Tecnico mecanica

Categories: Trabalhos

0

ESCOLA TECNICA PROFISSIONAL – ETP CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA A INSERÇÃO DO TÉCNICO DE MECÂNICA NO MERCADO DE TRABALHO. RIO DAS OSTRAS 201 1 1. INTRODUÇÃO O curso técnico brasileiros por ter u duração máxima de I OF7 Sw. p view nent page uns estudantes torno imediato e O boom ocasionado no mercado, carente desses profissionais, gerou uma atratividade por parte das pessoas e mudou a idade média dos estudantes desta área, que anteriormente era assunto somente de alunos concluintes do Ensino médio.

Por este motivo é que este trabalho é relativo assuntos referentes à atuação do técnico em mecanica e suas atividades exercidas de uma maneira geral, falando das características necessárias e mecanismos de inserção do individuo qualificado desta área, no mercado de trabalho. O mesmo, se deu por meio de pesquisas feitas em sites da internet e coleta de informações com profissionais formados e que atuam na área. O objetivo do mesmo é prestar informações sobre o curso técnico em mecânica industrial e como o profissional deverá atuar nesta área. lal Studia processos de produção, de tecnologias de máquinas e erramentas, materiais e processos de usinagem; aplicar corretamente as normas de mecânica relacionadas com a construção de máquinas e aparelhos; possuir conhecimento de chefia e liderança, higiene e segurança no trabalho, entre outras. para tanto, é necessário que o mesmo possua de igual modo características pessoais que colaborem com sua permanência no curso e possam habilitá-lo a se tornar um profissional capaz de enfrentar um mercado cada vez mais acirrado e competitivo. 2.

DESENVOLVIMENTO 1. – CARACTERISTICAS GERAIS DO CURSO TÉCNICO O Curso Técnico de Nível Médio Integrado em Mecânica tem por bjetivo formar profissionais de nível médio com conhecimento técnico para atuar na área industrial mecânica. O Técnico em Mecânica é o profissional que tem por característica a capacidade do trabalho em conjunto, conhecimento técnico nas áreas da mecânica, formação tecnológica e capacidade de mobilização destes conhecimentos, para atuar no mercado de trabalho de forma criativa, ética e consciente dos impactos sócio-culturais.

O Técnico em Mecânica adquire competências para auxiliar na elaboração de projetos e execução de desenhos de equipamentos mecânicos e seus componentes, nas atividades de álculos técnicos, orçamentos e especificações de materiais em projetos mecânicos, na coordenação e supervisão de instalações e manutenção preventiva e corretiva de serviços mecânicos, na execução de trabalhos de controle de qualidade, ensaio de materiais, de pesquisa a mecânicos, na execução de trabalhos de controle de qualidade, ensaio de materiais, de pesquisa aplicada bem como a execução de processos de fabricação.

O objetivo é atender à crescente demanda da indústria, fazendo- se necessário formar profissionais habilitados a desenvolver tividades de acordo com a legislação técnica em vigor e numa perspectiva de desenvolvimento social, econômico e político. O Curso Técnico em Mecânica Industrial visa à melhoria da qualidade na produção industrial. 2. – EXEMPLOS DE CONTEUDOS ASSIMILADOS DURANTE O CURSO. Neste momento, tentarei apresentar de forma sucinta, alguns assuntos abordados no Curso. 1. METROLOGIA Metrologia é a ciência usada pela mecânica para estudar as medidas das peças e equipamentos de acordo com o padrão internacional. Hoje, o padrão do metro em vigor no Brasil é recomendado pelo NMETRO, baseado na velocidade da luz, de acordo com decisão da 1 7a Conferência Geral dos Pesos e Medidas de 1983. O INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), em sua resolução 3/84, assim definiu o metro: Metro é o comprimento do trajeto percorrido pela luz no vácuo, durante o intervalo de tempo de do segundo. ? importante observar que todas essas definições somente estabeleceram com maior exatidão o valor da mesma unidade: o m etro. 3 de medidas próprio, facilitando as transações comerciais ou outras atividades de sua sociedade. Acontece que o sistema inglês difere totalmente do sistema métrico que passou a ser o mais usado em todo o mundo. Em 1959, a jarda foi definida em função do metro, valendo 0,91440 As divisões da jarda (3 pés; cada pé com 12 polegadas) passaram, então, a ter seus valores expressos no sistema métrico: 1 yd (uma jarda) = 0,91440 m 1 ft (um pé) = 304,8 mm 1 inch (uma polegada) = 25,4 mm 299. 92. 458 Apesar de se chegar ao metro como unidade de medida, ainda são usadas outras unidades. Na Mecânica, por exemplo, é comum usar o milímetro e a polegada. O sistema inglês ainda é muito utilizado na Inglaterra e nos Estados Unidos, e é também no Brasil devido ao grande número de empresas procedentes desses países. Porém esse sistema está, aos poucos, sendo substituído pelo sistema métrico. Mas ainda permanece a necessidade de se converter o sistema inglês em sistema métrico e vice-versa. Vamos ver mais de perto o sistema inglês? Depois passaremos às conversoes.

O sistema Inglês O sistema inglês tem como padrão a jarda. A jarda também tem sua história. Esse termo vem da palavra inglesa yard que significa “vara”, em referência a uso de varas nas medições. Esse padrão oi criado por alfaiates Ingleses. No século XII, em conseqüência da sua grande utilização, esse padrão foi oficializado pelo rei Henri ue l. A jarda teria sido definida, então, como a di a ponta do nariz do rei e a 4 tena sido definida, então, como a distância entre a ponta do nariz do rei e a de seu polegar, com o braço esticado.

A exemplo dos antigos bastões de um cubito, foram construídas e distribuídas barras metálicas para facilitar as medições. Apesar da tentativa de uniformização da jarda na vida prática, não se conseguiu evitar que o padrão sofresse modificações. As relações existentes entre a jarda, o pé e a polegada também foram instituídas por leis, nas quais os reis da Inglaterra fixaram que: 1 pé = 12 polegadas 1 jarda 3 pés 1 milha terrestre = 1. 60 jardas Leitura de medida em polegada A polegada divide-se em frações ordinárias de denominadores iguais a: 2, 4, 8,16, 32, 64, 128… Temos, então, as seguintes divisões da polegada: 2 (meia polegada) 4 (um quarto de polegada) 8(um oitavo de polegada) 16(um dezesseis avos de polegada) 32(um trinta e dois avos de polegada) 64 (um sessenta e quatro avos de polegada) S automobilística, naval, química, petroquímica, alimentícia, metalúrgica, entre outras, além de empresas prestadoras de serviços de manutenção industrial. 3.

INSERÇAO DO TECNICO DE MECANICA NO MERCADO DE TRABALHO 1. – QUALIDADES NECESSSÁRIAS O profissional técnico em mecânica que deseja atuar no mercado de trabalho deve ser altamente disciplinado, organizado, minucioso e possuir uma atenção concentrada razoável, com o fim de evitar danos e fazer rotineiramente a verificação de peças e máquinas através da chamada manutenção preditiva. O mesmo eve ser carismático e é imprescindlVel que saiba trabalhar em grupo, pois em geral são formadas equipes de manutenção e a socialização faz-se necessário neste tipo de atuação. . -MECANISMOS DE INSERÇAO NO MERCADO DE TRABALHO Não basta somente ter a formação técnica para ser inserido no mercado. É necessário que o indivíduo busque novos recursos que possam auxiliá-lo a agregar valor na hora de ser contratado. Pesquisas mostram que os profissionais dessa área que conseguem contrato, em geral, por ter adquirido no mínimo um ano de experiência e a melhor maneira de alcançá-la é fazendo urante o curso um estágio, onde o mesmo adquire maturidade profissional e experiência.

Foi comprovado também que as empresas costumam admitir seus estagiários, como meio de reaproveitá-los. Outra forma de ser admitido é recorrer a cursos que agreguem valor ao curso técnico, tais como usinagem, soldagem, caldeiraria, inspetor de solda etc. Empres ao curso técnico, tais como usinagem, soldagem, caldeiraria, inspetor de solda etc. Empresas costumam admitir pessoas que possuam cursos que complementam a área, pois apresentam além de tudo um perfil múltiplo, o que é muito interessante para a empresa.

Cursos de língua estrangeira também contam bastante ponto na hora da escolha do profissional, bem como estar cursando nível superior na área industrial (Eng. Mecânica, Automação etc). 4. CONCLUSÃO Concluímos que o técnico em mecânica para ser inserido no mercado de trabalho, deve possuir não somente conhecimento na area, mas também buscar novas formações investindo no seu desenvolvimento profissional para que as portas do mercado de trabalho se abram com maior facilidade para os novos profissionais que surgem a cada ano no país. or mais competitivo que seja o mercado, é preciso fazer ma constante verificação das exigências do mesmo e se habilitar conforme as necessidades do mercado, sendo assim, nao faltarão oportunidades para quem dispensar tempo, dinheiro e bom desempenho. 5. BIBLIOGRAFIA http://www. ifgoias. edu. br/index. php/mecanica http://www. pg. utfpr. edu. br/comec/01. html http://www. cursostecnicosbr. com/curitiba/curso/Mecanica -Industrial-Subsequente-i2bd8. htmI? MEid=7 http://www. cefetop. edu. br/unidades/uned-congonhas/cursos ‘mecanica http://www. educaedu-brasil. com/curso-tecnico-em-mecanica -industrial-curso-de-formacao-21151 . html

Tabelas de dispersão

0

Tabelas de dispersão O que é? Tabela de Dispersão é uma estrutura de dados especial que associa chave de pesquisa

Read More

Moretti, silvinha. qualidade de vida no trabalho x auto-realização humana. 14.p. disponível em: http://www.ergonomia.ufpr.br/pb%20qvt%20realiz%20humana.pdf. acesso em: 04 de abril de 2012.

0

Moretti, silvinha. qualidade de vida no trabalho x auto-realização humana. 14. p. disponível em: http://www . ergonomia. ufpr. br/pb%20qvt%20realiz %20humana.

Read More