Produção textual ‘finanças empresariais’

Categories: Trabalhos

0

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO ADMINISTRAÇÃO xxxxxxxxxxxxxxxxxrx to view nut*ge PRODUÇÃO TEXTUAL “FINANÇAS EMPRESARIAIS” Tudo isso com um objetivo de maximização os lucros, e agregando a este contexto teorias de estudiosos que fazem análises de práticas de finanças empresariais no qual nos auxilia em processos decisónos, como Administração Orçamentária e Financeira, Matemática Financeira II, Direito Tributário e Teoria Econômica.

ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTARIA Administração orçamentária e a compressão e analise critica ou satisfatória de instrumentos contábeis, orientações dadas no ontrole patrimonial da empresa através de relatórios contábeis, demonstrações financeiras e DRE (demonstrativo de resultado de exercício). Existe uma relação direta entre Risco e Retorno. O Risco é medido pela probabilidade de a empresa tornar-se tecnicamente insolvente; diz respeito à variabilidade do fluxo de caixa da empresa, de modo que quanto mais variáveis forem os fluxos de caixa, tanto maior será o risco e vice-versa.

O Retorno é medido pelas receitas menos as despesas. O Lucro de uma empresa pode ser aumentado de dois modos: (1) elevando-se as receitas, ou (2) reduzindo-se os custos. Investir em ativos mais rentáveis é que possibilita gerar níveis mais elevados de receitas. Os custos podem ser reduzldos pagando-se menos por um item ou serviço, ou usando-se recursos existentes de maneira mais eficiente. Qualquer redução nos custos deve elevar o lucro da empresa. São exemplos de recursos onerosos, Patrimônio Líquido, Empréstimos Bancários, Du licatas Descontadas.

Na gerência do Capital de ilidades (Caixa + Bancos + PAGF 15 Líquido e Exigível a Longo Prazo. O Patrimônio Líquido representa as contas dos acionistas que exigem remuneração real dos seus capitais investidos no negócio. Portanto, recursos onerosos. O ELP registra os financiamentos de longo prazo, também onerosos. Já o Passivo Circulante, curto prazo, possui contas não onerosas, tais como Fornecedores, Salários a pagar, Impostos a Pagar, Provisões (130, férias, impostos) sendo, portanto, parcialmente oneroso, o que o torna menos caro que os recursos de longo prazo (PL + ELP).

A administração do capital de giro abrange as contas circulantes da empresa. Quanto maior for o CCL maior será a capacidade de pagamento de uma empresa. Existirão mais recursos de curto prazo relativamente às obrigações de curto prazo. Um aumento nos ativos circulantes provoca redução das receitas (o AP é mais rentável do que o AC). Um aumento nos recursos de longo prazo resulta em maior custo (PL + ELP são mais onerosos que o PC). Consequentemente o lucro fica reduzido.

O nível de CCL aumenta e o risco diminui, já os recursos de longo prazo que devem financiar o Ativo Permanente. Quando estes são mais do que suficientes para o financiamento dos AP, o excedente financla o Ativo Circulante, gerando assim, Capital Circulante Líquido. Daí temos que CCL ELP) – (AP RLP). Deve-se manter um cuidado com a insolvência técnica que a incapacidade financeira da empresa em liquidar seus compromissos de curto prazo no vencimento, o que pode se evitado mantendo-se um nível aceitável de Capital Circulante Liquido.

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA A administração financeira foca em aumentar o capital dos proprietários basicamente tem 03 objetivos principais: Manter a empresa em permanente situação de liquidez, e importante manter a entrada e saída do fluxo de caix 15 empresa em permanente situação de liquidez, e importante manter a entrada e saída do fluxo de caixa sobre controle e conhecer antecipadamente as épocas que irão falta numerários . Obter novos recursos para planos de expansão com base em estudos de viabilidade econômica financeira e aos menores custos a empresa tem que ser perpetua e investir em tecnologias e novos produtos.

Assegurar o necessário equilíbrio entre os objetivos de lucro e os de liquidez financeira quantificando os planos de expansão de acordo com as possibilidades de obtenção de recursos próprios ou de terceiros. Quando a empresa compra um bem do imobilizado com financlamento, aparentemente, não existe dinheiro no ato da compra, mas, na prática, à como se o comprador tivesse recebido dinheiro do financiador e com esse dinheiro tivesse pago o ornecedor do bem (HOJI, 2003, p 33). Ciclos do fluxo de caixa C] O ciclo operacional (CO) abrangendo o período entre a compra de mercadoria e o recebimento da venda.

C] O ciclo econômico (CE) considera unicamente os eventos de natureza econôrmca, envolvendo a compra de materiais até a respectiva venda. O ciclo de caixa [financeiro] (CC) é definido como o período de tempo que vai do ponto em que a empresa faz um desembolso para adquirir matérias-primas, até o ponto em que é recebido o dinheiro da venda do produto acabado. Giro de Caixa C] O Giro de Caixa (GC) refere-se ao número de vezes por ano ue o caxa da empresa realmente se reveza.

O Giro de Caixa é calculado dividindo o suposto número de dias do ano (360) pelo ciclo de caixa: Estratégias para reduzir o Ciclo Financeiro Girar o estoque tão rápi ssível, PAGFd 15 mais cedo possível, Retardar os pagamento de duplicatas a pagar Desembolsos Operacionais Pagamentos relacionados com as atividades operacionais no exercício social. Caixa operacional Média mensal dos recursos mínimos necessários para atender aos desembolsos operacionais Parcela de capital de giro necessária para suportar determinado nível de vendas. A geração permanente de lucros e caixa contribu para que aja uma empresa moderna que cumpra suas funções sociais, por meio de geração de impostos, investimentos em melhoria ambiental etC” (HOJI, 2003, p 21 As decisões preocupantes desrespeitam a investimentos, financiamentos e utilização ou destinos do lucro liquido, tudo necessita de cálculos, estudos econômicos e conhecimento gerais para que a utilização de recursos seja bem aplicado e assim alcançando seu estagio de satisfação de rentabllidade.

MATEMÁTICA FINANCEIRA a ferramenta útil na analise de algumas alternativas de investimentos ou financiamentos de bens de consumo. Então, a atemática financeira se ocupa em estudar e fornecer as tais ferramentas adequadas para a tomada de decisão com a maior precisão possível, mas, se você não possuir alguns conhecimentos básicos, parecem Insolúveis. Consiste em empregar procedimentos para simplificar a operação financeira a um fluxo de caixa.

Capital e o valor aplicado através de algumas operações financeiras, também pode ser tratado como Valor Atual, Valor presente ou Valor Aplicad rtante e o fato de que é segundo dois regimes simples e compostos Juros simples o juro de cada intervalo de tempo sempre calculado sobre captal inicial emprestado ou aplicado. Juros compostos e cada intervalo de tempo a partir do saldo no inicio de correspondente intervalo, ou seja, o juro de cada intervalo de tempo e incorporado ao capital inicial e passa a render juros também.

Em operações que envolvendo dinheiro normalmente utiliza juros compostos onde estão incluídas compras de médio e longo prazo, o juros simples no caso de operações de curto prazo como processo de desconto de duplicatas. Formula Juros simples Juros Composto DIREITO TRIBUTARIO Direito tributário é o segmento do Direito Financeiro que define como serão cobrados os tributos dos cidadãos para gerar receita para o estado. Tem como contraparte o Direito Fiscal ou Orçamentário, que é o conjunto de normas jurídicas destinadas à regulamentação do financiamento das atividades do Estado.

Direito tributário e Direito fiscal, estão assim, ligados, por meio do Direito Financeiro, ao Direito Público. – Direito tributário regula a atividade financeira do Estado, no que pertine a tributação. O direito financeiro regula toda a atividade financeira do Estado, menos a que se refere a tributação. TRIBUTO IMPOSTOS (delegável, para aquele que arrecada ou paga o tributo). Cometimento, e quando o poder de arrecadar é transferido para ma pessoa (física ou jurídica) de direito privado.

A legislação é plena ao estabelecer, por exemplo, quem pode legislar sobre determinada matéria. No mesmo sentido, o não exercício da competência tributária por determinado ente tributante não dá o direito a outro de exerce-la MODALIDADES DE COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA 1)Comum (para todos os entes tributantes) -Taxa -Contribuição de Melhoria Somente o ente tributante que efetivamente realizou a obra poderá cobrar o tributo. 2)Privativa -Impostos Os impostos foram todos nomeados pela lei, assim como a competência tributária. )ExcIusjva (Unià0) Empréstimo Compulsório -Contribuições Especiais 4)Residual (União) Utilizado para que outros impostos sejam instituídos, mas desde que com base cálculo e fato gerador diferenciados dos anteriores. 5)Extraordinária Em caso de iminência de guerra ou guerra. Não há delegação de competência no direito tributário, somente admite-se as previstas na CR/88, exceto a pessoa jurídica de direito público; UNIÃO (arts. 153, 154, 145, 148, 149 e 195 CP): II – Imposto de Importação (FG: entrada de mercadoria): facultado ao poder executivo alterar a alíquota nos limites legais, e não segue anterioridade :

IE – Imposto de Exportação (FG: saída de mercadoria): e não segue anterioridade incidindo sobre proventos decorrentes exclusivamente do trabalho para maiores 65 anos, nos Imites legais; c)IR – Imposto de Renda; IPI – Imposto Sobre produtos Industrializados (FG: desembaraço / saída de produtos/ arrematação): facultado ao poder executivo alterar a alíquota nos limites legais, será seletivo, não-cumulativo e não incidirá sobre produtos destinados ao exterior, e não segue anterioridade , IOF – Imposto Sobre Operações Financeiras (FG: operações financeiras): facultado ao poder executivo alterar a alíquota nos imites legais, e incidirá também sobre o ouro, e não segue anterioridade; ITR – Imposto Sobre a propriedade Territorial Rural (FG: propriedade de zona rural): terá alíquotas de forma a desestimular a manutenção de propriedade improdutiva e não incidirá sobre pequenas glebas de uma só família; IGF – Imposto Sobre Grandes Fortunas (FG:grandes fortunas); Impostos de Competência Residual — mediante lei complementar, não-cumulativos e que não tenha fato gerador ou base de cálculo próprios de outros tributos ; Imposto Extraordlnário – compreendido ou não na sua competência, na iminência ou caso de guerra externa, e não egue anterioridade e deve ser suprimido gradativamente no máximo em 5 anos contados da celebração da paz; Taxa – exercício de poder de polícia e pela utilização do serviço público; Contribuição de Melhoria – obra pública; Empréstimo Compulsório- mediante lei complementar, para despesas extraordinárias decorrente de calamidade pública e iminência ou caso de guerra externa (não segue anterioridade) ou investimento público de relevante interesse social (segue anterioridade); Contribuição Social – interventiva e corporativa (seguem a legal legalidade, irretroatividade e anterioridade) e previdenciárias empregador, folha de salários, receita ou faturamento e lucro) e não seguem a anterioridade (90 dias – art. 195 60 CF), e ainda outras fontes destinadas a garantir a manutenção ou expansão da seguridade social, mediante lei complementar (art. 195 S 40 CE), que também não seguem a anterioridade (90 dias – art. 195 S 60 CF). ESTADOS E DISTRITO FEDERAL (art. 55 CF) ICMS – Imposto Sobre a Circulação de Mercadoria e prestação de Serviços transporte, comunicação e operações que se iniciem no exterior, é não-cumulativo e seletivo e a isenção e a não-incidência não implicará crédito, facultado ao Senado Federal stabelecer alíquotas e não incidirá sobre operação destinadas ao exterior e sobre ouro; ITD – Imposto de transmissão causa mortis e doação de bens e direitos (FG: bens e doação); IPVA – Imposto Sobre a Propriedade de Veículo; contribuição cobrada de seus servidores para lhes custear a previdência e assistência social (art. 149 S único CE); Taxa — exercício de poder de polícia e pela utilização do Contribuição de Melhoria – obra pública. MUNICÍPIOS (art. 56 CP): IPTU – Imposto Sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana – será progressivo para assegurar o cumprimento da unção social da propriedade; ITBI – Imposto de transmissão inter vivos, exceto bens e direito incorporados à pessoa jurídica e decorrentes de fusão incorporação cisão, e extinção, salvo se este for a atividade preponderante do adquirente; ISS – serviço de qualquer natureza, exceto os de competência estadual, ca pl de qualquer natureza, exceto os de competência estadual, cabendo à lei complementar fixar alíquotas e excluir sua incidência se exportação; previdência e assistência social (art. 149 S único CP); Taxa — exercício de poder de policia e pela utilização do serviço público. Sistema tributário Obter arrecadação para desenvolver a atividade financeira do Estado. É constitucional – rigido a determinados princípios constitucionais. TEORIAS ECONOMICAS A economia pode ser definida pelo o estudo de como as pessoas e a sociedade decidem empregar recursos escassos, que poderiam ter utilizações alternativas, para produzir bens variados. Pode-se fazer a seguinte divisão no estudo econômico: – Macroeconomia- analisa o comportamento da economia como um todo, por meio de preços e quantidades absolutos.

Faz parte dela os movimentos globais nos preços, na produção ou no mprego. – Microeconomia- estuda o comportamento de cada “molécula econômica” do sistema, por meio de preços e quantidades relativas. Para exemplificar, pode-se citar a análise do funcionamento de empresas. Enquanto a economia positiva ocupa-se da descrição de fatos, circunstâncias e relações econômicas, a economia normativa expressa julgamentos éticos e valorativos. As grandes divergências entre os economistas aparecem nas discussões de caráter normativo, como por exemplo o da dimensão do Estado e o poder dos sindicatos. Sofismas econômicos: Post hoc – a conclusão d o acontecimento”

Pesquisa de macroambiente

0

Atividade 1 de MARKETING A empresa que peguei como exemplo foi a última que eu trabalhei, ela se chama “Gold

Read More

Valor juridico dos tratados e seus impactos na ordem internacional

0

SUMÁRIO 1 – INTRODUÇÃO 01 2 – HISTÓRICO 04 3- PROCESO DE FORMAÇÃO DOS TRATADOS OS 4 – A HIERARQUIA

Read More