Téc. segurança do trabalho

Categories: Trabalhos

0

Éo perigo a que determinado indivíduo está exposto ao manipular produtos químicos que podem causar danos físicos ou prejudicar sua saúde. Os danos físicos relacionados à exposição química inclui, desde irritação na pele e olhos, passando por queimaduras leves, indo até aqueles de maior severidade, causado por incêndio ou explosão.

Os danos à saúde pode advir de exposição de cura elou longa duração, relacionadas ao contato de produtos químicos tóxicos com a pele e olhos, bem como a inalação de seus vapores, resultando em doenças respiratórias rônicas, doenças do sistema newoso, doença nos rins e fígado, e até mesmo alguns tipos de câncer. -lal Studia Téc. segurança do trabalho Premium By [email protected] MapTa 15, 2011 | 9 page_s ntroduçao. Os contaminantes químicos são substâncias constituídas por matéria que pode estar presente no ar, na forma de moléculas individuais (gases e vapores) ou de moléculas unidas (aerodispersóldes ou névoas).

A exposição a agentes químicos precisa de um acompanhamento, o reconhecimento dos agentes químicos é uma etapa muito importante, pois nem sempre é possível avaliar todos os rodutos presentes nos ambientes de controle que dêem garantia de que os trabalhadores não estejam expostos. O risco não é só de doença, mas de casos das atmosferas nent page to vien deficientes de oxigên- de gases, vapores e a OF9 os agentes químicos b o ocupacional. 1 Riscos Químicos. mações de misturas or isso trataremos h ne e de segurança cancer. Agentes Químicos. São substâncias ou produtos químicos que podem contaminar a pessoa elou o ambiente. Os principais meios de penetração das substâncias químicas no organismo são: 2. 1 Inalação. Maior grau de risco devido à rapidez com que as substâncias químicas são absorvidas pelos pulmões. A inalação é a principal via de intoxicação no ambiente de trabalho, daí a importância que deve ser dada aos sistemas de ventilação. A superffcie dos alvéolos pulmonares representam, no homem adulto, uma área de 80 a 90m2.

Esta grande superfície facilita a absorção de gases e vapores, os quais podem passar ao sangue, para serem distribuídos a outras regiões do organismo. Sendo o consumo de ar de um homem adulto normal de 10 a 20 Kg/dia, dependendo do esforço fisico realizado, é fácil chegar ? conclusão que mais de 90% das intoxicações generalizadas tenham esta origem. 2. 2 Absorção Contato das substâncias químicas com a pele. A absorção é extremamente critica quando se lida com produtos lipossolúveis, que são absorvidos através da pele.

Quando uma substância química entra em contato com a pele, pode acontecer as seguintes situações: * A pele e a gordura podem atuar como uma barreira protetora efe a ; * O agente pode agir na superfície da pele, provocando uma irritação primária; * A substância pode combi roteínas da pele e da pele produzindo uma ação generalizada; . 3 Ingestão. * Via de regra, acontece por descumprimento de normas de higiene e segurança; * Representa uma via secundária de ingresso de substâncias químicas no organismo, isto pode acontecer de forma acidental.

Essas substâncias são os aerodispersóides sólidos e líquidos, classificados em relação ao tamanho da partícula e sua forma de origem. Quando absorvida pelo organismo podem produzir reações tóxicas e danos à saúde de quem o inale. Essas substâncias químicas podem estar na forma de: 2. 4 Poeiras. São particulas sólidas geradas por ação de ruptura de sólidos em perações como: Lixamento, moagem, trituração, peneiramento, perfuração, explosão, etc.

As poeiras são classificadas em: *Poeiras Minerais: Ex: Sílica, asbesto, carvão mineral. *Poeiras Vegetais: Ex: Algodão, bagaço de cana de açúcar. *Poeiras Alcalinas: Ex: Calcário. Geralmente são maiores que 0,5 micrômetro, nosso sistema respiratório possui proteção contra as chamadas poeiras naturais, geralmente maiores que 10 microns. Existe, portanto, uma faixa de poeiras respiráveis que vai de 0,5 a 10 microns e que são geradas nos processos industriais, contra as quais não se tem proteção.

A inalação dessas substâncias material pode causar vários tipos de doenças chamadas pneumoconioses classificadas em: *Silicose – Trata-se de uma doen a incurável, a mais grave das pneumoconiose provocad contendo sílica (quartzo) 3 pela poeira contendo sílica (quartzo) nos pulmões o que causa fibrose pulmonar, acarreta dificuldade respiratória progressiva podendo chegar à morte. *Asbestose – Provocada pela inalação de asbesto (amianto), tendo como consequência o espessamento das membranas que revestem os pulmões, podendo evoluir para o câncer pulmonar e para a mesotelioma de pleura.

A asbestose pode levar de 15 a 20 anos para instalar, sendo por isso necessário que a empresa arquive os exames específicos de função pulmonar e as telerradiografias de tórax por 30 anos. *Bissinose – Provocada pela inalação de fibras de algodão, linho ou cânhamo chamado de “mal das segundas-feiras”, porque após o descanso do fim de semana, ao entrar em contato com as fibras de algodão a uma bronco constrição, tornando difícil a respiração e provocando o afastamento do trabalhador. Nos dias seguintes os sintomas desaparecem e o trabalhador volta às suas atividades normais.

Com o passar dos anos, o agravamento dos sintomas passam também para terça-feira e quarta-feira e assim por diante, até ser impossível o trabalho, atingindo-se a incapacidade total. 2. 5 Fumos. São part[culas sólidas em suspensão no ar, dispersas pela condensação de vapores de compostos metálicos. Ex. : óxido de Zinco, Óxido de Chumbo, etc. Quase todos os metais podem produzir fumos, quando aquecidos. Pelo aquecimento a temperaturas altas há formação de óxidos pela combinação do oxigênio do ar com o metal.

Os fumos por serem partículas muito pequenas têm tendência a se locularem, 4DF9 oxigênio do ar com o metal. Os fumos por serem partículas muito pequenas têm tendência a se flocularem, formando partículas maiores e sedimentando. Mesmo assim permanecem no ar por longo tempo, sendo espalhados pelo vento em áreas relativamente grandes. A principal doença provocada pelos fumos é a febre dos fundidores. Esta doença tem caráter benigno, mas provoca um absenteísmo grande na indústria, trazendo prejuízos.

Além desta, outros óxidos provocam intoxicações violentas e mortais, como por exemplo, os de chumbo, berilio, cádmio, etc. 2. 6 Névoas e Neblinas. Névoas – São suspensões de partículas líquidas no ar, produzidas por ruptura mecânica de líquidos. Exemplos de origem: agitação por ar comprimido, atomização, agitação comum etc. Neblinas – São também suspensões de partículas liquidas só que produzidas por condensação de vapores de substâncias que são líquidas a temperatura normal. Em relação ao seu tamanho as poeiras e névoas são formadas por partículas compreendidas entre 0,01 microns e 10 microns. . 7 Vapores — São dispersões de moléculas no ar que podem condensar-se para formar l[quidos ou sólidos em condições ormais de temperatura e pressão. Ex: Naftalina, gasolina, etc. 2. 8 Gases – Estado natural das substâncias nas condições usuais de temperatura e pressão. Ex: GLP (gás liquefeito de petróleo, gás de cozinha), hidrogênio, ácido nítrico. Existe uma diferença entre os gases e vapores, em relação ao espaço que podem ocupar. Os gases podem ocupar volume total do ambiente S vapores, em relação ao espaço que podem ocupar.

Os gases podem ocupar volume total do ambiente em que estão, e chega à concentração de 100%, enquanto os vapores têm sua oncentração limitada pelo equilbrio entre a fase l[quida e a fase gasosa e sua concentração ambiente. Fechado ocorre em função da pressão de vapor e da temperatura ambiente. 2. 8. 1 Classificação dos gases e vapores névoas e neblinas. Pode-se classificar segundo sua ação no organismo em três tipos: * Irritantes – O ácido clorídrico, o ácido sulfúrico, a amônia, soda cáustica e o cloro, entre outros, provocam irritação das vias aéreas superiores.

Podem ser encontrados em laboratórios (ácidos clorídricos e sulfúrico), em fábricas de refrigerantes (amônia e soda cáustica), m fábricas de celulose e estações de tratamento de água (cloro). * Asfixiantes – Gases como o hidrogênio, o nitrogênio, o hélio, o metano, o acetileno, o dióxido de carbono ou monóxido de carbono podem causar efeitos asfixiantes, acompanhados por dor de cabeça, náuseas, sonolência, convulsões, levando ao coma e até a morte.

São encontrados em siderúrgicas (monoxido de carbono), em fábricas de margarina (hidrogénio), em balões (he lio), em caldeiras (metano), em soldagem e corte (acetileno), em fábricas de refrigerantes (dióxido de carbono) e em indústrias de escado (congelamento com nitrogénio). *Anestésicos — A maioria dos solventes orgânicos, como butano, o propano, a acetona, o benzeno, o xileno, o tolueno, o óxido nitroso, tem efeitos anestésicos, a acetona, o benzeno, o xileno, o tolueno, o óxido nitroso, tem efeitos anestésicos, com ação depressiva sobre o sistema nervoso central, podendo provocar danos a diversos órgãos.

Esses solventes são encontrados em fábricas de acetileno (acetona), em atividades de pintura (tolueno, xileno), em cozinhas industriais (propano e butano), em petroquímicas (benzeno) e em hospitais (óxido nitroso). . 9 Líquidos Inflamáveis. A definição de líquido inflamável e líquido combustível depende do aspecto legal em questão. Sob o ponto de vista legal da periculosidade vale somente a definição dada pela NR 20, onde o ponto de fulgor (PF) é a referência principal para caracterizar um determinado liquido como inflamavel ou combustível.

Segundo a NR 20 do Ministério do trabalho, líquidos combustíveis e inflamáveis são definidos da seguinte maneira: *Liquido inflamável: Todo produto que possua ponto de fulgor inferior a 700C e pressão de vapor absoluta que não exceda a gf/cm , a 37,70 C; *Líquido combustível: todo produto que possua ponto de fulgor igual ou superior a 700 C e inferior a 93,30 C. *Ponto de Fulgor (Flash point) É a menor temperatura na qual uma substância combust[vel ou inflamável desprende vapores em quantidade suficiente para que a mistura de vapor e ar logo acima de sua superffcie propague uma chama a partir de uma fonte de ignição. . 9. 1 Gasolina. A gasolina possui muitas impurezas contendo enxofre, e o diesel, ainda mais. Hoje no Brasil existe um grande investimento por parte da Petr contendo enxofre, e o diesel, ainda mais. Hoje no Brasil existe um grande investimento por parte da Petrobrás para diminuir a concentração de enxofre no diesel e assim torná-lo menos poluente. Portanto, combustíveis que tem enxofre, ao serem queimados produzem grandes quantidades de um gás bastante tóxico e corrosivo, responsavel por acidificar a atmosfera, o dióxido de enxofre (S02).

Já o álcool é um combustível que não apresenta enxofre e portanto nao produz o dióxido de enxofre. 3. 0 Explosivo. Um explosivo é uma substância ou conjunto de substâncias que podem sofrer o processo de explosão, liberando grandes uantidades de gases e calor em curto espaço de tempo. Com o calor, os gases se expandem e, se estiverem num espaço pequeno, a pressão exercida é enorme até chegar ao ponto de ruptura, com grande onda de choque.

No sentido muito amplo, é um material extremamente instável (metaestável) que se pode decompor rapidamente formando produtos estáveis. Os produtos da explosão são acompanhados da libertação de energia sob diversas formas, entre as quais: uma violenta expansão dos gases (o volume dos produtos é superior ao volume dos reagentes); elevação brusca da temperatura; luz; ruído. Os primeiros explosivos, criados há séculos, eram misturas de carvão e salitre com cera mineral, resinas e areias trolíferas com a finalidade de produzir fumaça, incêndios e fogos de artifícios.

Somente a partir do século XIV passou a ser usado em guerras. 4. 0 Medidas de controle. São idéias que podem ser adot 8 a ser usado em guerras. São idéias que podem ser adotadas, pois existem grandes quantidades de produtos químicos em uso e as medidas de proteção devem ser adaptadas a cada tipo. 4. 1 Medidas de proteção coletiva. São equipamentos que protegem os trabalhadores do meio mbiente, do produto ou do trabalho desenvolvido.

Ventilação e exaustão do ponto de operação, substituição dos produtos químicos utilizado por outro menos tóxico, redução do tempo de exposição estudo de processo de trabalho, conscientização dos riscos no ambiente. 4. 2 Medidas de proteção individual. São usados para proteger o trabalhador contra acidentes bem como a tarefa que ele esteja executando Conclusão O risco mais prejudicial à saúde do trabalhador é o Risco Químico, ele é e pode ser encontrado em todo o local de trabalho.

Seus gentes podem causar sérios danos à saúde do trabalhador, desde o afastamento até a sua morte. Por isso devemos considerar que todas as medidas de controle e prevenção vistas durante a nossa apresentação acompanhadas por treinamentos, ainda nao são suficientes para que o trabalhador esteja imune a tais riscos. Nós como técnicos em segurança do trabalho, devemos estar bem preparados para trabalhar na conscientização dos trabalhadores e na educação dos mesmos. Educar para o trabalho e desenvolver a consciência preventiva faz parte de nossa principal tarefa. Saúde e segurança. g

Arte rupestre

0

A Arte Rupestre Trabalho por Paula Daniela Pessoa Lopes, estudante de Arte @ , Em 15/02/2006 Tamanho da fonte: a-

Read More

Pesquisa sobre comunidade quilombola

0

[pic] Universidade Anhanguera – Uniderp Centro de Educação a Distância ar 3 to view nut*ge RELATORIO DA ENTREVISTA COM A

Read More