Embalagens

Categories: Trabalhos

0

Embalagem Embalagem: conjunto de técnicas usadas no projeto, seleção e utilização de recipientes para o transporte de produtos em processo e produtos acabados. A embalagem passou a te papel importante no processo empresarial, assumindo três funções fundamentais: A primeira, a origem da embalagem, é um dispositivo de proteção ao produto, para o manuseio, transporte e armazenagem.

A segunda função é de facilitar e incrementar a eficiência da distribuição. E a terceira função é um elemento de apelo mercadológico e de incrementador de vendas, chegando- se a falar que ela é um vendedor silencioso do produto, pois a mbalagem tem fort As embalagens p 0 pelo fabricante do pr ut. , to nent page propaganda e marke embalagem são: • Ter forte apelo de venda; • Induzir o consumidor a compra; • Facilitar o manuseio; normalmente especializadas em tes no desenho da • Pode ser usada após vazia, ou ser reciclada; • Facilitar o reconhecimento do produto; • Ser resistente e não poluente; • Representar o beneficio primordial do produto; • Ter baixo custo; para movimentação é, também, importante para reduzir ocorrências como perdas, extravios, armazenagem incorreta e danos durante a movimentação.

A embalagem de armazenamento já é o produto acabado visa proteger de possíveis acidentes, mas também o apelo que nele contem, pois é o reconhecimento da marca ou produto, o primeiro passo para a venda. Tipos de embalagem Caixa de papelão: Uma grande redução de custos que a empresa pode realizar em embalagens de seus produtos é utilizando as caixas de papelão ondulado no lugar de madeira, de compensado. Este material, que não se costuma prestar muita atenção, devido a sua cor amarelada e ao aspecto corriqueiro, realiza, entretanto façanhas. mbores: A utilização de tambores metálicos como mbalagem alcança um numero considerável de produtos. Líquido de todos os tipos, produtos sólidos, pastosos, pó, fluidos, granulados etc. Podem ser transportados em tambores de metal com tranquilidade e comodidade. A facilidade de manipulação, armazenagem e transporte e a absoluta proteção que oferece a mercadoria, sejam qual for, os maiores atrativos que este tipo de embalagem apresenta a indústria e ao comercio em geral.

O que mais tem contribuído para a permanência do tambor metálico como embalagem é a insuperável resistência, os rudes golpes que ele é capaz de suportar, particularmente no transporte arítimo , fazem-no uma embalagem utilíssima. Fardos: O excessivo volume de certas mercadorias foi o principal motivo que compeliu um grande numero de empresas a adotarem o enfardamento como sistema de embalagem. Pelos métodos usuais, o custo final dessas mercadorias poderia resultar proibitivo, uma vez que os fretes marítimos são cobrados pela cubagem do produto.

O en 20F 10 poderia resultar proibitivo, uma vez que os fretes marítimos são cobrados pela cubagem do produto. O enfardamento possibilita uma arrumação mais fácil nos armazéns e reduz substancialmente os fretes. Essa redução de volume é onseguida com a utilização de prensas, que comprimem a mercadoria, mediante esse processo, são enfardados alfada, fumo, algodão, lã, couro, pele, entre outros.

Recipientes plásticos: Introduzido no transporte de liquido e material a granel, os recipientes plásticos para fins industriais estão substituindo, em larga escala, as embalagens convencionais de vidro, madeira e metal. A receptividade desses plásticos decorre da versatilidade do material empregado na sua fabricação o polietileno, ele pode adotar formas diversas, com capacidade que oscila entre cinco e 5. 000 litros.

Os recipientes e polietileno têm peso especifico oito vezes inferior ao de chapa de aço e três vezes inferior ao de vidro; resiste à corrosão e a maioria dos ácidos a temperatura ambiente, são fáceis de lavar com vapor de água e detergentes, são inquebráveis e dotados de grande flexibilidade, dispensando assim, os cuidados exigidos pelos recipientes de vidros ou alumínio. Para concluir, nos dias atuais, a embalagem deve visar com muita ênfase à preocupação com o meio ambiente, o produto e a interação de seus clientes.

Padronização A padronização das embalagens geralmente ocorre nas ecundárias e terciárias, que protegem e acondicionam as embalagens primárias. A redução da variabilidade de embalagens facilita o armazenamento, manuseio e movimentação dos materiais, reduzindo o tempo de realização destas tarefas, por proporcionar uma padronização destes métodos, dos equipamentos de movimentação, e de armazen 30F 10 proporcionar uma padronização destes métodos, dos equipamentos de movimentação, e de armazenamento. Além da redução do tempo, outra vantagem da padronização é a redução de custos.

A Embalagem e a Logística: funções e valores Para a logística, a embalagem é item de fundamental importância, possui relacionamento em todas as áreas, e é essencial para atingir os objetivos. Atualmente estão presentes em todos os produtos, com formas variadas, e funções variadas, sempre com a evolução das tecnologias utilizadas, que as tornam cada vez mais eficientes e estratégicas A embalagem tem interação com todas as funções da logística, armazenamento, manuseio, movimentação de materiais, e transporte.

Desta interação com as funções logísticas, pode- se conseguir redução de custos, de tempo na entrega final do roduto, redução de perdas, e aumento do nível de serviço ao cliente. Logística reversa de embalagens A logística reversa é a área da logística que trata dos aspectos de retornos de produtos, embalagens ou materiais ao seu centro produtivo. Antigamente esse sistema funcionava muito bem na indústria de bebidas, com a reutilização das garrafas. O produto chegava ao consumidor e retornava ao seu centro produtivo para que sua embalagem fosse reutilizada e voltasse ao consumidor final.

O processo era continuo e aparentemente cessou a partir do momento em que as embalagens passaram a er descartáveis. Hoje, empresas incentivadas pelas Normas ISO 14000 e preocupadas com a gestão ambiental, começaram a reciclar materiais e embalagens descartáveis, como latas de alumínio, garrafas plásticas e caixas de papelão, entre outras, que passaram a se destacar como matéria-prima e deixaram de ser tratadas co 10 outras, que passaram a se destacar como matéria-prima e deixaram de ser tratadas como lixo.

Ou seja, a logística reversa é utilizada em prol da empresa, transformando materiais, que seriam inutilizados, em matéria-prima, reduzindo assim, os custos para a empresa. Logística reversa no Brasil No Brasil ainda não existe nenhuma legislação que abranja esta questão, e por isso o processo de logística reversa está em difusão e ainda não é encarado pelas empresas como um processo “necessário”, visto que a maioria das empresas não possui um departamento especifico para gerir essa questão.

Mas iniciativas de algumas empresas já podem ser observadas, como a da rede de supermercados do Pão de Açúcar e sua marca própria Taeq. Esse processo pode ser encarado que trará benefícios diversos para empresa, a começar pela redução de custos, ou ode ser um grande problema, pois representa custos que precisam ser controlados. Movimentação de materiais O manuseio de materiais consiste no transporte a curta distancia que ocorre no interior ou próximo a uma empresa ou em um centro de distribuição armazenagem ou fabrica.

Desde a compra inicial dos materiais ou componentes aos fornecedores os processos logísticos envolvidos acrescentam valor ao movimentar os materiais quando e onde é necessário. As operações logísticas começam com o carregamento inicial de materiais ou componentes de um fornecedor e terminam uando um produto processado é entregue ao consumidor final. Gestão de material A gestão dos materiais coordena e dirige todas as atividades relacionadas com o controle de materiais.

Essas atividades são: • Compra • Embalagem 0 atividades são: • Distribuição • Expedição • Produção • Transporte Sistemas na movimentação de material Um sistema de movimentação de material pode englobar toda uma instalação e, em alguns casos, ate mesmo as instalações dos fornecedores e dos clientes. Alguns aparelhos de controle permitem ter acesso a informação acerca do estado dos quipamentos e materiais envolvidos numa dada operação, ou de toda a fábrica, em tempo real. O controle do sistema pode ser manual, mecanizado, ou automático.

A movimentação e a redução dos custos Através da redução dos custos de inventario, utilização mais vantajosa do espaço disponível e aumento da produtividade. Aplicando um sistema de movimentação de materiais, pode-se chegar ao seguinte: Redução de mão-de-obra: A utilização dos equipamentos de manuseio vai implicar a substituição da mão-de-obra braçal o pelos meios mecânicos, liberando esta mão-de-obra para serviços ais nobres dentro da empresa. Redução dos custos de materiais: Com um melhor acondicionamento e um transporte mais racional, o custo de perdas durante a armazenagem e o transporte é reduzido ao mínimo.

Redução de custos em despesas gerais: Racionalizando-se os processos de transporte e estoque, também caem os custos de despesas gerais, pois fica mais fácil manter os locais limpo, evitando riscos de acidentes de essoal entre outras coisas. Classificação da movi 6 0 disposição física do equipamento, segurança, entre outro; • Vias de transporte: desembarque e transferência de ualquer tipo de material; • Armazenamento: recebimento, empilhamento, expedição de cargas em qualquer fase do processamento ou distribuição; .

Os dez princípios da movimentação de materiais: Principio de planejamento: é necessário determinar o melhor método, do ponto de vista econômico. Principio de integração: integrar as atividades de movimentação, coordenando todo o sistema operacional formado por recebimento, estocagem, produção, inspeção, embalagem, expedição e transporte. Principio de tempo ocioso: reduzir o tempo ocioso ou improdutivo tanto do equipamento quanto da mercadoria, aixando o custo final do produto. Principio da simplificação: reduzir, eliminar movimentos desnecessários.

Principio de fluxo: elabora o melhor fluxo de materiais e da mão-de-obra, as operações de movimentação podem ser automatizadas para melhorar a eficiência operacional. Principio do melhor espaço: aproveitamento dos espaços verticais contribui para redução de áreas de armazenagem e custo. Principio da segurança: a produtividade do trabalho aumenta conforme as condições tornam-se mais seguras, com facilidade para se movimentar, armazenar e cuidar substituindo métodos e quipamentos absoletos e precários.

Principio da ergonomia: a capacidade e limitações humanas precisam ser reconhecidas e respeitadas na movimentação de materiais. Principio ambiental: considerar as possíveis implicações ao meio ambiente, tais como consumo exagerado de energia, dejetos, desperdícios e poluição. Principio da padronização: adronizar métodos, os espaços, desperdícios e poluição. Principio da padronização: padronizar métodos, os espaços, os equipamento e os procedimentos, bem como os tipos e tamanhos dos equipamentos de movimentação.

Distribuição Física A distribuição física tem caráter eminentemente operacional, tem como função o transporte dos produtos acabados para os clientes, que são o destinatário final. Com uma atividade global, que se inicia na preparação do produto e termina no usuário, é grandemente melhorada com a racionalização dos sistemas de manuseio: Melhoria na circulação- Criação de corredores bem definidos, endereçamento fácil e utilização de equipamentos eficientes.

Localização estratégica de almoxarifados- Integração possibilita a instalação de unidade de armazenamento em iversos pontos, próximos aos mercados consumidores. Melhorias nos serviços aos usuários e maior disponibilidade- mercadorias mais próximas aos consumidores proporcionam produtos de maior disponibilidade, visando satisfação. As leis de movimentação: para se manter eficiente uns sistemas de movimentação de materiais existem certas leis que devem sempre ser observadas: . Obediência ao fluxo das operações: Trajetória dos materiais também como sequência doas operações.

Sempre que possível manter uma trajetória linear. 2. Mínima distancia: Redução das distancias e transporte ela eliminação de ziguezagues no fluxo de materiais. 3. Minima manipulação: Redução da frequência de transporte durante o ciclo de processamento. 4. Segurança e satisfação: Levar em conta na escolha do equipamento de transporte de materiais a segurança dos operadores e pessoais circulantes. 5. Flexibilidade: 80F 10 materiais a segurança dos operadores e pessoais circulantes. 5.

Flexibilidade: O valor do equipamento é proporcional a sua flexibilidade. Capacidade de satisfazer ao transporte de diversos tipos de materiais em condições variadas de trabalho. 6. Máxima utilização do equipamento: Manter o quipamento ocupado o maior tempo possível. Evitar acúmulo de materiais nos terminais do ciclo de transporte. 7. Máxima utilização da gravidade: Utilização da gravidade sempre que possiVel. Utilize trechos motorizados para levar as mercadorias ate certa altura para que possam completar o trajeto com a força da gravidade. . Máxima utilização do espaço disponível: Utilização do espaço “sobre cabeças” sempre que possível. Empilhamento ou suporte especial. 9. Método alternativo: Inserção de método alternativo de movimentação caso o principal falhe. Tipos de movimentação Seqüência de circulação: todas as fases do processo de fabricação. Secundária: determinadas operações ou processos exigem a própria, movimentação do material através da maquina. Operacional: conjugação dos componentes e dos movimentos manuais do operador.

A prática da manutenção preventiva é Indispensável. Pontes rolantes: Constituídas por uma estrutura metálica horizontal que possui um movimento ao longo de um vão livre, tem capacidade de três até 300 toneladas. Empilhadeiras: destinam-se tanto a movimentação vertical como horizontal de materiais de praticamente todos os tipos, em limites de um trajeto fixo, permite a paletização com cargas unitizadas. Guindaste: Consiste num veiculo provido de motor ? explosão, que fornece força necessária a operação.

Transpo veiculo provido de motor à explosão, que fornece força necessana a operaçao. Transportadores de correias: usados para a movimentação de materiais a granel ou de cargas unitárias entre pontos determinados, sentido horizontal ou por planos inclinados. Devido a sua elevada velocidade e características de operação continua apresentam produções superiores a algumas centenas de toneladas por hora e reduzido custo unitário. Transportadores de roletes: O material é movimentado em cima dos rolos cilíndricos situados em sentido transversal a direção do transporte.

Podem ser movido apenas por impulso inicial ou alguns rolos possuem acionamento próprio. Transportadores de correntes: podem ser do tipo suspenso ou aéreo embutido no nível do solo, acionam as linhas de montagem de itens de maior peso. Monotrilhos: Consiste numa viga suspensa a alguns metros ao piso, sobre a qual corre um trole com uma talha, podendo ser de operação manual ou elétrica. Monta cargas: Transporte no sentido vertical, movidos por otores de corrente continua e a carga dentro de uma cabine.

Transelevadores: Compreende um sistema de garfos para extração, colocação de cargas montado sobre um carro. Movimenta-se em uma coluna vertical, apoiada em travessa de base. Pórticos rolantes: Constituído por uma estrutura integral, semelhante a um cavalete, diretamente apoiada nos dois lados sobre o chão. Movimentação de materiais indicada para pátios de armazenamento. Paleteiras e carrinhos: sistema de manuseio entre pontos sem limites fixos é sem duvida os mais versáteis, dependendo da armazenagem e o produto. 0 DF 10

Vigilância em saúde

0

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA – INTA CURSO: NUTRIÇAO DISCIPLINA: VIGILÂNCIA EM SAÚDE ALUNA: ANGELA DO SOCORRO DE LIMA NORONHA

Read More

Estudo de caso zenite

0

ESTUDO DE CASO: ZêNlTE DISTRIBUIDORA Resumo: O objetivo desse artigo é propor melhorias para a Distribuidora Zênite, proporcionando uma reestruturação

Read More