Tcc – projeto de pesquisa

Categories: Trabalhos

0

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ GIULLIA EDWIGES PIRES BOENTE A Teoria dos Conjuntos Fuzzy como Ferramenta para Avaliação da Qualidade de Software de Automação W’. p next page Industrial Rio de Janeiro 2011 GIULLIA EDWIGES Pl A Teoria dos Conjunt Qualidade de Softwa de Automação ndus 9 ta para avaliação da Projeto de Pesquisa apresentado à Disciplina de Projeto Final I do Curso de Bacharel em Sistemas de Informação da Universidade Estácio de Sá, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Sistemas de Informação.

RIO de Janeiro 201 1 2 SUMÁRIO 1. PROBLEMÁTICA 2. REFERENCIAL TEORICO . 2. 1. QUALIDADE.. . 10 2. 2. QUALIDADE DOS PROCESSOS DE SOFTWARE.. 16 2. 3. QUALIDADE DOS PRODUTOS DE SOFTWARE 2. 4. INDICADORES DE SATISFAÇAO . 29 2. 5. TEORIA DOS CONJUNTOS FUZZY 3 1. 1. CONTEXTO . 20 07 — 09 30 Na área de produção de software, há uma urgente necessidade de um maior foco sobre a questão de qualidade. Segundo Mecenas e Oliveira (2005), a produção de software deixou de ser, há algum tempo, uma atividade baseada apenas na intuição ou na experiência dos desenvolvedores.

O processo de desenvolvimento de software tem sido objeto de inúmeros estudos, há mais de três décadas, numa tentativa de erivar modelos que possibilitem o gerenciamento das fases de produção e assegurem que os produtos tenham a qualidade desejada pelos consumidores. Nesse contexto, existem inúmeras definições a serem consideradas. Segundo a NBR ISO 8402 (2008), “qualidade é a totalidade das características de uma entidade que lhe As necessidades implícitas incluem a diferença entre o usuário e a evolução do tempo, as implicações éticas, as questões de segurança e outras visões subjetivas.

Pressman (2006) propõe que o uso de metodologias para desenvolvimento de software seja o primeiro passo para obtenção da qualidade de rocessos e produtos de software. Mesmo estando no século XXI e existindo inúmeras técnicas de engenharia de sofM’are, ainda existem projetos de software que são gerados com pouquíssima qualidade ou até com nenhuma. Dados da Standish Group (1995 apud SOARES, 2004, p. 2), usando como base para aproximadamente 8. 00 projetos, mostram que apenas 16,2% dos projetos foram entregues respeitando os prazos e os custos e com todas as funcionalidades 4 especificadas; Aproximadamente 31 % dos projetos foram cancelados antes de sua finalização efetiva e 52,7% foram entregues, mas com prazos aiores, custos maiores ou com menos funcionalidade do que o especificado no início do projeto. Dentre os projetos que não foram finalizados de acordo com os prazos e custos especificados, a média de atrasos foi de 22,2%, e a média de custo foi de 18,9% a mais do que o previsto.

Considerando todos os projetos que foram entregues além do prazo e com custo maior, na média, apenas 61% das funcionalidades originais foram incluídas. Mesmo os projetos cuia se aplicar as normas de engenharia de software, os resultados iniciais em termos de qualidade, confiança, datas de entrega e custo são promissores. Mello Filho (2009) afirma que “o grande mérito do relatório da Standish Group foi mostrar a generalização do problema e expondo a primitiva prática de projeto aplicado na área”.

Tomando como base a realização de uma pesquisa com 365 organizações de desenvolvimento de software e abrangendo 3682 sistemas ou projetos, foi demonstrado pelo projeto que 222% indicava o atraso médio na entrega de um projeto de software e em média 189% dos projetos apresentavam seus custos além do estimado no início do projeto. Em média, somente 61% do que era combinado realmente era entregue (MELLO FILHO, 2009). Qualidade é o sucesso para o negócio de software, como em qualquer outro.

Uma questão chave é verificar se realmente os gerentes de projeto estão satisfeitos com os 5 aspectos da qualidade de software produzidos. Na literatura pesquisada não se tem um modelo que possa realizar tal avaliação. Em Fundações Públicas Estaduais, em particular na FAETEC – Fundação de Apoio à Escola Técnica existe uma necessidade, por parte da diretoria de informática, DINFO, em saber se os gerentes de projetos estão satisfeitos com a qualidade dos softwares que são produzidos por suas equi 4 dados. 1. 2.

FORMULAÇÃO DO PROBLEMA Como avaliar a satisfação dos gerentes de projetos quanto ? qualidade de software? 1. 3. OBJETIVOS DA PESQUISA 1. 3. 1. OBJETIVO GERAL Avaliar a satisfação dos gerentes de projetos quanto à qualidade de software. 1. 3. 2. OBJETIVOS ESPECIFICOS Entre os objetivos específicos, podem ser listados: dentificar qualidade; Discutir a qualidade dos processos de software; Discutir a qualidade dos produtos de software; Discutir os modelos de índice de satisfação; Discutir a teoria dos conjuntos fuzzy. 1. 4. HIPOTESE para efeito desta pesquisa, utilizando-se a teoria dos conjuntos uzzy que constitui-se em variáveis linguísticas, s 39 possível mensurar a projetos quanto à qualidade do software produzido por uma Fundação Pública Estadual. 1. 6. JUSTIFICATIVA Em relação à academia, o estudo contribui para a área de administração, marketing e informática, por abordar um tema que se situa na intersecção das áreas de gestão, mercado e tecnologia da informação. ? importante para a equipe de desenvolvimento de software da Diretoria de Informática (DINFO) da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC), visto que a diretoria geral da DINFO, através dessa esquisa, poderá identificar se existe satisfação dos gerentes de projetos, quanto à qualidade 7 Apresenta uma relevância pessoal visto que, como engenheiro de softw’are, Irei beneficiar-me ao identificar as variáveis que venham medir a satisfação de gestores de projetos, quanto à qualidade de software. 1. 7.

DEFINIÇAO DE TERMOS Desenvolvimento de sistemas – atividade de implantação de sistemas por meio de linguagens de programaçao (PRESSMAN, 2006). Garantia da qualidade – visa garantir que os processos e produtos de software estejam em conformidade com os requisitos especificados e aos lanos estabelecidos (ISO/IEC 9126-1′. 2001, 2009). Gestão da qualidade – atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização, no que diz re ade (ISO/IEC 6 resultado consistente proveniente da produção de software (ISO/IEC 9126-4:2001, 2009).

Qualidade de s oftw are – habitual prática do processo de produção de software segundo os princípios da engenharia de software (ISO/IEC 9126-1:2001, 2009). Métrica de s oftw are – representa a relação estabelecida entre medidas de alguma propriedade do software ou da sua especificação (ISO/IEC 9126-4:2001, 2009). 8 2. REFERENCIAL TEÓRICO O objetivo deste capítulo é fazer uma revisão teórica a respeito da qualidade e satisfação dos gerentes de projetos, tendo como foco principal a qualidade de software e os modelos nacionais de índice de satisfação do cliente existentes. 2. 1.

QUALIDADE Segundo a atual norma brasileira que trata sobre o assunto, NBR ISO 8402, qualidade é a totalidade das características de uma entidade que lhe confere a capacidade de satisfazer as necessidades explic•tas e implícitas. pela interpretação da norma, entidade refere-se ao produto ou prestação de serviço. As necessidades explícitas são as próprias condições e objetivos propostos pelo contratante/contratado. As necessidades implícitas incluem as diferenças entre os diversos usuários, a evolução no tempo, as implicações éticas, as questões de segurança e outras visões subjetivas.

Ao perguntar-se para qualquer essoa o que pensa sobre qualidade, ou como 3g conformidade com os requisitos, ou adaptabilidade ao uso, adequação ao cliente elou usuário; atendimento perfeito de forma confiável (sem defeitos), acessivel (baixo custo), segurança e no tempo certo às necessidades do cliente; é ausência de desperdício, é “atitude”. Rodrigues (2006, p. 1 1) afirma que a “qualidade é o que o cliente/ usuário, percebe ou entende por valor, diante do seu socialmente aprendido, do mercado ou sociedade e das tecnologias disponíveis”. A figura 1, em conformidade com a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas mostra o modelo de gestão da qualidade adotado pela ISO gooo:2000, onde a partir das necessidades e expectativas de clientes, tem-se a agregação de valores aos produtos e prestações de serviços, visando atingir a satisfação deles. Quando os beneficios pesam significativamente mais que os ustos, valor alto é percebido e os consumidores ficam satisfeitos (CHURCHILL, 2000, p. 151). A satisfaçao do consumidor e o valor recebido por ele pode influenciar em decisões de compras futuras.

Figura 1. Modelo do Sistema de Gestão da Qualidade da ISO 9000:2000 Fonte: González, 2005, p. 20. A satisfação pode ser defi 8 valiaçao pós-consumo de avaliada isoladamente. No desenvolvimento de software, um método pobre ou a ausência de uma metodologia pode ser a causa da baixa qualidade. A avaliação da qualidade está diretamente relacionada com a qualidade de processos e metodologias utilizadas no desenvolvimento do oftware (BOENTE, OLIVEIRA e ALVES, 2008, p. 2). No contexto da qualidade do desempenho de um software, Mecenas e Oliveira (2005, p. 8), afirmam que constitui um mito e um desafio nos meios tecnológicos”. Apesar de o software ser um produto ligado à alta tecnologia, como qualquer outro produto, tem a origem das suas métricas de qualidade baseadas nas práticas voltadas para produção de manufaturado (CÔRTEZ e CHIOSSI, 2001 apud MARQUES e SILVA, 2008, p. 2). Do mesmo modo, este produto objetiva com a formulação e a implantação de modelos de qualidade obter, principalmente, a satisfação das necessidades do suário final e o aprimoramento do processo de produção (MARQUES e SILVA, 2008, p. 3).

Dromey (2008) propõe que alguns desenvolvedores procurem fazer uma abordagem da qualidade de software como uma habitual prática do processo de produção de software segundo os princípios da engenharia de software. Pressman (2006, p. 724) define qualidade de software como: A conformidade a requisitos funcionais e de desempenho explicitamente declarados, a padrões de desenvolvimento claramente documentados e a características implícitas que são es eradas de todo o software profissionalmente empresa de desenvolvimento de oftware que trabalhe nesse mercado globalizado e altamente competitivo.

Rezende (1999, p. 97) afirma que “um software ou sistema de informação tem qualidade quando está adequado à empresa, ao cliente elou usuário e atende a padrões de qualidade predefinidos”. Figura 2. Requisitos da Qualidade Fonte: Tsukumo et al. , 1997, p. 175. No contexto de desenvolvimento de software, Rocha (1994) diz que qualidade pode ser entendida como um conjunto de características a serem satisfeitas em um determinado grau, de modo que o produto de software atenda às necessidades explícitas e implícitas de seus usuários.

Contudo, não se consegue obter qualidade do produto de forma espontânea. A qualidade deve ser construída ao longo do processo do desenvolvimento do software e também após a entrega do mesmo. 12 A gestão da qualidade faz parte das atividades que envolvem o gerenciamento e controle de projetos. O controle da qualidade do projeto inclui os processos requeridos para garantir que o projeto de software irá satisfazer ou até superar as expectativas de seu contratante (BOENTE, 2003, p. 66). Concomitantemente ao desenvolvimento de novos produtos e serviços, as organizações precisam de seus processos 0 DF 39

Celular, internet e redes sociais

0

Celular, internet e redes sociais Ficar sentado de frente para um monitor para acessar a internet já se tornou coisa

Read More

Comandos dos que achei na net

0

comandos do DOS Essa parte contém vários comandos que podem ser utilizados nao so em BADCOMS mas em batches inofensivos.

Read More