Pis e cofins no lucro presumido

Categories: Trabalhos

0

I-TRABALHO 20 BIMESTRE DE 2011/2. DISCIPLINA: AUDI ORIA ALUNO: COMANDO 1 – De acordo com o texto extraído do livro do prol Ricardo Pereira, levantar os pontos mais relevantes 2- Definir com suas palavras superavaliaçao e subavaliação. PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA os procedimentos de auditoria são o conjunto de técnicas que permitem ao auditor obter evidências ou provas suficientes e adequadas para fundamentar sua opinião sobre as demonstrações contábeis auditadas. Os procedimentos de auditoria possibilitam ao auditor a obtenção de elementos de convicção necessários à elaboração do parecer.

Para emitir seu parecer a respeito das demonstrações contábeis, o auditor precisa de opinião. Com esse o examina livros e doc com as informações colhendo provas elo OFS Swipe nentp na formação de sua s controles internos, gistros da entidade necedores desta etc. , mentos de auditoria abrangem testes de observância e testes substantivos. TESTES DE OBSERVÂNCIA (OU EXAMES DE ADERÊNCIA) O trabalho do auditor deve ser concluído num período curto de tempo, em razão dos compromissos da entidade auditada quanto à divulgação do parecer.

Outro fator que contribui para a curta duração dos rabalhos do auditor independente são os custos elevados da remuneração dos serviços SV’ipe to klew next page de auditoria. Isso faz com que o auditor não disponha de tempo para examinar todas as transações contábeis ocorridas no período auditado. As evidências ou provas suficientes são obtidas por meio de testes, ou seja, pelo exame de parte das operações vinculadas às demonstrações contábeis.

Os testes de obseNância, ou exames de aderência, visam à obtenção de razoável segurança de que os procedimentos de controles internos estabelecidos pela administração estão em efetivo funcionamento e cumprimento. De acordo com a Resolução CFC no 820/97, item 11. 2. 5. 1, o sistema contábil e de controles internos compreende o plano de organização e o conjunto integrado de métodos e procedimentos adotados pela entidade na proteção de seu patrimônio, promoção da confiabilidade e tempestividade dos seus registros e demonstrações contábeis e na promoção da sua eficácia operacional (eficácia na gestão do patrimônio).

Se o auditor puder confiar nos controles internos da entidade auditada, o grau de confiança que ele terá nas informações constantes das demonstrações contábeis auditadas será maior. Se não puder confiar nos controles internos da entidade, a quantidade de transações e saldos contábeis que o auditor deverá examinar aumentará consideravelmente, uma vez que, nesse caso, a possibilidade de erros e fraudes com reflexos nas demonstrações é muito maior.

O auditor deve verificar a existência, efetividade e continuidade dos controles internos. Os cuidados devem ser no sentido de constatar se os controles previstos es dos controles internos. Os cuidados devem ser no sentido de constatar se os controles previstos estão funcionando de fato ou se constam apenas em manuais, sem que haja a sua efetiva plicação. Também deve ser observado se os controles internos funcionam de forma contínua, inclusive quando o auditor não está presente.

Os testes de observância ou exames de aderência podem ser divididos em: 1 – flagrantes – quando os testes de observância dos procedimentos de controles internos são realizados no momento da ocorrência do fato que se deseja comprovar; 2 – retrospectivos – quando os testes de observância dos procedimentos de controles internos são realizados após a ocorrência do fato que se deseja comprovar. Se o auditor deseja constatar se a empresa está emitindo ota fiscal regularmente, isso é possível por meio de teste de observância flagrante.

Pode-se verificar, no momento da saída da mercadoria do estabelecimento, se a operação é efetuada com a emissão do documento fiscal. Se o auditor, durante a avaliação dos controles internos, quer comprovar a cobrança de juros de mora nos pagamentos que os clientes efetuam em atraso, ele pode verificar, nos documentos nos quais foi dada a quitação, se o valor pago inclui juros, no caso de atraso (teste de observância retrospectivo). Neste caso, o auditor não precisa estar presente no momento em que o cliente efetua o pagamento.

TESTES SUBSTANTIVOS Os testes substantivos visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produ 3 substantivos visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelo sistema contábil da entidade. Por intermédio dos testes substantivos, o auditor apura se os saldos das contas indicam adequadamente a situação do patrimônio e suas variações, procurando identificar se há contas com saldos subavaliados ou superavaliados.

Os testes substantivos são divididos em: 1 – testes de transações e saldos; 2 – procedimentos de revisão analítica. Nos testes de ransações e saldos, o auditor verifica se os fatos contábeis foram adequadamente registrados, de forma que as contas apresentem uma avaliação correta dos elementos patrimoniais e de suas variações no per[odo considerado. Com a adoção dessa medida, o auditor poderá indicar no parecer se as informações divulgadas nas demonstrações contábeis são adequadas quanto ao conteúdo.

A quantidade de transações e saldos que o auditor examinará depende da avaliação que ele tenha feito dos controles internos, durante os testes de observância. Se os controles internos forem ruins, a quantidade de testes substantivos será maior. Caso os controles internos sejam bons, a quantidade de testes substantivos será menor. SUPERAVALIAÇÃO E SUBAVALIAÇÃO DE SALDOS AO examinar se o saldo de uma conta está super ou subavaliado, o auditor, indiretamente, estará verificando a super ou subavaliação do saldo de outra conta.

Se o saldo da conta mercadorias estiver subavaliado em função da falta do registro de compras a prazo, o saldo da cont 4DF5 mercadorias estiver subavaliado em função da falta do registro de compras a prazo, o saldo da conta fornecedores também estará subavaliado, uma vez que os registros são feitos de acordo com o método das partidas dobradas. Se o registro das despesas de conservação de imóveis foi feito a débito da conta Edificações, a conta Despesa de Conservação de Imóveis estará subavaliada e a conta Edificações, superavaliada.

Normalmente, os testes para superavaliaçao são feitos nas contas de natureza devedora (ativo e despesa) e os testes para subavaliação são executados nas contas de natureza credora (passivo exigível, patrimônio líquido e receita). Mediante os procedimentos de revisão analítica, o auditor efetua a verificação do comportamento de valores significativos, valendo-se da análise das informações contábeis. or meio de índices, quocientes, quantidades, variações absolutas etc. o auditor busca identificar situações ou tendências atípicas, para as quais possa direcionar o seu trabalho. Exemplificando, numa companhia em que as despesas de salários tenham valores significativos, o auditor pode listá-las por mês de competência e verificar se há períodos com variações mais acentuadas. Posteriormente, deve procurar as justificativas para as variaçóes atípicas encontradas. Uma variação acentuada nas despesas de salarias pode ser indício da inclusão de funcionários de forma irregular na folha de pagamentos. S

Atps de quimica

0

Faculdade Anhanguera de Joinville – Unidade 2 Curso de Engenharia de Produção. Disciplina: Química 1 Alunos: Adriano Ferreira RA: 3200491738

Read More

Ativos intangiveis

0

Irene da L. A. Cunha Ativo intangivel Introducao Nos dias de hoje lidamos com fenômenos de Inúmeras transformações que a

Read More