Tcc sobre internet e tecnologia perante países pobres

Categories: Trabalhos

0

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 02 2 UMA BREVE HISTÓRIA SOBRE A INTERNET 04 2. 1 ARPA – o vovô da internet04 2. 1. 1 Google nc. 05 2. 2 0 Que É E-commerce? 06 2. 2. 1 E-commerce ou i-commerce 07 2. 2. 2 Quem botou o “e” em e-commerce? 08 2. 2. 3 As modalidades de e-commerce 09 2. 3 A mundialização do acesso IO 2. 4 A importância do 2. 5 Os benefícios do 3 A TECNOLOGIA DA 3. 1 ATI nos países p 3. 2 Infra-estrutura é 4. Justificativa IS 3. problema 16 4. Hipótese 17 5. Objetivo 18 6.

Metodologia 19 OF24 Swipe nentp FORM Informação 14 7. Relevância Teórica 20 8. Bibliografia 21 negócios quanto o e-commerce, a internet é visivelmente um romissor canal de venda de produtos e serviços, prometendo às partes interessadas um acesso rápido e com o mínimo de fricção. “O uso da internet cresce em todo o mundo, mas os parses desenvolvidos ainda são os responsáveis pela maior parte dos usuários e têm as maiores taxas de penetração da rede mundial de computadores na sociedade”.

O fragmento retirado do relatório da última conferencia da ONU em relação ao Comércio e Desenvolvimento chama a atenção para a questão da situação dos países menos desenvolvidos perante o comércio eletrônico, países estes onde apenas uma equena parcela da população tem acesso à internet. A internet é uma poderosa ferramenta para difundir, multiplicar e incentivar a comunicação mundial entre pessoas, empresas e instituições.

Economicamente falando, seu poder é refletido principalmente através do e-commerce, uma aplicação das tecnologias da informação direcionada para apoiar processos produtivos e transações de bens e serviços. De uma forma bem ampla, isso permite fortalecer a rede global de produção, comércio e tecnologia. O comércio eletrônico contribui para articular o desenvolvimento, a produção e as endas de bens físicos como livros, discos, automóveis etc. ornando as transações mais rápidas e econômicas. Os Estados Unidos, como já era de se esperar é o pioneiro nesta tecnologia. Outros beneficiados desta nova era econômica e cultural são a união Européia e o sudeste Asiático. Dominada por essas grandes nações a internet e seus benefícios não atingem os países mais pobres. Educação, medicin 24 essas grandes nações a internet e seus benefícios não atingem os países mais pobres.

Educação, medicina, centrais de atendimento, turismo, informações, são aplicações da internet em países como África do Sul que, superando as expectativas, adotou o celular de forma rápida e massiva como um substituto à mediocridade das estradas e da rede de telefonia fixa, adaptando seus usos ? pobreza que prevalece. Além disso, os economistas consideram a internet como um acelerador de crescimento. Um recente estudo do Banco Mundial avalia que um aumento de 10% dos pontos de acesso à internet rápida gera 1,3 pontos de crescimento.

Esses benefícios poderiam ser capazes de ajudar a amenizar a pobreza de forma que a população pudesse usar os serviços do governo, candidatar-se a oportunidades de emprego, fazer crescer seus egócios, aprender sobre problemas de saúde e comunicar-se com pessoas do mundo todo trocando experiências. O fato é que a internet se alastra pelo globo de forma desigual e numa velocidade preocupante, nos fazendo pensar em suas consequenclas. 2 UMA BREVE HISTORIA SOBRE A INTERNET 2. 1 ARPA – o vovô da Internet ARPA, Advanced Reaserch Pro•ect ency ou Agencia de Projetos em Pesquisa Avançada.

O o Fevereiro de 1958, 3 24 contra os avanços tecnológicos dos inimigos. No inicio da década de 60 surge através de Robnett Licklider a idéia de conectar pessoas, esta nova postura encontrou ificuldades para ser realizada uma vez que, na época, as industrias de computadores eram voltadas à produção de poderosas máquinas de calcular. Chegando finalmente a um consenso, em 1969, nasce a ARPANET, que em sua primeira conexão, ligou a Universidade da Califórnia (UCLA) ao SRI (Standford Reaserch Institute, Califórnia).

Posteriormente outros pontos da Rede foram inseridos como a Universidade de California em Santa Barbara e a Universidade de UTAH em Salt Lake City. O termo internet nasceu em 1970 e Vinton Cerf (um dos pesquisadores – personagem chave da história da internet) é considerado a primeira pessoa a utilizá-lo. E em 1972 já eram 37 pontos, porém o acesso a pequena rede ainda era limitado às instituições de pesquisa ligados ao governo ou aos militares. Em 1975 Bill Gates cria a Microsoft que se empenha em desenvolver, fabricar e produzir softwares e equipamentos eletrônicos.

Em 2007 a Microsoft já registrava 80 mil colaboradores em mais de 100 países e lucros anuais estimados em 5 Bilhões de dólares. No final dos anos, 70 0 TCP/IP (transmission control protocol/ Internet protocol), estabelecido pela ARPA como um conjunto de regras para o envio de dados passa a ser utilizado por varias nstituições de pesquisas, o que possibilitou a milhares de usuários trocar informações, e esse é o inicio da internet que conhecemos hoje.

O final desta década também marca o inicio dos “emoticons”, combinações de signos para express 4 24 hoje. O final desta década também marca o inicio dos “emoticons”, combinações de signos para expressar sentimentos, do spam (lista de destinos extremamente numerosa contendo a mesma mensagem). Em 1983 a ARPANET é desmilitarizada e foi definitivamente extinta. Enquanto isso a internet crescia estendendo seus benefícios a usuários comerciais que procuravam serviços de tilização mais simples fora da área acadêmica.

Este também foi o ano em que os ‘Vírus” tornaram-se públicos, seguidos pelos IRC (Internet Relay Chat), um programa de Chat que permite conversar pela internet em tempo real, os sistemas de busca como o www (world wide web), o mais famoso deles. Virton Cerf, também chamado de pai da Internet cria em 1991 a ISOC – Internet society, destinada ao desenvolvimento mundial da Internet. A ISOC é uma organização não governamental e sem fins lucrativos. Nasce, em 1995 0 Netscape o primeiro navegador comercial criado por Marc Adreessem. A Internet é agora acessível qualquer usuário de PC.

Seguida pelo Internet Explorer, desenvolvido e fabricado pela Microsoft no mesmo ano. Em julho de 1995, o comercio eletrônico ganha o primeiro de seus grandes lideres: Jeff gesos, criador da livraria virtual Amazon. com, vende seu primeiro livro pela internet. Em um único mês, já estava realizando entregas em 45 paises e dois anos depois já recebia 50. 000 visitas por dia. Também de extrema importância para o comercio eletrônico o eBay é fundado por Pierre Omidyar com a intenção de completa uma coleção de balas e então a comunidade da internet conheceu o primeiro site de leilões.

Ele avisa que ou e balas e então a comunidade da internet conheceu o primeiro site de leilões. Ele avisa que outras pessoas podem se utilizar do site para venderem coisas que não utilizam mais. (discovery comm) 2. 1. 1 Google Inc. Califórnia, EUA, setembro de1998. Os dois estudantes Larry Page e Sergey Brin, da Universidade de Stanford, criam a partir de um projeto de Doutorado o que viria a ser a marca mais valiosa do mundo (segundo levantamento feito pela consultoria Millward Brown). Uma das propostas dos criadores do Google é ter uma publicidade discreta bem dirigida para que o usuário perca o menor tempo possível, sem distrações.

Hoje, com diversos serviços on-line, sendo que a maior parte deles é oferecido gratuitamente, incluindo ferramentas de pesquisa avançada, compartilhamento de fotos e vídeos, tradução, e ainda fornece um modelo tridimensional do globo terrestre construído a partir de fotos de satélite. O sucesso do Google tornou as ações da empresa as mais valorizadas e rentáveis nas bolsas dos EUA, em alta contínua desde sua disponibilização aos investidores. A internet tornou-se cada vez mais popular, depois destes grandes fenômenos o mundo ainda viria a conhecer outros sucessos como o Blogger, a Wikpedia, Second Life, facebook,

YouTube e, ainda, a Apple que lança o Iphone que é capaz de se conectar à internet. Hoje, estima-se que a internet conta com mais de um bilhão de utilizadores pelo mundo segundo a comScore e o numero de sites multiplica-se exponencialmente. 2. 2 0 Que É E-Commerce? Utilizamos o termo e-commerce para designar a forma eletrônica de compra e venda de bens e se 6 OF24 Utilizamos o termo e-commerce para designar a forma eletrônica de compra e venda de bens e serviços utilizando tecnologias da informação como a internet.

Existe o Business-to-gusiness (B2B), Business-to-consumer (B2C), e ainda Consumer-to-consumer que onsiste na venda ou troca entre consumidores finais, um grande exemplo desta modalidade é o site de leilões Mercado Livre. Desta forma o cliente pode adquirir os mais variados produtos ou serviços disponíveis na internet por meio de lojas virtuais. Ele pesquisa, escolhe, personaliza e define a forma de pagamento e dentro de alguns dias recebe o produto ou serviço diretamente em casa. É o ramo de atividade econômica que mais cresce no mundo e tem até seu próprio dicionário.

O mercado mundial está absorvendo o comércio eletrônico em grande escala, muitos ramos de economia estão ligados ao e-commerce. As jovens mpresas que ingressa no comércio on-line têm atra[do o maior numero de investidores do mercado de ações, aumentando o valor de mercado de forma espetacular. Através de conexões eletrônicas com clientes, fornecedores e distribuidores, o comércio eletrônico incrementa e viabiliza eficientemente a comunicação entre estes, para expandir a participação no mercado mundial e manter a viabilidade de longo prazo no ambiente de negócios.

No início, a comercialização era (e ainda é) feita em torno de livros, CDS e demais produtos tangveis. Entretanto, com o avanço da tecnologia, surgem novas tendências para a comercialização a internet. A grande vantagem para essa nova mania é que as lojas virtuais, seja ela de venda de produtos ou de ser grande vantagem para essa nova mania é que as lojas virtuais, seja ela de venda de produtos ou de serviços é que as empresas virtuais não precisam de espaço físico, nem de vendedores, diminuindo os custos com aluguel e funcionários.

Além disso, estão abertas 24h por dia e oferecem serviços diferenciados e personalizáveis de acordo com o perfil do usuário. 2. 2. 1 E-commerce ou i-commerce O e-commerce é derivado do termo comércio eletrônico; i- commerce é derivado do termo comercio na Internet. Atualmente ambos os termos são utilizados de forma intercambiável, mas na pratica o i-commerce é apenas um subconjunto do e-commerce. or exemplo, se eu inserir um pedido de um cliente em meu computador e ele automaticamente gerar tanto uma fatura eletrônica quanto um lançamento no registro eletrônico de vendas na contabilidade geral, isto é considerado e-commerce. Se eu mandar a fatura a meu cliente por e-mail, isto é considerado tanto i-commerce quanto e-commerce. A maior parte da cobertura na imprensa atualmente focaliza em i-commerce, ou em negócios realizados na web mundial. Entretanto, a maior arte da imprensa especializada é dedicada ao conceito mais amplo do e-commerce.

A maior parte do que discutimos é a funcionalidade do i- commerce. E-commerce é um termo que tem uma definição muito mais abrangente. Sabemos que se os negócios forem conduzidos eletronicamente, estamos fazendo e-commerce, mas quando utilizamos o termo e-commerce hoje, estamos falando principalmente de empresas que utilizam computadores para realizar a maioria das funções de back-office, ou todas elas, com intervenção human para realizar a maioria das funções de back-office, ou todas elas, com interdenção humana mínima ou nenhuma.

A diferenciação mantém as coisas organizadas se considerarmos o e-commerce como ‘negócios conduzidos exclusivamente através de um formato eletrônico’, e o i-commerce como ‘negócios conduzidos em formato eletrônico pela internet’ Ambos os elementos são vitais para a sobrevivência no próximo milênio. 2. 2. 2 Quem botou o “e” em e-commerce? Muitas empresas progressistas estão realizando algum nível de e-commerce. Uma pequena empresa que digita uma fatura em um processador de texto está realizando algum negocio eletronicamente.

Portando, o agito em torno do e-commerce não se refere a algo novo, porque empresas já vêm usando omputadores há décadas. O e-commerce vem recebendo tanta atenção por parte da imprensa simplesmente ao crescimento explosivo da Internet e à pressão sobre todas as empresas no sentido de se unirem a este mundo cibernético. Empresas como o Mercado Livre estão se saindo muito bem na Internet e forçando outras empresas a considerarem seriamente o salto para o espaço.

O principal fator que intensificou tanto o crescimento da Internet é o número de pessoas que passaram a fazer parte da comunidade da Internet. Esse grande grupo de usuários (denominado massa crítica) vem atraindo a comunidade de egócios como o doce atrai formigas. Afinal, que empresa pode resistir a uma grande aglomeração de pessoas todas no mesmo lugar? Bem, não fisicamente no mesmo lugar, mas mais metafisicamente em um só lugar. A internet é essencialmente uma comunidade ou ponto de encontro.

Todos n uma comunidade ou ponto de encontro. Todos nós vamos ? Internet para receber, dar ou trocar informações, e a natureza comunitária da web é o principal atrativo para corporações ávidas por oportunidades de comprar e vender. A internet vai um pouco além de seu ponto de encontro comunitário tradicional. Ela mantém informações detalhadas e igidamente controladas sobre quem está em que lugar do ponto de encontro. Isto torna extremamente fácil para as corporações direcionarem sua propaganda. 2. 2. As modalidades de e-commerce • Business-to-Business (B2B) O B2B refere-se a toda a venda que uma empresa faz para outra através da Internet. De acordo com o Garnet Group, o B2B deve movimentar mais de US$7 trilhões de dólares em 2004, representando cerca de 7% de todas as transações de vendas mundiais. Uma prática cada vez mais adotada nas relações entre empresas é a integração dos sistemas de informações das empresas da cadeia de valor. A troca eletrônica de dados entre empresas permite a simplificação dos processos mercantis e reduzidos os custos de produção.

Com a troca de dados de produção as empresas reduzirem seus ativos e os fornecedores produzem baseados na produção dos clientes. O EDI – Electronic Data Interchange – é um processo de troca padronizada de informações utilizada por comunidades comuns de negócios. Existem vários padrões de formatos de mensagens atendendo diferentes mercados. Entretanto, como isso dificulta o intercâmbio entre diferentes comunidades internacionais, as Nações Unidas (ONU) desenvolveu e fomenta 0 DF 24

Dpps anhaguera

0

A)O desenho técnico deve ser legível, mostrando todas as características do objeto que representa, sem causar dúvidas na forma como

Read More

O renascimento: contexto

0

Andressa de Mendonça Álvares Universidade Federal de Goiás – Faculdade de Artes Visuais Arquitetura e Urbanismo – 20 Período História

Read More