Wicca

Categories: Trabalhos

0

ORIGENS DA BRUXARIA WICCA Falar em origem da bruxaria é o mesmo que retornar aos primórdios da Humanidade, quando os seres humanos começaram a despertar sua percepção para os misténos da vida e da natureza. segundo os estudiosos da Pré-História, a primeira demonstração de arte devocional foram as MADONAS NEGRAS, encontradas em cavernas do período Neolítico. Portanto, as Deusas da Fertilidade foram os primeiros objetos de adoração dos povos primitivos.

Da mesma forma que nossos antepassados se maravilharam ao ver a mulher dando a Luz a uma criança, todo o Universo dev Entre os povos qued cn os Animais e da Fe to next*ge de Chifres ou Cornífe a fertilidade, corage ma GRANDE MAE. u o culto ao Deus ido como Deus presentaram sitivos da energia masculina, representando tamb m a ligação com as energias cósmicas. Hoje a figura do Deus Cornífero é bastante problemática, pois, com o advento do Cristianismo, ele foi usado para personificar a figura do Diabo, entidade criada pelas religiões judaico-cristãs.

Ele não é reconhecido e multo menos cultuado pelas Bruxas. O Diabo é venerado apenas pelo Satanismo, que é um culto Anti-Cristão. Como a nossa religião já existia muitos ilhares de anos antes do Cristianismo, não temos nada a ver com o Diabo e os Satanistas. Existem vários ramos da Bruxaria, em diversas partes do mundo, mas aqui, estamos nos ocupando da Wicca. Ela surgiu no período Neolítico, em várias regiões da Europa, onde hoje se localiza a Irlanda, Inglaterra, País de Gales, Escócia, indo até o Sudoeste da Itália e a região da Britânia na França.

Quando os Celtas invadiram a Europa, quase mil anos antes de Cristo, crenças, que, ao se misturarem às crenças da população local, originaram o sistema que deu nascimento à Wicca. Com a ápida expansão desse povo, ela foi levada para regiões onde se encontram Portugal, Espanha e Turquia. Embora a Wicca tenha se firmado entre os Celtas, é importante lembrar que a bruxaria é anterior a eles! Mas como esse povo foi o mantenedor da tradição, é importante que conheçamos, pelo menos, o rudimento de seu pensamento e cultura.

O Panteão Celta, ou seja, o conjunto de Deuses e Deusas dessa cultura é hoje o mais utilizado nos rituais da Wicca, embora possamos trabalhar com qualquer Panteão, desde que conheçamos o simbolismo correto, e não misturemos os Panteões num mesmo ritual. A sociedade Celta era Matrifocal, isto é, o nome e os bens da família eram passados de mãe para filha. Homens e mulheres tenham os mesmo direitos, sendo a mulher respeitada como Sacerdotisa, mãe, esposa e guerreira, participando das lutas ao lado dos homens.

O culto da Grande Mãe e do Deus Cornífero predominaram nas regoes da Europa dominadas pelos Celtas, até a chegada dos romanos, que praticamente dizimaram as tribos Celtas, que nessa época já estavam sendo dominadas pelos Druidas, que representavam uma introdução ao patriarcalismo. porém, em muitos lugares, a religião da Grande Mãe ontinuou a ser pratica-da, pois havia certa tolerância por parte dos romanos, chegando certos ramos da Wicca a incorporar elementos do Panteão Greco-Romano, especialmente na Bruxaria Italiana.

Foi somente na Idade Média que a Bruxaria foi relegada às sombras com o domínio da Igreja Católica e a criação da Inquisição, cujo objetivo era eliminar de vez as antigas crenças, que eram uma ameaça a um clero muito mais preocupado em acumular bens e riquezas do que a propagar a verdadeira mensagem de Jesus. Se fôssemos descrever essa época infame, em que milhões PAGF a verdadeira mensagem de Jesus.

Se fôssemos descrever essa época infame, em que milhões de pessoas, em sua maioria mulheres, foram perseguidas, torturadas e assassinadas pela Inqulsição, com certeza, escrever(amos um livro com milhares de páginas, mas este não é o nosso objetivo. Muitas das vitimas da Inquisição não eram Bruxas, e sim, pessoas com problemas de saúde, doenças mentais, deficiências físicas ou somente o alvo da suspeita e inveja do povo. Também era comum se acusar pessoas para tomar seus bens, pois esses eram divididos entre os inquisidores.

Durante o tempo das fogueiras, o medo fez com que muitas de nós permanecêssemos o anonimato para res-guardarmos nossa vidas e nossa famílias. Mutos dos conhecimentos passaram a ser transmitidos oralmente, por medida de segurança, e, assim, muito se perdeu. por isso, não é correto dizer que a Wicca de hoje é a mesma de séculos atrás. No presente, um grupo de pessoas abnegadas e corajosas está redescobrindo e recriando a Nova Bruxaria ou Neo Paganismo, como também é conhecido.

Eu recomendo que se leia alguns livros dado na bibliografia, para um conhecimento mais profundo da história, e que se pesquise outras formas da bruxaria além da Wicca, pois todas essa formas são derivadas do Xamanismo primitivo, e só poderão enri-quecer o nosso trabalho. AS DEUSAS E OS DEUSES NA WICCA para a Wicca, existe um Princípio Criador, que não tem nome e está além de todas as definições. Desse princípio, surgiram as duas grandes polaridades, que deram origem ao Universo e a todas as formas de vida. Princípio Feminino ou Grande Mãe A Grande Mãe representa a Energia Universal Geradora, o Útero de Toda Criação. ? associada aos mistérios da Lua, da Intuição, da Noite, da Escundão e da Receptividade. É o Inconsciente, o lado escuro da mente que deve ser desvendado. A Lua nos mostra empre uma face n o inconsciente, o lado escuro da mente que deve ser desvendado. A Lua nos mostra sempre uma face nova a cada sete dias, mas nunca morre, representando os mistérios da Vida Eterna. Na Wicca, a Deusa se mostra com três faces: a Virgem, a Mãe e a Velha Sábia, sendo que esta última ficou mais relacionada à Bruxa na Imaginação popular.

A Deusa Tríplice mostra os mistérios mais profundos da energia feminina, o poder da menstruação na mulher, e é também a contraparte Feminina presente em todos os homens, tão reprimida pela cultura patriarcal! Principio Masculino ou Deus Cornífero Da mesma forma que toda luz nasce da escuridão, o Deus, simbolo solar da energia masculina, nasceu da Deusa, sendo seu complemento, e trazendo em si os atributos da coragem, pensamento lógico, fertilidade, saúde e alegria. Da mesma forma que o sol nasce e se põe, todos os dias, o Deus nos mostra os mistérios de Morte e do Renascimento.

Na Wicca, o Deus nasce da Grande Mãe, cresce, se torna adulto, apaixona-se pela Deusa Virgem, eles fazem amor, a Deusa fica grávida, o Deus morre no inverno e renasce novamente, fechando o ciclo do renascimento, que coincide com os ciclos da Natureza, e mostra os ciclos da ossa própria vida. para alguns, pode parecer melo Incestuoso que o Deus seja filho e amante da Deusa, mas é preciso perceber p verdadeiro simbolismo do mito, pois do útero da Deusa todas as coisas vieram, e, para ele, tudo retornará.

E, se pensarmos bem, as mulheres sempre foram mães de todos os homens, pelo seu poder de promover o renascimento espiritual do ser amado e de toda a Humanidade. Quando discutirmos a Roda do Ano, esses conceitos serão novamente explicados na parte dos rituais. Mas o sentido profundo do simbolismo na Bruxaria só pode ser verdadeiramente entendldo através da meditação e do contato ntuitivo com a energia dos Deuses. Texto retirado de:AS B PAGF OF entendido através da meditação e do contato intuitivo com a energia dos Deuses.

Texto retirado de:AS BRUXAS DO BRASIL – CURSO WICCA PARA BRASILEIROS – MICAELA ELGEL O que é a Wicca? Wicca (nome alternativo para a arte da feitiçaria moderna) é uma religião de natureza xamanistica, positiva, com duas deidades maiores reverenciadas e adoradas em seus ritos: A Deusa (o aspecto feminlno e deidade ligada à antiga Deusa Mãe em seu aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã. ) e sou consorte, o Deus Cornífero (o aspecto masculino). Seus nomes variam de uma tradição wiccaniana para outra, e algumas utilizam-se outros panteões para representar várias faces e estados de ambos os Deuses.

Freqüentemente, Wicca inclui a prática de várias formas de Alta Magia (geralmente com propósitos de cura psíquica ou física, neutralização de negatividade e crescimento espiritual) ritos para a harmonização pessoal com o ritmo natural das forças da vida marcadas pelas fases da lua e pelas quatro estações do ano. Wicca (que também é conhecida como “Arte dos Sábios”, ou, muitas vezes, somente como i’A Arte”) é considerada por uitos uma religião panteísta, politeísta e faz parte de um ressurgimento atual do paganismo ou movimento neopagão, como muitos prefere PAGF s OF no Planeta, quanto dentro de cada um de nós.

Nós somos manifestações dos Deuses. 2 – Uma multiplicidade de deuses e deusas, como deidades individuais e como facetas dos dois Aspectos Divinos. 3 – Amor e respeito pela Natureza como algo divino por direito próprio fazem da conscientização ecológica e dessa atividade uma obrigação religiosa. 4- Descontentamento com as organizações religiosas monolíticas e desconfiança de supostos messias e gurus. – A convicção de que os seres foram feitos para viver vidas repletas de Amor, alegria, prazer e humor. A concepção de “pecado original” inexiste. – O direito de agir como bem quiser, desde que isso não prejudique a ninguém. 7 – O conhecimento de que, com treinamento e intenção apropriados, as mentes e os corações humanos são totalmente capazes de realizar magia. 8 – A importância da conscientização e celebração dos ciclos solar e lunar e também de outros em nossas vidas. 9 – Uma grande fé na capacidade das pessoas de resolverem seus próprios problemas e dificuldades. IO – Um total compromisso com o crescimento, evolução e equilíbrio pessoal e universal.

Espera-se que o pagão realize esforços intermitentes nessas direções A religião wiccaniana é formada de várias tradições (espécie de seitas) como a Gardneriana, Alexandrina, Diânica, da lei da Arte. O dogma principal da Arte Wicca é o Conselho Wiccaniano, um código moral simples e benevolente: SEM PREJUDICAR NINGUÉM, REALIZE SUA VONTADE. ou, em outras palavras, você é livre para fazer o que quiser, contanto que, de forma aluga, prejudique alguém – nem mesmo você. (O Concelho

Wiccaniano é extremamente importante e não deve ser esquecido na realização de qualquer encantamento ou ritual mágico, especialmente naqueles que podem ser considerados como não-éticos ou de natureza manipuladora. ) A Lei Tripla ( ou Lei de Três ) é uma lei kármica de retribuição tripla que se aplica sempre que você faz alguma coisa , seja ela boa ou má. Não que você será “castigado” por um ato mau, porém, quando você envia uma energia, o curso natural dela é voltar à você. Assim, caso envie algo de negativo, essa força fará seu caminho, se fortificando, e retornará até você.

Os seguidores da Religião WIcca são chamados de Wiccanianos, Wiccanos, Wiccans ou Bruxos. A palavra Bruxo (a) aplica-se (ou ao menos deveria ser aplicada APENAS) aos representantes da Arte. A palavra WARLOCK que significa “aquele que rompe o juramento” é usada para apontar traidores da Grande Mãe. Como a Arte Wicca é uma religião orientada para a Natureza, a maioria dos seus membros está envolvida de uma maneira ou de outra com movimentos ecológicos e com reivindicações ambientais atuais.

Muitos Wiccans usam um ou mais nomes secretos (também conhecidos como nomes mágicos, ou nomes de iniciação) para signific nto espiritual e uma PAGF 7 OF arbitrário do pecado original ou do mal absoluto, e não acreditam em céu ou inferno. Eles crêem que quando morremos, vamos ? Terra de Verão (ou Terra da Juventude Eterna), onde recobramos nossas forças e nos tornarmos jovens novamente. Os bruxos não praticam qualquer forma de baixa magia, magia negra ou “mal”. Não cultuam nenhum diabo, demônio ou qualquer entidade do mal, e não tentam converter membros de outras fé ao Paganismo.

Respeitam todas as religiões e acham que a pessoa deve ouvir o “chamado da Deusa” e desejar verdadeiramente, dentro de seu coração, em qualquer influência externa ou proselitismo, seguir o caminho wiccano. *** Fonte: Wicca: A Feitiçaria Moderna Instrumentos da Wicca Os instrumentos usados nos rituais da Wicca têm a sua origem perdida no tempo. Eles são importantes focos de concentração e ferramentas para provocar alterações de consciência, mas é preciso que se saiba exatamente o seu significado para que sejam usados corretamente.

Embora eles possam dar um toque de beleza e alegrla aos rituais, uma verdadeira Bruxa jamals deve ficar dependente deles, porque a verdadeira Bruxa se faz com a mente com o coração! A Vassoura A Varinha PAGF 8 OF espaço e traz tranqüilidade ao ambiente. A Vassoura também pode ser usada para a proteção da casa, sendo colocada atrás da porta principal. Usamos a varinha para invocações e direcionamento de energias. Quando queremos chamar os deuses, para que nos protejam durante um ritual, é com ela que o fazemos.

Quando traçamos o círculo mágico no chão ou dirigimos qualquer encantamento, é também por meio da vannha. Você pode imaginar, então, o quanto ela é importante para nós! pode ser feita de um delgado galho de uma árvore ou um galho mais resistente de erva. Alguns dizem que o carvalho, a acieira, o pessegueiro e a cerejeira são as árvores que melhor se adequam à confecção da varinha. Eu, por minha vez, considero que qualquer árvore pode ser escolhida, desde que tenha sido despertado estreito elo entre ela e a pessoa, o mesmo acontecendo com as ervas.

Lembre-se de que só você pode sentir o material que mais a sensibiliza. Se sua sensibilidade conduzi-la a um galho de uma velha mangueira, não pense duas vezes, essa será a sua varinha! Muitas vezes demoramos a encontrar nossa varinha. Não devemos nunca nos impacientar nessa procura, pois corremos o risco de escolher errado. Quando encontrar o material que mais se harmoniza com sua energia, é hora, então, de colhê-lo. Numa note de lua cheia, dirija-se à árvore ou erva que tiver escolhido.

Chegando lá, sente-se o mais próximo que puder. Converse com a árvore ou erva, diga-lhe sua intenção, o porquê querer um pedaço da planta e e a-lhe permissão para o corte. Esse corte, pegue uma faca de prata e virgem, de preferência na forma de meia-lua e, delicadamente, corte o galho escolhido. Amarre no lugar do corte um objeto seu ou, mesmo, uma mecha de seus cabelos; é o seu presente para a planta, sinal de gratidão. O Incensário O incensário pode ser feito de metal, barro, cerâmica ou, até mesmo uma concha encontrada na praia.

Não importa, na verdade, o material; fundamental é que ele permita que o Incenso queime sem apagar constantemente . Meu incensário é um pentagrama dourado, facilmente encontrado em lojas esotéricas. O Caldeirão Quando pensamos em bruxas, inevitavelmente surge a imagem do caldeirão. Claro que para nós, bruxas, ele de forma alguma foi feito para cozinhar criancinhas, como na estória de João e Maria! Para nós, ele representa o Utero da Deusa, essência da fertllidade e do eterno feminino. Nele as coisas se transformam; o grão se torna alimento; a raiz, remédio…

O caldeirão desempenha papel muito importante nos rituais. Nos da primavera, colocamos nele água pura de fonte e muitas flores. Nos de inverno, deixamos uma chama de fogo sair de dentro dele, representando o retorno do calor e da luz solar. Não precisa ser grande, o importante é que seja de ferro ou barro. Seu tamanho varia, mas é aconselhável que nele caiba minimo um litro d’água. O Athame O Athame nada mais é do que um punhal, de preferência de prata, com o cabo preto, ais essa cor absome o poder, e assim,

Ensino religioso: religiхes afro

0

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO RELATORIO FINAL DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA DE NICIAЗГO CIENTНFICA (IO PIBlC/UFPE/CNPq 5 Swipe view nent

Read More

Texto narrativo

0

UMA PILHA FEITA DE LIMÃO I Introdução A manutenção de uma corrente elétrica em um circuito depende do fornecimento continuo

Read More