Antropologia

Categories: Trabalhos

0

Trabalho de Antropologia Professor: Salvador Schavelzon Primeiro ano, Publicidade e Propaganda – Matutino Gropo Social Pesquisado: Consumidores de Cigarro to view nutgEge Trabalho de Antropologia – Sumário Capa e Apresentação 01 02 História do A Vida de Quem Fumante Passivo… 07 A respeito da Indústria Tabagista Objetivo da Campanha…. Panfleto Campanha Anti Tabagista… OI O Referências 03, 04 04, 05 — 05, 06, 07, 08 . 08, 09 „ 09 acetato de celulose. Ninguém sabe ao certo sobre as verdadeiras raízes do cigarro. Entre elas se destaca o consumo na América Central no século IX na forma de cachimbos feitos com bambu.

Vánas tribos reconhecidas mundialmente por sua grandes contribuições para a sociedade, já fumavam tabaco misturado a outros elementos como forma de se comunicar com os Deuses, os Maias e os Astecas, enquanto isso, em outra parte do território mundial, o tabaco era consumido pela forma de charutos, muito semelhantes aos que consumimos e conhecemos nos dias atuais. O cigarro produzido na América do Sul e Central dispunham de varias plantas para que se desse a condlção de consumo, quando foi levada até a Europa, a maneira de se consumir o cigarro, assou de plantas para capa de milho. or volta do século XVII foi intrudizido na “produção” do cigarro o papel fino, que se assemelha muito com o papel que dispomos nos dias atuais, na época era nomeado como “papelete” Por volta de 1830 0 cigarro chegou na França, onde recebeu o nome de cigarrete, o termo que usamos hoje, cigarro, deriva deste nome. Apartir de 1845 0 governo começou a produzir a droga, os soldados que lutaram na 10 Guerra Mundlal popularizaram o cigarro, influenciandos pelo governo da época.

Posteriormente chegaram as primeiras caixas de cigarro, denominadas “cigarrillo” ou “cigarrito”. A popularizaçao da droga se deu por conta da propaganda e marketing, agregados ao tabaco. Em tempos como a Segunda Guerra Mundial, o tabaco ficou muito caro, pois era racionalizado para o consumo dos soldados. Como todos bem sabemos, o cigarro é uma droga que causa dependencia fisica ou psiquica, mais de fato o que leva uma pessoa a q PAGF70F11 cigarro é uma droga que causa dependencia física ou psiquica, mais de fato o que leva uma pessoa a querer fazer uso do cigarro?

Estudos mostram que uma das grandes culpadas para o aumento do consumo do tabaco é a industria cinematográfica, pois s grandes icones de cinema sao colocadas como fumantes, induzindo assim os grandes fans das telenas a consumirem a droga de forma que eles se pareçam com seus idolos. Outra forma de se começar a consumir a droga é por influência dos amigos na adolescencia, e pela grande ânsia de tentar algo novo, causada pela grande complexibilidade dessa idade.

O tratamento do tabaco utilizado na produção de cigarros introduz substânclas cancerigenas que tornam-se ainda mais prejudiciais durante sua combustão podendo prejudicar o organismo de diversas formas, nao existem niveis seguros para as mais de 4. 00 substâncias no consumo do cigarro. Hoje, devido ao conhecimento que grande parte da população tem sobre os males causados pelo consumo dos cigarros, grande parte dos estados brasileiros delimitou áreas para o consumo do tabaco, já que a pessoa que está perto da fumaça do cigarro é igualmente atingida pelos males, o chamado fumante passivo.

Nos maços de cigarros, já como uma tentativa do governo de diminuiçao do consumo de tabaco, há fotos de pessoas, orgãos e membros de pessoas que ficaram severamente conprometidos pelo consumo. No Brasil a publicidade do cigarro é proibido desde o final do éculo passado, uma forma que o governo encontrou de diminuir o índice de pessoas fumantes no Brasil. O Butão foi o primeiro país do mundo a proibir o consumo de cigarros. A vida de quem fuma A maioria das pessoas que fumam começam com PAGF30F11 consumo de cigarros.

A maioria das pessoas que fumam começam com o tabagismo na adolescência, período em que todos querem descobrir o novo, experimentar o que pode ser bom ou não. Dificilmente quem começa a fumar gosta ou sente prazer por aquilo, mas por insistência e busca de afirmação social, acaba se viciando lentamente, muitas vezes sem perceber. O início do vício surge ambém quando um individuo, em certo grupo de amigos, começa a fumar; e logo quase todos daquele meio começam. Têm-se uma sensação de liberdade, poder, e logo depois estas se transformam em prazer e “fissura”, devido a vontade intensa que a pessoa tem de fumar.

O cigarro acompanha a vida do fumante em todos os momentos, e é principalmente lembrado em horas difíceis: de nervosismo, ansiedade, sendo consumido com maior ímpeto nestas situações, pois quem fuma acredita que o tabaco ajuda na concentração e ameniza o stress. A insegurança é um dos principais impulsionadores de quem começa a fumar. O Indivíduo fumante tem um outro grande problema: o sedentarismo. Muitas pessoas que fumam não praticam em quase nenhum momento qualquer tipo de exercício físico, colaborando ainda mais com os problemas de saúde que o cigarro traz.

O stress, juntamente com o tabagismo e o sedentarismo potencializa de forma alarmante o risco de uma pessoa contrair qualquer tipo de doença cardio-respiratória, gerando cada vez mais problemas para a saúde pública de um país. O que realmente tem que ser feito é uma maior conscientização por parte dos adolescentes, pois é nesse grupo social que reside o problema. A maior parte dos fumantes começou a fumar entre os 11 e 17 anos, e a industria taba PAGFd0F11 problema.

A maior parte dos fumantes começou a fumar entre os 11 e 17 anos, e a industria tabagista se aproveita disso para influenciar essas pessoas, que, de certa forma, são mais frágeis a certos tipos de comunicação e estão na época mais conturbada de suas vidas. Quando o problema é cortado pela “raiz” , as coisas se tornam mais fáceis de serem solucionadas. Fumante Passivo Fumante passivo é a pessoa que inala a fumaça de cigarro ou de outros derivados do tabaco, como: cigarrilha, charuto ou achimbo, dos chamados: fumantes ativos.

A pnnclpal fonte de exposição à fumaça do cigarro pelos passivos, consiste no fato de conviver diretamente com fumantes ativos, quer morando ou trabalhando em locais onde é permitido fumar; isto ocorre, principalmente com aqueles que trabalham em bares e restaurantes. Um cigarro aceso produz dois tipos de fumaça: a que o fumantes aspira e devolve depois que é filtrada no seu pulmão, e a chamada lateral que é aquela que o fumante passivo entra em contato.

Esta ultima sai diretamente do cigarro e, por não passar pelo filtro do pulmão de quem está fumando, possu as mesmas ubstâncias tóxicas que a primeira, em concentrações ainda maiores. A fumaça inalada pelos fumantes passivos é composta por mais de quatro mil substancia tóxicas, estando entre elas o monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (C02), cianeto de hidrogênio (HCN e NH3), sendo que, dessas substâncias, 69 são comprovadamente cancerígenas. Além disso, a fumaça lateral contém três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono e clnqüenta vezes mais substancias cancerígenas.

Diversas pesquisas vêm s de carbono e cinqüenta vezes mais substancias cancerígenas. Diversas pesquisas vêm sendo elaboradas a respeito desse tema e, desde já, cientistas mostram que a incidência de câncer de pulmão entre os fumantes passivos é duas vezes maior do que a encontrada na população geral. Esposas dos fumantes possuem o dobro de chance de desenvolverem este tipo de doença, quando comparadas com as esposas de não-fumantes. Também, filhos de fumantes estão mais suscetíveis a doenças respiratórias que os demais, como o exemplo de se ter pais fumantes, pode ser seguido por eles mais tarde.

De acordo com estudos realizados pelo INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), os fumantes passivos sofrem ambém, com a fumaça inalada, os efeitos imediatos da poluição, tais como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaléia, aumento nos problemas alérgicos, principalmente nas vias respiratórias e aumento de problemas cardíacos, como a elevação da pressão arterial e angina. Outros efeitos, a médio e longo prazo são: a redução da capacidade funcional respiratória e o aumento de se ter arteriosclerose ou grande número de infecções respiratórias.

As crianças, infelizmente, também consistem numa grande parte de vitimas dos fumantes ativos, POIS são expostas ? fumaça dentro de suas próprias casas. Desta forma, podem desenvolver doenças cardiovasculares, infecções respiratórias e asma brônquica. Os filhos de gestantes que fumam, apresentam o dobro de chances de nascerem com baixo peso e 70% de possibilidades de sofrerem aborto espontâneo; 30% podem, inclusive, morrer ao nascer. Além de tudo isso, durante o aleitamento, a criança recebe outra fonte de nicotina, através do nascer.

Além de tudo isso, durante o aleitamento, a criança recebe outra fonte de nicotina, através do aleitamento materno. Aproximadamente setecentos milhões de crianças, ou seja, uase a metade das crianças de todo o mundo são fumantes passivas, principalmente devido ao hábito de fumar de seus pais. Os filhos de fumantes parecem apresentar, também, dificuldades de aprendizado, atraso no desenvolvimento da linguagem e outros problemas comportamentais, como distúrbios de conduta, hiperatividade e desatenção. Muitas vezes, ainda, crianças que são fumantes passivas, apresentam maiores chances de se tornarem fumantes ativas, no futuro.

Os maiores benefícios da prevenção do fumo passivo são: aumento de produtlvidade em ambientes de não fumantes, enor risco de incêndios, diminuição de hábitos dos fumantes passivos, entre outros. Além disso, filhos de pais não fumantes terão maiores probabilidades de nao se tornarem fumantes no futuro. Devemos, também, contribuir para diminuir o fumo passivo nos nossos ambientes, divulgando conhecimentos sobre os prejuízos provocados, procurando maiores informações e aconselhamentos sobre o fumo passivo e zelando pela aplicação de leis de restrição ao fumo em ambientes públicos fechados.

Nosso país tem avançado no conhecimento, por parte da população, sobre os prejuízos provocados pelo tabagismo, través da criação de leis que proíbem totalmente o fumo em ambientes fechados, apresentando resultados bastante positivos. Sete estados e vinte e três munic[pios brasileiros já possuem legislação própria, aperfeiçoando a lei federal 9. 294/96, que prolbe a poluição tabagista em ambientes públicos fechados. Isto constitui um grande que proíbe a poluição tabagista em ambientes públicos fechados. Isto constitui um grande avanço, porém precisamos cada vez mais combater este vício, em prol da saúde coletiva.

A respeito da saúde. A Medicina tem motivo suficiente para eleger o cigarro como inimigo número um da Saúde. Antes de se tornar fatal, os fumantes podem sofrer uma série de problemas. Entre eles estão os destacados pelas novas imagens de advertência nas embalagens, como câncer, impotência sexual, doenças vasculares. Há ainda menos conhecidos como dores na coluna, infertilidade, problemas na pele e nos dentes. Cada especialista tem um mal a relatar. Veja abaixo: Dor nas costas – O fumo é um dos principais fatores de risco para desencadear as dores na coluna. Os fumantes inalam substâncias tóxicas que prejudicam a circulação sanguínea do disco intervertebral”, afirma o reumatologista José Goldenberg, utor do livro “Coluna Ponto e Vírgula”, pela Editora Atheneu. Infertilidade – “Nos homens, o cigarro reduz a concentração de espermatozóides, diminu a movmentação e provoca alterações na sua estrutura, que podem favorecer ao aborto por induzir a mal-formações fetais”, afirma o ginecologista e diretor do Huntington Centro de Medicina Reprodutiva, em São Paulo, Eduardo Motta.

Já nas mulheres, o cigarro diminui o fluxo de sangue para os ovários, prejudicando a qualidade do óvulo, e podendo causar ate menopausa antecipada. Coração – Aproximadamente 25% dos casos de infarto devem-se xclusivamente ao cigarro. Segundo o cardiologista Edmar Santos, diretor médico da Cooperativa Moema de Saúde, o cigarro facilita a formação de coágulos, o que pode provocar o ataque cardíaco. “A nicotina au cigarro facilita a formação de coágulos, o que pode provocar o ataque cardíaco. A nicotina aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, além de facilitar a coagulação. Dependendo do local onde se formar este coágulo, o fumante pode ter um Infarto, um derrame ou apresentar outros tipos de problemas”, explica. pele – O cigarro prejudica a micro-circulação dos sistemas eriféricos, ou seja, diminui o oxigênio para a pele, fazendo com que ela perca o viço, o tônus, e reduzindo a renovação celular. Segundo a dermatologista Ana Lúcia Recio, de Sáo Paulo, o grande perigo está na realização de uma cirurgia plástica. Pode dar necrose por causa da deficiência nessa rede vascular. Nos Estados Unidos, os médicos não operam fumantes”, disse. – para a saúde bucal, o cigarro também é inimigo número Dentes um. Ele pode causar desde simples manchas nos dentes até câncer labial. “A nicotina influencia na pigmentação dos dentes, deixando-os amarelados. Além disso, qualquer tipo de fumo, entre eles cigarro, charuto e cachimbo podem causar um tipo de câncer que se concentra nos lábios”, explica o dentista Osvaldo Sérvulo da Cunha, da Clínica Comsorriso.

A indústria tabagista Tida como grande vilã do consumo de cigarro, a indústria tabagista encontra a todo momento novas formas de driblar as censuras cada vez mais rigorosas e ainda influencia grande número de pessoas em todo o mundo. O grande desafio da indústria de cigarros na atualidade é como continuar com o negócio e ate aumentar suas vendas de um produto que literalmente mata seus consumidores. Devido a esse ato, práticas de marketing cada vez mais inteligentes foram e estão sendo realizadas. No passado, a g PAGF40F11 práticas de marketing cada vez mais inteligentes foram e estão sendo realizadas.

No passado, a grande sacada foi colocar os astros de Hollywood e suas super-produções sempre acompanhadas de cigarro. Galãs como Paul Newman, Marlon Brando e Clint Eastwood eram a bola da vez para fazer com que a indústria do cigarro atraísse e consolidasse o seu público consumidor de tabaco. Tempos depois, aproveitando a oportunidade, surgiram as propagandas televisivas que influenciaram muito as pessoas da época. O cowboy da Marlboro fumando seu cigarro se tornou um símbolo de liberdade e segurança.

Após a morte do “Marlboro Man”, vítima de câncer de pulmão decorrente do tabaco, a venda de cgarros entrou em declínio com diversas campanhas de conscientização e esclarecimentos sobre os males do cigarro. As propagandas tabagistas, após a década de 90, sofreram forte censura. Não se pode veicular mais nada na televisão, em outdoors ou em qualquer meio que atinja diretamente o público anúncios a favor do cigarro. O que se observa nos dias atuais são fortes campanhas contra o tabagismo, estas que, mostram, de odas as formas os males do tabaco.

Mesmo assim, a indústria do cigarro consegue driblar a forte censura e sempre projeta novos meios de cada vez adquirir mais adeptos. A bola da vez agora são os jovens adolescentes. Por saber que este grupo de pessoas está numa época de transição e fragilizada, os profissionais de empresas tabagistas aderem a novos tipos de cigarro, os chamados “mentolados”, que ajudam a pessoa a gostar mais do tabaco desde a primeira vez que fumam. Com isso, os adolescentes começam a fumar e logo estão viciados no produto, causando, certamente no futuro, m

Restaurante japones

0

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE ECONOMIA CURSO DE ADMINISTRAÇAO DE EMPRESAS FELIPE STECHMAN DREBES FIDELIZAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DO BANCO VOTORANTIM Porto

Read More

Ddffgghggghhg

0

Ola pessoal tudo bem! Ao Guilherme, Luke,Zй,Mabel,Tatiana,Andrй, Raimond ou a quem mais interessar. Estгo lembrados de mim kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Grifei de

Read More