para entendê-la, como de resto, a qualquer fase da historia, há dois elementos fundamentais a levar em conta: O estado das técnicas e o estado da politica. Há uma tendência a separar uma coisa da outra. Mais na realidade, nunca houve na historia da humanidade separação entre as duas coisas.

No fim do século XX e graças ao avanço da ciência, produziu-se um sistema de técnicas presidido pelas técnicas da informação, que passaram a exerce um papel de elo entre as demais, unindo-as e assegurando o novo sistema técnico uma presença planetária. Só que a view nent page reu p globalização nao é ap técnicas. Ela é també a emergência de um essencial dos proces que contribuem para OF6 novo sistema de que asseguram ponsável pelo eficazes.

Os fatores globalização atual são: a unidade da técnica, a convergência dos momentos, a cognoscibilidade do planeta e a existência de um motor único na historia, representado pela mais-valia globalizada. Um mercado global utilizando esse sistema de técnica avançadas resulta nessa globalização perversa. Isso poderia ser diferente SI seu uso olitico fosse outro. A UNIDADE TECNICA Nunca na historia do homem, aparece uma técnica isolada; oque se estala são grupos de técnicas, verdadeiros sistemas.

Em nossa época, o que é representativo do sistema de técnicas atual é a chegada da técnica da informação, por meio da cibernética, da informática, da eletrônica. Ela vai permitir duas grandes coisas: a primeira e que diversas técnicas existentes passam a se comunicar entre elas. A técnica da informação assegura esse comercio que antes nao era possível. Na historia da humanidade é a primeira vez que tal conjunto de técnica envolve o planeta omo um todo e faz sentir, instantaneamente, sua presença.

Isso alias contamina a forma de existência das outras técnicas, mais atrasadas. As técnicas característica do nosso tempo, presentes que sejam em um só ponto do território, tem uma influencia marcante sobre o resto do pais, que é bem diferente das situações anteriores. A técnica da informação alcança a totalidade de cada pais, direta ou indiretamente. Cada lugar tem acesso ao acontece do outro. O principio de seletividade SI dar também como principio de hierarquia, porque todos os outros lugares ão avaliados e devem se referir aqueles dotados das técnicas hegemônicas.

Esse é um fenômeno novo na historia das técnicas e na histona dos territórios. Antes havia técnica hegemônica e não hegemônica; hoje, as técnicas não hegemônica são hegemonizadas. O sistema técnico dominante no mundo de hoje tem uma outra característica. Isto é, a de ser envasar. Ele nao se contenta em ficar ali onde primeiro se instalou e busca espal a de ser envasar. Ele não se contenta em ficar ali onde primeiro se instalou e busca espalha-se, na produção e no território, por exemplo, as empresas globais.

Estas funcionam a parti de uma fragmentação, já que pedaços da produção podem ser feitos em vários lugares diferentes, mais isso apenas é possivel porque a técnica hegemônica de que falamos é pressente ou passível de presença em toda parte. Senão não poderia haver empresas transacionais. Se a produção se fragmenta tecnicamente, há do outro lado, uma unidade politica de comando. Essa unidade politica de comando funciona no interior das firmas, mais não há propriamente uma unidade de comando do mercado global.

Há uma relação de causa e efeito entre o progresso técnico atual e s demais condições de implantação do atual periodo histórico. É a parti da unidade das técnicas, da qual o computador é uma peça central, que surgi à possibilidade de existir uma finança universal, principal responsável pela imposição a todo o globo de uma mais-valia mundial. A CONVERGECIA DO MOMENTO Tomando como fenômeno físico, a percepção do tempo real não só que dizer que a hora dos relógios é a mesma, mais que podemos usar esses relógios múltiplos de maneiras uniformes.

Resultado do progresso cientifico e técnico, cuja busca se acelerou com a Segunda Guerra, a operação planetária das randes empresas globais vai revolucionar o mundo das finanças, permitido ao respectivo mercado que funcione em diversos lugares durante o dia inteiro. Com essa grande mudança na historia tornamo-nos capazes, seja o 3 diversos lugares durante o dia inteiro. Com essa grande mudança na historia tornamo-nos capazes, seja onde for de ter conhecimento do que e o acontecer do outro. Nunca houve antes essa possibilidade oferecida pela técnica a nossa geração de ter em mãos o conhecimento instantâneo do acontecer do outro.

Na fase atual do capitalismo, ao tomarmos em conta a emergência e um novo fator determinante da historia, denominando de moto único. O MOTOR UNICO Este período dispõe de um sistema unificado de técnicas, estalado sobre um planeta informado e permitindo ações igualmente globais. Esse motor único se tornou poss[vel porque nos encontramos em um novo patamar da internacionalização, com uma verdadeira mundialização do produto, do dinheiro, do credito, da divida, do consumo, da informação. Tudo isso e realidade, mais também e, sobretudo tendência, porque em nenhum lugar, em nenhum pais, houve completa internacionalização.

Pretendemos que a historia, agora seja ovida por esse moto unico. Cabe, assim, indagar qual seria a sua natureza. A atual competitividade entre as empresas e uma forma de exercicio dessa mais-valia universal, que se torna fugidia exatamente porque deixou o mundo da competição e entramos no mundo da competitividade. O exercício da competitividade torna exponencial a briga entre as empresas e as conduz a alimentar uma demanda diuturna de mais ciência, de mais tecnologia, de melhor organização, para manter-se a frente da corrida.

Novos laboratórios são chamados a encontrar as novos técnicas, as novos materiais, as écnicas, as novos materiais, as novas soluções organizacionais e politicas que permitam as empresas fazer crescer a sua produtividade e o seu lucro. A COGNOCIBILIDADE DO PLANETO O período histórico atual vai permitir o que nenhum outro período ofereceu ao homem, isto e, a possibilidade de conhecer o planeta extensiva e aprofundada mente.

Isto nunca existiu antes, e devesse, exatamente, aos progressos da ciências novos materiais são criados nos laboratórios como um produto da inteligência do homem, e precedem a produção dos objetos. A parti de agora podemos conceber os objetos que desejamos tilizar e então produzimos a matéria- prima indispensável a sua fabricação. Sem isso não teria sido posslVel fazer os satélites que fotografam o planeta a intervalos regulares, permitido uma visão mais completa e detalhada da terra.

Com a globalização e por meio da empiricização da universalidade que ela possibilitou, estamos mais perto de construir uma filosofia das técnicas e das ações correlatas, que seja também uma forma de conhecimento concreto do mundo tomando como um todo e das particularidades dos lugares, que incluem condições politicas. UM PERIODO QUE É UMA CRISE A historia do capitalismo pode ser dividida em períodos, pedaços de tempo marcados por certa coerência entre as suas variáveis significativos, que envolvem diferentemente, mas dependem de um sistema.

O período atual escapa a essa característica porque ela é ao mesmo tempo um período uma crise isto é a S escapa a essa característica porque ela é ao mesmo tempo um período uma crise isto é a presente fração do tempo da histórico constitui uma verdadeira superposição entre período e crise, revelando características de ambas essas situações. Defrontamo-nos agora com uma subdivisão extrema do tempo mpírico cuja documentação tornou-se possível por meio das técnicas comteporanias.

O computador é o instrumento de medida e, ao mesmo tempo, o controlador do uso do tempo. Essa multiplicação do tempo é, na verdade, potencial, porque, de fato, cada ator pessoa, empresa, instituição, lugar utiliza diferentemente a velocidade do mundo. A associação entre a tirania do dinheiro e a tirania da informação conduz desse modo à aceleração dos processos hegemônicos, legitimando pelo “pensamento unico. ” No período histórico atual, o estrutural (dito dinâmico) é também, critico.

Isso se deve, entre outras razões, ao fato de que era presente se caracterizar pelo uso extremado de técnicas e de normas. Em virtude disso, todos os países, lugares e pessoas passaram a se comporta, isto é, a organiza e sua ação como se tal “crise” fosse à mesma para todos e como se a receita para afasta-la devesse ser geralmente a mesma. Na verdade, porem, a única crise que os responsáveis desejam afastar é a crise financeira e não qualquer outra. Ai na verdade uma causa para mais aprofundamento da crise real – econômica, social, politica, moral – que caracteriza o nosso tempo.

Pesquisa de clima organizacional

0

Confirmando essa visão Moscovici (1997) própria subjetividade humana, ou seja, as motivações, interesses, valores, história de vida, modo de relacionar-se,

Read More

Celula

0

A CÉLULA É um conjunto organizado de moléculas. Ela representa a menor porção da matéria viva dotada da capacidade de

Read More