Elaboração e avaliação físico-química, microbiológica e sensorial de mistura para sopa desidratada a partir de resíduo de peixe direcionada a merenda escolar.

Categories: Trabalhos

0

Elaboração e avaliação físico-química, microbiológica e sensorial de mistura para sopa desidratada a partir de resíduo de peixe direcionada a merenda escolar. Premium ay marciohirohito I anpe,nR 09, 2012 | 8 pages I Universidade do Estado do Pará I Centro de ciências Naturais e Tecnologia Curso de graduação [PiC] 2005 trial-alimentos ar 8 Swipe to page ereira Carlin Myuki Sugita Dávilla Thaise de Alencar Pereira As análises microbiológicas realizadas foram: salmonella spl 25g, coliformes a 450 e 35a, Staf. Coag.

Positiva/g, bolores e leveduras, bactérias aeróbias mesófilas, tanto nas sopas “A e B” omo nos resíduos de peixe, o resultado obtido estavam dentro dos padrões higiênico-sanitários estabelecidos pela ANVISA. A análise sensorial foi realizada na Escola Municipal Ensino Fundamental Profa. Graziela Gabriel, onde se obteve para a sopa “A” 5,15 equivalente a 73,66% e para sopa “B” uma média de 5,93 referente a 84,82%. Constatou-se que as sopas estão em boas condições físico-químicas e microbiológicas para serem inseridas a merenda escolar, apresentando também uma boa aceitabilidade por parte da maioria das crianças.

Palavra-chave: Desidratação, Merenda escolar, Resíduo de peixe, Sopa. dedicação. A profa. Maricely Uria pela amizade e sugestões no decorrer do trabalho. A Profe. Elaine Figueiredo pela disponibilidade em ajudar-nos nas analises microbiológicas. A Dra. Lúcia Lourenço por aceitar o convite de participar da banca examinadora. A FRIGEPE pela doação do resíduo de peixe. A Escola Municipal Ensino Fundamental Prof’. Grasiela Gabriel pela simpatia e colaboração na realização da analise sensorial com seus alunos.

Aos amigos de classe, especialmente, Cynthia, Edimara, Kellem, Etiene, Lilian, Rose e Jacy pela amizade e apoio nos omentos de dificuldades. Ao quimico Raimundo Alves pela amizade e pela disposição em ajudar sempre que necessário. Aos técnicos e monitores de laboratório Silvio, Fábio, Brenno e Sr. Sabá pela amizade e auxílio nas análises. Carlin Miyuki Sugita Dávilla Thaise de Alencar P existentes na Pirâmide dos Alimentos • • • • • • Desidratação de frutas e I TABELA 03. hortaliças…. Descrição dos grupos de alimentos 29 I TABELA 04. ABELA 05. 30 Porcentagens de ingredientes para formulação das sopas “A e | 45 I TABELA 06. Resultados obtidos das análises físico- uímicas realizadas com o resíduo de peixe comparadas com o Ipeixe in I TABELA 07. Resultados obtidos das análises fisico- I peixe in I TABELA 08. resíduo de peixe…. I TABELA 09. sopas “A e Resultado da analise microbiológica do 53 Resultado da analises microbiológicas das 541 36 I FLUXOGRAMA 02. batata…. I FLUXOGRAMA 03. cenoura.. I FLUXOGRAMA 04. cebolinha…. I FLUXOGRAMA 05. coentro………….. I FLUXOGRAMA 06. I FLUXOGRAMA 07. Brasil….. . Lista de Siglas IANVISA Desidratação do peixe……..

I Desidratação da 137 139 141 IDesidrataçao do 42 IDesidratação do 43 Desidratação da castanha do 144 1 -A encia nacional de vigilância sanitária SUMÁRIO 16 12. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. 118 12. 1 PESCADO.. 18 12. 1. 1 Origem da 12. 1. 2. Pesca mundial, nacional e estadual. 2. 1. 3 Pescado e seu valor pnGF 8 122 desidratada | 2. 42. Ingredientes…. …. 132 12. 4. 2. 1 Batata (Solanum Tuberosum 2. 4. 2. 2. Cenoura (Doucus Carota 12. 4. 2. 3. Coentro (Coriadrum 12. 4. 2. 4. Cebolinha (Allium schoenoprasum)… 133 12. 4. 2. 5. Alho (Allium sativum | 3. 2. Batata 32 33 134 2. 4. 2. 6. Castanha do Brasil (Bertholetia excelsia H. & B.

Lecythidaceae)…… 13. MATERIAIS METODOS… „ 135 13. 1. MATERIAS- 3. 2. 1 Desidratação do 13. 2. 2 Desidratação da 13. 2. 3 Desidratação da Cenoura… 39 Carbo idratos . . . . . . . . . . . 146 13. 4. 6 Valor Calórico… 147 13. 5 ANALISES 13. 5. 1 Contagem padrão em 13. 5. 2 Coliforme a 45 e 13. 5. 4 Bolores e Leveduras…….. 148 13. 5. 5 Estaphilococcous coagulase positiva 13. 5. 6 Salmonella……………. 13. 6 RENDIMENTOS DO PROCESSO DE DESIDRATAÇÃO. 49 13. 7 ANÁLISE SENSORIAL.. • • • • • • • • • • • • | 49 14. resultados e 48 14. 1 Análises Fisico- Química…. 51 14. 2 Análises Microbiológi

Hering

0

Projeto Experimental to view nut*ge Orientadores: Fernando Loureiro e Jardiel Ferroz Aluna: Carolina Ferreira de Moura Cliente: Hering BRIEFING filosofia

Read More

Ofício parceria

0

[picl Of. NO. 003/2009. CB/Inst. Delta Campo Grande-MS, 02 de Fevereiro de 2009. Prezado Senhor, ar 2 Swipe to page

Read More