Rotinas trabalhistas e contabilização

Categories: Trabalhos

0

[pic] 1 or12 to view nut*ge proporcionais e equivalentes. rotinas trabalhistas Explicar as rotinas trabalhistas desde a admissão até a demissão de um empregado, calcular os proventos e descontos apurando o salário que o mesmo deve receber, sendo este um salário liquido. O cumprimento das obrigações trabalhistas e do recolhimento dos encargos sociais requer especial atenção, seja pela peculiar condição da relação entre a empresa e seus empregados ou pela exigüldade de prazos para a execução das muitas rotinas envolvidas.

Contribuição sindical Contribuição Sindical devidas aos sindicatos, pelos que articipem das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas pelas referidas entidades O artigo 149 da Constituição Federal prevê a Contribuição Sindical, nos seguintes termos: “Art. 149 – Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, observada o disposto nos artigos 146, III e 150, e III, e sem prejuízo do previsto no art. 95, S 60, relativamente às contribuições a que lude o dispositivo. “Parágrafo unico – Os Estados, o Distrito Federal e os municípios poderão instituir contribuição, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício destes, de sistemas de previdência e assistência social. ” A Contribuição Sindical é recolhida uma só vez e corresponde à remunera 30 de um dia de trabalho, o desconto da contribuição ponde a um dia normal 19 ser composta da remuneração que corresponda à jornada diária normal do empregado.

Os empregadores são obrigados a descontar da folha de pagamento de seus empregados, relativa o mês de março de cada ano, a Contribuição Sindical por estes devida aos respectivos sindicatos. 1 DESCONTO DE INSS E IRRF DOS EMPREGADOS De acordo com a legislação atual, todo o empregado está obrigado a contribuir com a Previdência Social. A contrlbuição do INSS possui um valor que ao ser atingido pela base de cálculo – os salários que somados devem pagar o INSS. Devemos saber que um empregado pode ter em seu recibo de pagamento mais de um tipo de rendimento, ex. alário, hora extra, adicional noturno, etc. são rendimentos que devem ser somados e aplicados a tabela. Outra questão é quando há faltas atrasos. Esses eventos devem ser deduzidos da somatória dos rendimentos, e depois se aplica a tabela. Ex. 1: Rendimentos somados R$ 1. 600,00 (-) R$ 53,00 faltas R$ 1 565,00 (x) (z) R$ 139,23 Ex. 2: Se um empregado recebe um salário de R$ 850,00, sua alíquota é Então o cálculo da contribuição é R$ 850,00 x = R$ 68,00. Ex. 3: Já se um empregado recebe um salário de R$ 2. 100,00, sua al[quota é 11%. Então o cálculo da contribuição é R$ 2. 00,00 x = R$ 231,00. Ex. 4: Se um empregado recebe um salário de R$ 4. 500,00, ele não possui alíquota e sim um valor teto de R$ 405,86. Se ossemos aplicar a alíquota de 11%, ele pagana R$ 440,00, porém a legislação limitou o desconto ao teto indicado. O imposto de renda é baseado na somatória dos rendimentos salariais do empregado. Esses rendimentos salariais são o salário, as horas extras adicional noturno, adicional insalubridade, entre outr salariais são o salario, as horas extras, adicional noturno, adicional insalubridade, entre outros.

Após a somatória, para dar continuidade ao cálculo, devem-se deduzir os descontos ou abatimentos que a leglslação autoriza, e dentre eles temos: INSS, Dependentes, entre outros. Quando se conclui essa conta, o resultado é um valor que passa a se chamar Base de Cálculo Mensal, após a apuração aplica-se a alíquota na qual o resultado se encontra e deduz a parcela de desconto permitida. EX. 1: salário R$ 1. 000,00 INSS R$ 110,00 (z) gase de cálculo R$ 890,00 Alíquota IRRF R$ 0,00 EX. : salário R$ 2. 000,00 INSS R$ 220,00 (z) Base de cálculo R$ 1. 780,OO Alíquota 7,5% R$ 133,50 Dedução R$ 11 7,496) IRRF R$ 16,01. Exemplo 3: salário R$ 5. 000,00 INSS R$ 405,86 1 Dependente R$ 157,47 (z) Base de cálculo R$ 4. 436,67 Alíquota 27,5% (z) R$ 1. 87,28 Deduçao R$ 723,95 (z) IRRF R$ 563,33. 1 FALTAS São os dias que o empregado não compareceu ao trabalho e não justificou a sua ausência e não houve nenhuma forma que autorizasse o pagamento.

Esses dias são utilizados para dedução da base de cálculo do INSS, IRRF e FGTS, também prejudicam quando o mesmo for gozar férias ou no recebimento do 130 salário, podendo sofrer o desconto dos feriados e domingos em razão da falta. 1 HORAS EXTRAS A legisla vigente estabelece de horas suplementares, em número não excedentes a duas, no máximo, para efeito de serviço extraordinário, mediante acordo ndividual, acordo coletivo, convenção coletiva ou sentença normatlva.

Excepcionalmente, ocorrendo necessldade imperiosa, poderá ser prorrogada além do limite legalmente permitido. . PAGAMENTO E DESCONTO RSR Segundo o art. 67 da CL T todo empregado urbano, rural ou doméstico tem direito ao Repouso Semanal Remunerado – RSR de 24 horas consecutivas, preferentemente aos domingos nos limites das exigências técnicas das empresas. Além do descanso, faz jus também o empregado à respectiva remuneração, conforme determina a Lei no 605/49, regulamentada pelo Decreto no 27. 048/49.

Para que o empregado tenha direito a remuneração correspondente ao repouso, é necessário o cumprimento integral da jornada de trabalho semanal, sem faltas, atrasos e saídas durante o expediente. Certas ausências, entretanto, são legais e, sim, não acarretam perda da remuneração do repouso semanal remunerado. 2. 1. 1. 1. 1. 1. 1 ENCARGOS SOCIAIS – INSS PARTE DA EMPRESA E FGTS Os custos indiretos do trabalho abrangem os encargos sociais são taxas e contribuições pagas pelo empregador para financiamento das políticas públicas que beneficiam de forma indireta o trabalhador.

Vamos entender como funciona esses encargos: Primeiro o INSS A parte referente á empre iÇáo Previdenciária Seguro de Acidente no Trabalho – Terceiros Agora vamos ver o FGTS (FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO) O FGTS corresponde a 8% sobre o valor da folha de pagamento, também é do bruto, constitui uma despesa paga pela empresa aos empregados, e fica depositado na Caixa Econômica Federal em nome de cada empregado.

CULTURA E CLIMA ORGANIZACIONAL A cultura organizaclonal são as normas informais e não escritas pelo qual os colaboradores se orientam no dia- a-dia e assim possam atingir os objetivos organizacionais, é um onjunto de hábitos desenvolvido pelos seus administradores ou funcionários ao longo da existência da empresa. A cultura e clima organizacional de uma empresa são utilizados para medir e apurar o grau de satisfação dos colaboradores diretos da empresa perante determinadas situações.

O administrador da empresa determina um padrão que deve ser utilizado para medir esse clima organlzacional que entre outros pontos estão aspirações pessoais, ambições funcionais no ambiente de trabalho motivação, adequação da remuneração, jornada de trabalho, relacionamento com os estores, relacionamento profissional com os colegas de trabalho, interação social, dentre outros satisfações pessoais atingidas ao longo dos anos e colocadas em praticas por uma organização, passa a ser uma cultura dentro de uma organização, ou seja, é a cultura dessa organização. . PROCESSO CONTÁBIL O processo contábil consiste em registrar valores de contas de despesas, ou tos, criar um plano de contas que no processo contábil de qualquer empresa é de fundamental importância haja vista que no plano de contas estão enumeradas todas as contas que poderão ser utilizadas pra egistrar os fatos administratlvos. 4. LANÇAMENTOS CONTÁBEIS NO LIVRO DIÁRIO O livro DIARIO não te mostra lançamento por contas e sim por dias, é de uso diário, deve conter todos os registros contábeis de uma empresa, sua utilização é obrigatória, deve ser encadernada e com folhas enumeradas, e são lançadas no dia a dia da empresa, por ser de ordem cronológica não se pode registrar um fato de qualquer jeito ou de qualquer modo, por exemplo, não tem como registrar um fato que assim ocorreu no dia 25 de um junho antes de registrar o que ocorreu no dia 7 do mesmo mês. . 1. LANÇAMENTOS CONTABEIS NO LIVRO RAZAO Já o livro RAZÃO te mostra os lançamentos por conta, esse livro funciona como uma memória da conta assim em cada conta tem todos os lançamentos que foram feitos nela, no livro razão basta achar a conta que registrou esses pagamentos e pronto estará ali, imagine uma empresa que fez um financiamento de 36 parcelas há uns cinco anos atrás, e por algum motivo resolve querer saber quais as datas que foram pagas estas parcelas, seria dificultoso encontrar em qualquer outro lugar mais no livro razão basta achar a conta que registrou pronto estará tudo ali, vale lembrar que quanto mais detalhado for o histórico melhor será para encontrá-lo futuramente. 4. 1. 1. BALANCETES DE VERIFICAÇÃO 12 é um demonstrativo auxiliar e não é obrigatório, unicamente para fins operacionais. Deve ser levantado no mínimo uma vez por mês, geralmente é levantado antes do início de um novo exerclcio. Exemplo simples de um Balancete de Verificação Balancete Mensal de Verificação. Maio/ 10 I Contas Crédito I Caixa I Bancos I Duplicatas a Receber Mercadorias I Imobilizado Fornecedores 20600 Empréstimos e Financiamentos | 12300 Capital Social Lucros ou Prejuízos Acumulados 16000 1 -rotai AC Ativo Circulante PAGF 19 Débito [Natureza IAC AC 15200 115100 15000 8600 134000 IANC IPL IPC 67900 29000 167900 I PC – Passivo Circulante I pl_ = patrimônio Liquldo 5.

JUROS COMPOSTOS Conhecido também de “juros sobre juros”, após cada período, os juros são incorporados ao principal e passam por sua vez a render juros. 5. 1 TAXAS DE JUROS NOMINAIS Segundo Helenara Regina Sampaio (2002) é a taxa de juros contratada em uma operação, ou seja, o valor expresso no contrato ou título, mas nem sempre é a taxa efetivamente cobrada. Por exemplo, se um empréstimo R$ 75. 000,00 deve ser quitado ao final de um ano pelo valor monetário de R$ 110. 000,00, a taxa de juros nominal será: Juros pagos = JP = R$ 110. 000 – R$ 75. 000 – R$ 35. 000 Taxa nominal = in – R$ 35. 000 / R$ 75. 000 = 0,46 = 5. 1. 1 TAXAS DEJUROS EFETIVAS Taxa Efetiva é quando o período de formação e incorporação dos juros ao Ca ital coincide com aquele a que a taxa está referida.

Alguns “Duas taxas são proporcionais no sistema de capitalização simples se houver uma proporção entre as taxas e seus períodos respectivos. ” (Sampaio, Helenara Regina: Matemática financeira l) Onde, II = taxa do primeiro período período 12 = taxa do segundo período nl = primeiro n2 = segundo período Ex; taxa proporcional para um ano de uma taxa de 8% ao mês? 0,08 x 12 = Q x I = 0,96 ou ao ano. 5. 1. 1. 1. 1 TAXAS DEJUROS EQUIVALENTES No sistema de capitalização composta duas taxas são equivalentes quando aplicadas pelo mesmo prazo em um mesmo período, resultando em um mesmo montante. (Sampaio, Helenara Regina – Matemática Financeira pg. 162 Fórmula: (1+i1 )nl —(1+i2)n2 —>il (1+i2)n-1 5.

ANALISE MERCADOLOGICA REGIONAL O setor de prestação de serviços é um dos setores ue mais cresce no Brasil, a prestação de serviços é entendida como a realização de trabalho oferecido por terceiros, mediante um contrato ou sem contrato, pode ser prestados à comunidade ou para empresas. 6. 1. ANÁLISE DE MERCADO O servlço de limpeza e manutenção pode ser uma boa tentativa para aqueles que querem investir no ramo de prestação de serviços, pode ser muito lucrativa, existe uma série de oportunidades na área de limpeza e manutenção, por exemplo, empresa de presta ao de serviço na área de limpezas de carpetes vamos levar ao que por um tempo

Introduзao a tga

0

dalberto Chiavenato INTRODUЗГO А TEORIA GERAL DA ADMINISTRAЗГO Elsevier/Campus wwwv. elsevier. com. br vw. w. chiavenato. com SUMБRIO RESUMIDO pARTE

Read More

Grupos nas organizações

0

OS GRUPOS DENTRO DAS ORGANIZAÇOES (Este texto me foi entregue sem a referência bibliográfica. Se alguém o conhecer, por favor

Read More