Fundamentos do processo educativo

Categories: Trabalhos

0

A função social da escola, é formar indivíduos autônomos, críticos, capazes de realizar escolhas conscientes, e também garantir a aprendizagem, a compreenção da realidade que o cerca, formando assim indivíduos que possuam uma ampla visão sobre vários assuntos. Como dlzia Karl Marx a respeito da omnilateralidade: ” a formação de um ser pleno, com o conhecimento vasto, capaz de múltiplas visões sobre um determinado fato, e além de tudo, capaz de transformar a sociedade através do conhecimento”.

E junto com a escola se encontra uma figura de extrema mportancia para sociedade, que é o professor. O professor é o responsável pela contrução do conhecimento do indivíduo, responsavel pela for Houve tempos em q D p orfi ser de tamanha imp to view next*ge professor adquiri um necessecidades socia ou indiretamente. isto como um r do tempo, o iedade devido as o longo de cada momento histórico. Podemos identificar esses momentos de não valorização do professor claramente ao longo da história da educação.

Na Grécia nasce a figura do pedagogo, que era visto como um “acompanhante” da criança, mas ainda na Idade Média padagogo começa a ser visto como uma figura importante para a sociedade. Anda na Idade Média começa as to page surgir formas escolares. Universidades, faculdades e colégios, lembrando que naquele época possuam um significado bem diferente de hoje em dia. Eram lugares que as pessoas se reunião para compartilharem seus conhecimentos, ainda não existia a figura do professor em seu significado pleno nos dias de hoje.

Mas tarde, ao longo da história o poder da educação fica nas mãos da igreja católica , que promoveu uma grande revolução na pedagogia e na educação. O conceito de escola que temos hoje é ruto da Idade Média; A figura de ter alguém a frente para ensinar varios alunos ao mesmo tempo, vem daquela época. Embora a educação escolar só se estenda a sociedae ao longo do século XIX, na Europa, houve ainda grandes iniciativas para levar a educação a todas as classes, mesmo que no inicio de tudo, a educação era apenas para a elite, ou seja, a classe mais pobre não tinha acesso a educação.

Depois surge um grande movimento denominado Iluminismo, que entre outras propostas apresenta a necessidade de laicização do ensino, ou seja, a separação da educação e da igreja, presentam também a proposta de uma educação gratuita e obrigatória. No fim do século XVIII e início do século XIX a igreja finalmente separa-se do Estado, perdendo grande parte do seu prestígio; E é neste período que ocorrem grandes transformações econômicas, tecnológicas e culturais, dando novos rumos a educação.

No Brasil a educação t transformações econômicas, tecnológicas e culturais, dando novos rumos a educação. No Brasil a educação tem início com a chegada dos primeiros jesuítas ao território brasileiro, que ocorreu em março de 1549. Com apenas quinze dias que haviam chegado ao Brasil edificaram a primeira escola elementar brasileira, que se localizava em Salvador. Em 1570, vinte e um anos após a chegada ao Brasil já haviam cinco escolas de nível elementar. No Brasil eles se dedicaram a pregação da fé católica e ao trabalho educativo. Segundo Xavier (1 994, p . 1) ” Os jesu(tas tinham como objetivo catequizar e instruir os nativos, assim como a população que para cá se transferia ou fora tranferida, nas quatro décadas que já se haviam passado desde o descobrimento. Ao mesmo tempo, os jesuítas deveriam cuidar a reprodução interna do contingente de sacerdotes, necessário para a garantia da continuidade da obra. Sua tarefa educativa era basicamente aculturar e converter ignorantes e ingênuos, como os nativos, e criar uma atmosfera civilizada e religiosa para os degredados e aventureiros que aqui viessem.

Isso contituía uma empreitada que exigia muita criatividade no que diz respeito aos métodos de ação, considerada a heterogeneidade da clientela que tinham diante de si I’. Os jesuítas ficaram como principais icones da educação brasileira durante 210 anos, até 1759, quando Marques de Pombal os xpulsa,sob acusaçó PAGF3rl(F6 brasileira durante 210 anos, até 1759, quando Marques de Pombal os expulsa,sob acusações de culturalmente retrógrados, economicamente poderosos e politicamente embiciosos, com isso a educação brasileira passa por um momento conturbado no ramo da educação.

A partir do século XVI, a direção do ensino para ser de inteira responsabilidade de Portugal. Depois de Portugal assumir as redias da educação brasileira, ocorreram grandes mudanças, já que o metodo de ensino jesuítico foi posto abaixo, sendo assim nossa educação ficou restrita apenas a uma minoria a sociedade, somente quem tinha um pouco mais de poder aquisitivo tinha direito a educação, ou seja, filhos de operários e agrlcultores não tlnham oportunidades e nem meios de educação,ou seja, ficavam condenados ao analfabetismo.

Ao longo do século XIX a educação começa a ganhar novos rumos, mas isso só foi possível por que houve muitas manifestações, lutas pela cidadania, e contituições, para que a educação viesse a ser mais assecível a todos. Somente após a revolução de 1 930, a educação passa a ser reconhecida como algo que merece atenção nacional, então neste mesmo ano riou-se o Mlnistério da Educação e Saúde Pública, e quem foi nomeado ministro foi Francisco Campos, que criou selS Decretos a respeito da educação, que ficou conhecido como Reforma Francisco Campos.

E apenas em 1934 a educação passa, a ser de total responsabilidade do E PAGF total responsabilidade do Estado, que agora sera responsável por traçar as diretrizes da educação, através da Constituinte de 1934. Como podemos perceber a educação sempre esteve no centro de grandes momentos históricos. O ser humano sempre teve a necessidade de progredir, e é ai que entra a figura de alguém ais sabio para poder passar o que já sabe aos outros.

E hoje em dia percebemos como o vínculo professor-aluno fica mais aprimorado a cada dia, como é importante e necessário para a sociedade a figura do professor. É necessário que se estabeleça um vinculo afetivo para que possamos obter a compreensão de necessidades e comportamentos de cada um. É preciso valorizar-mos e incentivar-mos o aluno, para que se possa criar um ambiente de aprendizagem cada vez mais favorávele e interessante. Quando um professor é incapaz de manifestar-se amorosamente em relação aos seus alunos, dando-lhes atenção, scutando-os com paciência, dirigindo-lhes uma palavra amiga, pergunto-me se ele os vê (POLITY 1988) Sabemos que existem diversos tipos de professores, e consequentemente diversos métodos de ensino, mas todos devem visar o bem do aluno, o conhecimento, a formação do indivíduo e estar sempre procurando estar oferendo o melhor conhecimento para seus respectivos alunos, fazendo com que a sociedade evolua, cresça, e que essa evolução para seus respectivos alunos, fazendo com que a sociedade evolua, cresça, e que essa evolução e crescimento seja fruto de individuos que partilharam de uma boa educação, que tiveram ons professores, e adquiriram um vasto conhecmento através de intituições denominadas escolas. Percebemos então, que está nas mãos de mestres, professores e da escola o futuro da educação, pois sabemos que a escola do futuro se forma com a escola do presente. Podemos concluir que a função social da escola estará sempre ligada a função social do professor, ambas são dependentes, não se separam. Só vai haver professor se houver escola, e só vai haver escola de houver professor.

E é assim que as coisas devem seguir, professor e escola, lado a lado, pois sabemos que caminho para o conhecimento e longo, muito já foi feito pela educação, mas ainda há muita coisa para ser feita, e é por isso que sempre vão estar surgindo novos profissionais no ramo da educação, para darmos continuidade aquilo que os outros profissionais começaram, para não deixarmos que a educação regrida, pois sabemos que o país evolui através da educação de qualidade que é oferecida para cada cidadão. REFERENCIAS: www. aprenderjf. com pt. wikipedia. org www. conteudo. org. br Processo Educativo no Contexto Histórico, Adriana Regina de Jesus. ( p. og à 58)

A administração de empresas e as relações humanas no ambiente de trabalho

0

si um potencial corruptor o qual, agindo sobre outros Indivíduos sujeito à corrupção, produzem um efeito corruptível. Ou seja, trata-se

Read More

Pim – vale fertilizantes

0

UNIP – Universidade Paulista Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de Tecnologia Vale (Vale Fertilizantes) São Paulo 2011 UNIP – Universidade

Read More