Administracao

Categories: Trabalhos

0

IDENTIDADE CULTURAL DESENVOLVIMENTO REGIONAL A RAVÉS DA MODA Juscelina Barbara A. Matos, Aldo Clécius Neres da Silva, Ana Cristiane da Silval e Veruska Barreiros2.

Resumo: Entendendo a Moda como fenômeno sociocultural, relacionados a criação estética do vestuário e complementos, presente no cotidiano das sociedades modernas, interferindo, transformando e modelando as mesmas, o projeto de extensão Identidade Cultural e Desenvolvi Universidade Estadu o org Sudoeste da Bahia Uesb, tem por objeti to view nut*ge da Moda, da ade de Vitória da Conquista a importância do estudo, produção e comércio de oda para a preservação cultural e desenvolvimento regional integrado.

Para isto escolhemos trabalhar em duas frentes: Primeiro com estudantes do 20 grau do Colégio Estadual Nilton Gonçalves, situado na periferia da cidade, levando – através da inclusão de conteúdos relacionados a moda nas disciplinas da escola – uma perspectiva de futura área profissional e despertando o interesse do estudo da cultura através da moda. No segundo momento buscou-se fazer um diagnóstico e desenvolver atividades junto aos profissionais que atuam no comércio de já observava que havia um vazio com relação a observação do tema enquanto roblemática acadêmica.

A moda sempre era reduzida a mero fator de distinção social de classes e nada mais. 2 Coordenadores do NIEM / UESB, [email protected] com. br, [email protected] com. br Bolsista do NIEM / UESB, [email protected] com. br Porém a moda vem crescendo em importância e ocupando cada vez mals espaço nas configurações das sociedades modernas. É impossível não sentir a influência da mesma na economia, nos gestos, nos costumes, enfim, na cultura que molda os traços das comunidades na contemporaneidade.

Como diz Lipovetsky “A moda não é mais um enfeite estético, um acessorio ecorativo da vida coletiva; é sua pedra angular. A moda terminou estruturalmente seu curso histórico, chegou ao topo do seu poder, conseguiu remodelar a sociedade inteira à sua imagem: era periférica, agora é hegemônica”. A moda é, efetivamente, como mostra Lipovetsky, um fenômeno específico das sociedades modernas, associado aos valores e formas de socialização próprios deste tipo de organização soclal.

Dado a sua natureza, a compreensão da moda enquanto fenômeno específico com características próprias e historicamente demarcadas, pode possibilitar a compreensão dos rocessos culturais de um idade e ou sociedade, PAGF9tF8 permanente da cultura. Traduzir o saber para o cotidiano, tanto daqueles que serão os produtores dc futuro quanto para aqueles que transformam a cultura em mercadoria faz com que haja consciência e pensamento organizado sobre o fazer , o que permite uma concatenação de iniciativas no sentido do desenvolvimento, quer seja econômico, quer seja social ou cultural.

Este projeto visa enfrentar o desafio de romper os muros da Universidade para uma troca de saberes entre os que estudam, fazem, comercializam ou podem vir a produzir oda num enfoque de produção cultural e desenvolvimento da região Sudoeste. Entendendo a Moda Etimologicamente a palavra Moda vem do latim modus, significando modo , maneira (Palomino 2002: 15). No Inglês o termo equivalente é Fashion que significa fazendo ou fabricar (Barnard 2003:2). Portanto, originalmente a palavra remete a uma maneira de fazer .

O termo pode ser aplicado em diversos sentidos, como por exemplo quando se diz à moda LuisXV , prato à moda da casa ou ainda a moda dos políticos é pousar de honesto . Portanto, cabe e PAGF3tf8 quando nos referimos a riação estética do vestuário, acessórios e complementos, bem como da aparência visual, presente no cotidiano das sociedades modernas, interferindo , transformando e remodelando as mesmas. Esta definição se alinha com o pensamento da consultora de Moda e Educação, Antonia Terra, que define, a Moda como um Fenômeno Social.

Segundo ela, a moda insere-se historicamente em contextos e, quando analisada, revela aspectos da organização Humana (ANDRADE, Cristina; RAMALHO, Priscila 2003:64). Cabe aqui uma distinção entre indumentária e Moda. A Indumentária existe desde o omem primitivo que fabricou os primeiros abrigos e agasalhos, a Moda não. Ela é um fenômeno essencialmente moderno e seu começo é datado em um determinado tempo histórico. Segundo o filósofo francês Lipovetsky, A moda não pertence a todas as épocas nem a todas as civilizações… la é colocada aqui como tendo um começo localizável na história. Contra a idéia de que a moda é um fenômeno consubstancial à vida humano-social, afirmamo-la como processo excepcional, inseparável PAGF (Lipovetsky 1987:23) Além da definição Moda enquanto fenômeno social, é importante ressaltar o papel imbólico que a Moda exerce. Para usar a expressão de Marx (1975:79), as roupas são Hieróglifos sociais , que escondem, mesmo quando comunicam, a posição social daqueles que as vestem.

Quer dizer que a Moda e Indumentária podem ser formas mais Slgniflcatlvas pelas quais são construídas, expermentadas e compreendidas as relações sociais humanas. (Barnard 2003:24). Paralelo a dimensão distintiva de classe, gênero e etnia, a Moda assume um caráter simbólico de tecido das relações sociais. Comentando este aspecto Cidreira ressalta Já é tempo de desmontar o credo comum de que o realce da oda se encontra no dispêndio demonstrativo como meio de significar uma posição, para despertar admiração e expor um certo estatuto social. mperativo que se abra o horizonte e que se promova um certo deslocamento de ênfase, não privilegiando apenas essa possibilidade distintiva que a moda permite (que é simbolicamente constitutiva das relações sociais). Somente assim poder-se-á visualizar outras possibilidades de abordagem sobre o tema e talvez verificar que, na contemporaneida e riqueza estão situadas (1979:224). Embora existam muitas outras atribuições à Moda, fenômeno ocial e dimensão simbólica estas parecem bem relevantes para pensarmos a relação existente entre Educação e Moda.

Se de fato a moda é um dos artifícios das sociedades modernas para comunicar valores, ideologias, contestações, manifestações, status, fetiche e poder, de certa maneira, está aí embutido um sentido de comunicação de saberes que pode ser entendido enquanto um meio de processo educativo. Quando falamos em educação, estamos nos reportando ao sentido amplo do terma, do aprendizado que ultrapassa os limites da escola, das disciplinas, dos fluxogramas, stamos falando de todo conjunto de coisas que ensinam de alguma forma, mesmo que subjetivamente, portanto de educação não-escolar.

Ações do projeto Não temos a pretensão de abarcar grandes iniciativas, mas de introduzir na comunidade de Vitória da Conquista a importância do estudo, produção e comércio de moda para a preservação cultural e desenvolvimento regional integrado. Para isto escolhemos trabalhar em duas frentes: Estudantes do Colégio Estadual Nilton Gonçalves – Alunos da escola pública estadual de periferia (Bairro Ibirapuera), levando uma perspectiva de uma futura área rofissional e despertando o interesse do estudo da cultura através da moda. ssas breves considerações, podemos então entrar especificamente nos trabalhos desenvolvidos pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Moda Niem- 1) A partir de critérios foi escolhida a escola Estadual Nilton Gonçalves (situada na periferia) em Vitória da Conquista ga para introduzir o assunto Moda nas diversas disciplinas escolares, objetivando transformar educação não- formal em conteúdos formais, palpáveis e úteis aos alunos.

Os professores receberam treinamento especial e materiais didáticos específicos para rabalharem em sala de aula: Na disciplina Sociologia, foi trabalhado o tema psiquismo e a moda, comportamentos sociais; Em Filosofia, Moda como ferramenta de cultura vlsual; Na Geografia foi abordado Artesanato e produção geográfica; Em História, a História das décadas de 20 a 90 através das roupas; Na disciplina de Biologia, Luxo do lixo: reciclagem e ecologia; Em Inglês Estrangeirismos e vocabulário do mundo da Moda; Em Português com Linguagens não-verbais; Artes com o tema Produção artistica e moda nos anos 20 a 90. ) Diagnóstico do comércio e produção de moda, buscando onhecer as vocações, problemas e desafios para o crescimento do setor; 3) Pesquisa e catalogação de fontes icnográficas, matérias e fflmicos de moda e moda regional e de preservação da identidade cultural baiana.

Segundo Edigar Morin em cultura de massa no século XX (1994), a cultura humana é constituída por informações acumuladas pelo homem ao longo de sua evolução, informações estas que devem ser mantidas e transmitidas a cada novo indivíduo do grupo social. As informações que constituem a cultura, contudo, não estão inscritas no código enético, ou seja, elas não podem ser transmitidas pelo simples ato de reprodução da espécie. Estas informações precisam ser apreendidas.

E a moda é um dos canais para tanto. Este projeto reflete este intuito e preocupação. Referencial bibliográfico: ANDRADE, cristina; RAMALHO, Priscila. um guarda roupa cheio de história. Revista Nova Escola, São Paulo, maio de 2003. p. 62-63. BARNARD, Malcolm. Moda e Comunicação. Tradução: Lúcia Olinto. Rio de Janeiro: Rocco, 2003. CIDREIRA, Renata Pitombo. A moda enquanto manifestação simbólica. Revista O Sentido Época, PAGF8rl(F8

Motivações pragmáticas

0

Serviço Público Universidade Federal do Pará Campus Universitário do Marajó – Breves. Faculdade de Letras – PARFOR – Sintaxe do

Read More

Peça por um item

0

Yugjgjlkjh8iu6y78huy8yuihjkgyut67yuhjgfd rety6u7i90pIkbgvfcder456t7y890çpi kljhgvf dretyuyghjtyhgkugjt7yugjhuyh6yuhvt67uyg ht7yguhyg67tyugfhuytgh678tyughgv678tu Swipe to view nexr page ar 2 to view nut*ge uygh766y90khjuygytgughjbmndtujihuy yujg jut+tugughyugughughuhjyki hg ftryghyujyuij

Read More