Relação do trabalho escravo

Categories: Trabalhos

0

APO DE ECONOMIA II salvador – BA 201 1 FACULDADE CASTRO or6 to view nut*ge RELAÇÃO DE TRABALHO NO BRASIL NO BRASIL COLÔNIA Trabalho apresentado à disciplina de brasileiro, Portugal era dependente das metrópoles européias apesar de seus impérios diante deste paradoxo busca fazer-se uma correlação entre o ciclo atuante da aristocracia portuguesa perante o capitalismo mercantil e o comercio luxuoso para a burguesia e o fator mão-de-obra escrava e algumas classes de assalariados grandes latifundiários e pequenos proprietários de terra no Brasil.

O motivo que levou Portugal a desbravar novas terras foi a expansão política e comercial, pois essa necessidades trouxe muitos benefícios a economia portuguesa. Através de tratados e acordos informais eles conquistaram e ampliaram seu territóno trazendo um crescimento econômico entre o século XV a XVIII. Em Abril de 1 500 Pedro Álvares Cabral chegou no Brasil em Salvador com suas grandes embarcações, trazendo com ele capitães, religiosos, franciscanos, interpretes, cosmógrafo, médicos condenados a morte, escravos etc…

Os condenados a orte eram submetidos para trabalhar de forma que aprendesse um novo modo de vida, obtivessem Informações sobre minas de metais preciosos e outros elementos naturais que pudesse ser comecializado e assim diminuir a sua pena. Logo na chegada de Pedro Álvares Cabral, os índios já habitavam aquele território, onde houve um encantamento entre partes, com o novo, ou seja, um relacionamento entre culturas diferentes. Onde os portugueses tentavam facilitar uma boa convivência com os Índios seduzlndo com suas roupas elegantes, objetos preciosos etc… vendo uma troca de interesse entre partes Onde os portugueses e as manipulando os expandir as riquezas encontradas no Brasil visando apenas o lucro. Assim passou-se a extração de metais preciosos na parte que cabia a Portugal das terras colonizadas sobre o tratado de Tordesilhas, contudo, existia uma pressão multo forte sobre Portugal e Espanha, vindo de nações européias economicamente superiores como Holanda, Inglaterra e principalmente França, podemos até indagar que o começo da expansão econômica no Brasil foi conseqüência dessa pressão sobreposta a Portugal Espanha pela França e demais nações européias.

Em meio à ameaça clara de a França invadir terras brasileiras atrás da miragem do ouro, começou então a busca de recursos para a proteção de tais terras e como o comercio de peles e madeira com os Índios não dava para sustentar essa proteção, coube a Portugal a tarefa de encontrar outra forma de expansão econômica que não fosse a extração de metais preciosos, daí foram tomadas decisões que resultou no inicio da exploração agrícola no Brasil.

PAGF3rl(F6 primeiro contato com os índios, os portugueses notaram o nteresse da população indigena nos utensllios e objetos dos tripulantes, desta maneira se iniciou uma relação de troca de quinquilharias por força de trabalho o denomlnado escambo que tinha como interesse maior o repasse da madeirado pau-brasil que possui sumo de cor avermelhado em sua composição onde se produziam tintas para tecidos valiosos.

PAGF Europa, no século XV e XVI as atividades de maior intensidade era o latifúndio trazendo inicialmente para frente do trabalho a maioria de índios sendo afirmado por estudiosos que o inicio do ultivo da cana de açúcar no Brasil foi feito pelos nativos da nova terra.

Condições de trabalho O trabalho imposto pelo os senhores de engenho era desumano, os escravos eram colocado em regime de constante prestação de serviço “trabalhar para viver”, trabalhavam de forma desgastante com pouco tempo para o descanso entorno da produtividade da fazenda não declinasse já que neste momento a economa açucareira esta em asserção nlVel e quando era o desgaste físico que impediam de prosseguir trabalhando os castigos eram aplicados mediante ao atributo exercido para que ão houvesse uma desistência talvez existissem as relações de prestação e inutilidades da mão de obra ‘força de até o momento quer não quebra-desgaste físico (morte).

Neste contexto, ser escravo ou servo não teria muita distinção com afirma PINSKY (1939) “a escravidão se caracteriza por sujeitar um ser humano a outro, de uma forma completa”, ou seja, os homens alem de não ter direito-autonomia, ele deve obediência ao seu dono “Senhor”‘, pois se tornou propriedade material. O escravo poderia até ter sentir ou ter o desejo de algo, entretanto esta vontade não poderia PAGF5t,F6 Holanda e França no território colonial da coroa portuguesa. portanto com o aumento no nível do cultivo e na comercialização impactaram positivamente na especialização da economa açucareira . De acordo com o contexto histórico, com a expansão no mercado açucareiro e aumento elevado na comercialização iria aumentar o índice de trabalhadores escravos e ainda mais especializados nas praticas de produção e exploração da cana de açucar.

MESTIÇOS Os índios que eram capturados (recrutados) e conduzidos aos engenhos onde também já existiam trabalhadores negros m uma escala menor, nesta aglomeração passaram a existir relações entre índios e negro dando origem a uma nova denominação de raça os mestiços que quando nasciam já era escravo por parti dos negros. A relação interpessoal entre os trabalhadores era muito conturbada apesar de ser do mesmo continente, no entanto eram retirados de lugares totalmente distintos assim então ocorrendo dentro da produção, os conflitos oriundos da individualidade de cada cultura, com o tempo os escravos foram se adequando e agregando as semelhanças para formar uma nova cultura.

Arte rupestre

0

A Arte Rupestre Trabalho por Paula Daniela Pessoa Lopes, estudante de Arte @ , Em 15/02/2006 Tamanho da fonte: a-

Read More

Timo

0

Cl ciência Quando ot mo nao vai bem 50 j aneiro De 2012 _ I munoDeflClênCIas prlmárlas Cópia extra de

Read More